A Universidade Mackenzie e o CPqD, com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e colaborção da Universidade Federal de Juiz de Fora, da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e da rede Kyatera (Fapesp) desenvolvem super alta definição em 4k 3D para a Copa de 2014

De 14 de junho a 11 de julho, o governo brasileiro reservou espaço de 4 mil metros quadrados em Johannesburg (África do Sul). O objetivo é apresentar ao mundo, durante a Copa, um Brasil diferenciado em cultura e tecnologia. Dentre as novidades em exposição estará o Projeto 2014K, que promete revolucionar as transmissões de jogos, na Copa de 2014.

O projeto, coordenado pelos professores Thoroh de Souza e Jane de Almeida, da Universidade Mackenzie, conta com a parceria do CPqD (maior centro de pesquisa e desenvolvimento em telecomunicação e TI da América Latina); Rede Kyatera, da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo); e rede Nacional de Pesquisa (RNP).

A novidade tem como base a tecnologia de transmissão de filmes em super-alta definição, chamada 4K. Nessa tecnologia, as imagens têm uma altíssima resolução, de 8,8 milhões de pixels por quadro (frame). Para se ter uma ideia, a resolução do full HD – tida como uma revolução de imagens – é quatro vezes menor que a tecnologia 4K.

Além disso, a nova definição está aliada à tecnologia 3D. Com isso, a geração das imagens dos jogos da Copa do Mundo de 2014 poderá acontecer em 4K 3D, com transmissões experimentais em salas de exibição espalhadas pelo mundo.

Segundo Jane de Almeida, a tecnologia que será apresentada na África do Sul mostrará ao mundo todo potencial de inovação que temos no Brasil. “Um projeto de altíssima tecnologia permitirá ao País evidenciar o espetáculo do futebol brasileiro numa definição do futuro, com transmissões esportivas jamais vistas”, destaca a professora.

Desafios para 2014

Os primeiros testes com a projeção em 4K aconteceram em 2008, sob coordenação da professora Jane de Almeida. Entretanto, o grande desafio da transmissão é o envio das imagens para vários países simultaneamente e em tempo real. “Para a utilização da tecnologia, uma parte da infra-estrutura já está desenvolvida no Brasil com a Rede Kyatera, mas ainda é preciso aumentar a rede de transmissão e avançar no desenvolvimento de equipamentos de filmagem e projeção, que atualmente são instáveis e caros”, avalia Jane.

Por serem arquivos muito pesados (um segundo de filme em 4K 3D tem cerca de 2GB), são necessárias conexões de fibra óptica de altíssima velocidade, da ordem de 10 Gbits por segundo.

Mesmo com esses desafios, os pesquisadores acreditam ser possível a consolidação da tecnologia para a Copa do Mundo de 2014. Para mostrar a viabilidade do Projeto, a exposição na África do Sul exibirá um documentário explicativo de 7 minutos com animações e algumas cenas da primeira partida de futebol do mundo gravada em 4K 3D: o clássico entre Grêmio e Internacional, pela final do Campeonato Gaúcho de 2010.

Serviços

Projeto 4K 3D – transmissão de jogos em altíssima resolução

Exposição da Tecnologia: Johannesburg, África do Sul, de 14 de junho a 11 de julho
Informações: www.2014k.org

Veja imagens da Casa Brasil em Johannesburgo:

2014k na Casa Brasil, 2010

Tags: , , , ,