Arquivo da categoria: Destaques da Semana

Matérias e eventos de destaque na semana

Projeto Cine Bijou mostra “Terra e Liberdade”

Após a sessão será realizado um debate com o cientista político Antonio Rago Filho, da PUC-SP

Terra_e_LiberdadeNEWSA Guerra Civil Espanhola (1936-1939) é o cenário deste grande filme do diretor britânico Ken Loach, cuja história gira em torno da participação de um brigadista inglês no conflito que virou um divisor de águas entre diferentes concepções de esquerda envolvidas no projeto de uma Espanha para os pobres. Assim, a trama se desenrola com igual força no repúdio ao golpismo do general Francisco Franco e na exposição sem rodeios dos desmandos da esquerda stalinista contra os combatentes anarquistas.

A Guerra Civil mobilizou a solidariedade internacional. Milhares de combatentes de todo o mundo se alistaram para lutar ao lado da República, contra o fascismo. Entre eles, 16 brasileiros. Os mais conhecidos foram Apolonio de Carvalho, Roberto Morena, Dinarco Reis e David Capistrano da Costa – todos militantes do Partido Comunista. Os outros 12 foram Alberto Bomílcar Besouchet, Carlos da Costa Leite, Delcy Silveira, Eneas Jorge de Andrade, Hermenegildo de Assis Brasil, Homero de Castro Jobim, Joaquim Silveira dos Santos, José Gay da Cunha, José Correa de Sá, Nelson de Souza lves, Nemo Canabarro Lucas e Eny Silveira. David Capistrano figura na lista de desaparecidos políticos da ditadura civil e militar de 1964-1985.

A luta fratricida no campo progressista facilitou o avanço do franquismo, mas a guerra só se resolveu com a intervenção da esquadrilha  de Adolph Hitler, que usou o conflito espanhol como laboratório para as invasões que realizaria por toda a Europa tão logo derrotou a República Espanhola.

Após a sessão será realizado um debate com Antonio Rago Filho, cientista político com mestrado e doutorado em História pela PUC-SP e professor titular desta universidade.

  • SERVIÇO

Inscrições exclusivamente pelo e-mail: contato@nucleomemoria.org.br.
Lugares Limitados (80).

Terra e Liberdade
Direção:  ​Ken Loach
Produção:  Inglaterra/Espanha, 1995
Atores:  Ian Hart, Rosana Pastor, Icíar Bollaín, Marc Martínez
Quando: 17 de agosto, sábado, 15h.
Onde: Teatro Studio Heleny Guariba – (Praça Roosevelt, 184) – São Paulo, SP

Ciesp cria seu Departamento Cultural

A proposta tinha, também, a finalidade de detectar pontos de interesse comum e criar um canal de interlocução entre quem produz e quem pode apoiar os empreendimentos.

Coincidência, ou não, dois meses depois, saiu a resposta àquilo que foi informado: a regional Sorocaba do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) criou o seu Departamento Cultural.

O setor, informou a entidade em primeira mão ao jornal em resposta por escrito, irá atuar como um instrumento de fomento à produção e deverá promover, inclusive, intercâmbio de experiências junto às empresas.

A boa notícia está em outra das atribuições do departamento: ele vai apoiar e funcionar como um facilitador dos mecanismos de estímulo à cultura entre todos os agentes do setor. Pretende, ainda, incentivar a produção cultural regional, trazendo referências e incentivo ao gosto e ao prestígio da população pela cultura, acrescentou o colegiado à reportagem.

O Departamento está em fase de estruturação e é integrado por representantes de várias instituições como Anderson Santos, titular da Secult, Miriam Bisordi, Susi Berbel, ambas da Metso; Fernanda Burattini, da Gas Natural São Paulo Sul; Silvia Stecca, do Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba; Celso Pelosi, da CorpCom; Julio César, do Sesi local, e Werinton Kermes, da Associação Cultural de Votorantim.

A médio prazo, o Departamento deverá promover o encontro dos produtores e agentes culturais com a indústria.

A equipe deverá debater a questão de forma permanente até em função de sua importância. Considera de extrema valia a realização de projetos culturais nas cidades. Para a indústria, ter sua marca atreladas às ações trabalhadas por produtores é o mesmo que praticar ato de cidadania corporativa, diz o texto do Departamento.

A nova setorial do Ciesp tem, ainda, como meta ampliar o conhecimento do empresariado sobre o funcionamento de leis de incentivo cultural a partir de encontros com especialistas e troca de experiências.

Outras frentes foram anunciadas, como o levantamento histórico-cultural para identificar potenciais culturais na cidade e região, a busca de sinergia entre as políticas federal, estadual e municipal de fomento, de modo a incentivar negócios na área, e a promoção de um ambiente favorável à produção cultural.

Empreendedores também terão a oportunidade de se reciclar. O Departamento deverá capacitar agentes no processo de elaboração de projetos, a partir de palestras e workshops com especialistas no funcionamento das leis de incentivo

Riacho Doce recebe o Barracão Cineclube

Neste domingo, dia 28, a partir das 18 horas uma tela será iluminada na praça do Riacho Doce, por trás da igrejinha de Nossa Senhora da Conceição, com curtas alagoanos e animações nacionais. A Praça é a José Emílio de Carvalho no bairro de Riacho Doce, beirada pela AL-101 Norte, local escolhido para a primeira exibição do Barracão Cine Clube.

Entre os curtas alagoanos está Vestido para Lia, no dia da festa da padroeira, Lia, filha da costureira, tenta convencer sua mãe a fazer um vestido novo para a festa. Ficção dirigida por Hermano Figueiredo e Regina Célia Barbosa, realizada através do edital Curta Criança. Um dos documentários é Iraque – Terra da Esperança, retrata um bairro de Marechal Deodoro com problemas de violência, dirigido por Douglas Nogueira e realizado através do Projeto Olhar Circular. Nome, Idade, Profissão e Onde Mora é um documentário sobre um dia de trabalho na vida de um ambulante de Fernão Velho, dirigido por Viviane Vieira e realizado através do projeto Ateliê SESC.

O Barracão Cine Clube é fruto da parceria entre a Associação Artística Saudável Subversivos e a Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-metragistas de Alagoas – ABDeC-AL, contemplada pelo projeto Cine Mais Cultura, o programa é uma ação do Ministério da Cultura, disponibiliza equipamentos para a formação de cineclubes em todo o país.

Sobre os Saudáveis Subversivos

Os Saudáveis Subversivos iniciaram suas atividades através das artes cênicas, com peças, improvisos e experimentos audiovisuais. Em 2008 a Associação foi contemplada pelos editais Oi Futuro e BNB, possibilitou a realização do Projeto Olhar Circular, que teve como produto sete documentários realizados por jovens de Marechal Deodoro.

Em 2009, os Saudáveis colaboraram com o SESC Alagoas no projeto Ateliê SESC em Fernão Velho que teve como produto quatro documentários. Com sede em Riacho Doce, a Associação Artística Saudáveis Subversivos realizará alguns projetos neste bairro ao longo deste ano.

Fonte: Saudáveis Subversivos

Carta Aberta do Movimento Cineclubista do Pará

CARTA ABERTA DO MOVIMENTO CINECLUBISTA DO PARÁ AO GOVERNO DO ESTADO, AO CONSELHO NACIONAL DE CINECLUBES E A SECRETÁRIA DO AUDIOVISUAL
Belém, 19 de Agosto de 2009

Atualizada, Fórum Paraense de Pontos de Cultura – Teia da Cultura Amazônica / GT Audiovisual,
Belém 05 de Março de 2010

Prezados senhores,

Saudamos aos participantes do CNC – Conselho Nacional de Cineclubes, ao mesmo tempo em que lançamos essa carta aberta com intuito de somar, de compartilhar e sugerirmos idéias que visam o fortalecimento do audiovisual em nosso Estado.

Fazemos parte de um grupo denominado “CRN – Cineclube Rede Norte/Pará” que reúne 9 cineclubes com forte atuação na capital e no Estado. Estamos nos organizando em rede exatamente por entender que somente com a cultura colaborativista, poderemos tratar da questão do audiovisual como uma teia. E sabemos que o papel dos exibidores ainda precisa ser melhor entendido e respeitado como sendo de fundamental importância na cadeia produtiva dessa linguagem.

A experiência da troca de conteúdos e vivências proporcionada pela participação nos DIÁLOGOS CINECLUBISTAS – A fala das práticas – Relatos de experiências e rodas de diálogos, evento livre, democrático e independente, realizado nos dias 17, 18 e 19 de agosto de 2009 em locais onde são desenvolvidas as mais diversas praticas cineclubistas em Belém e em Ananindeua-Pará, trouxe para os seus participantes a certeza de que o CINECLUBE é um espaço de construção de aprendizados e diálogos democráticos e necessariamente uma ferramenta educativa capaz de formar consciências e
culturas poéticas e visuais, pelas quais o ser humano pode vir a criar e a produzir um novo pensamento, assim como a arte na sua plenitude política e libertária.

Nesse sentido, nós, abaixo-assinados, realizadores, produtores e técnicos, atores e atrizes, cineclubistas, críticos e pesquisadores, exibidores e amantes do cinema, representantes de projetos e organizações com forte atuação em Belém e em Ananindeua, resolvemos tornar pública a CARTA ABERTA DO MOVIMENTO CINECLUBISTA DO PARÁ, com o objetivo de refletir, compartilhar e sugerir idéias e propostas para fortalecer o cinema, o audiovisual e o cineclubismo no Estado do Pará.

CONSIDERANDO:
• Que a dimensão continental e a diversidade cultural amazônidas são fatores que devem ser referenciados de forma a que sejam rompidas as amarras impostas pelo processo colonizador que cria padrões culturais e mediáticos – internacional e nacional -, que dificulta o direito à produção do conhecimento pelos povos de nossa Região;
• Que a produção e a difusão audiovisual que considerem identidades e modos de vida na Amazônia são premissas básicas para que instauremos um processo de construção de novas perspectivas poéticas e visuais capazes de fazer frente às referências audiovisuais impostas pela indústria cultural;
• Que é inalienável o direito dos realizadores paraenses garantirem que os seus filmes sejam vistos pela comunidade, do mesmo modo que é também inalienável o direito do povo paraense e amazônida de ter acesso às obras cinematográficas e reflexões críticas produzidas na Região e no mundo;
• Que esta consciência também é uma garantia de fortalecimento do atual momento, pelo resgate da memória do cinema e do imaginário de si mesmo;
• Que o atual estágio de amadurecimento coletivo das organizações culturais autônomas amazônidas está em sintonia com o avanço dos movimentos sociais;
• Que o CINECLUBE tem características colaborativas e solidárias, pelo que as suas atividades são desenvolvidas de forma democrática, mediante compromisso ético e cultural, sem fins lucrativos;
• Que as ações de caráter cineclubista dependem de atores voluntários que não economizam esforços para realizar as suas intervenções, na medida em que são amantes do cinema e acreditam na construção de uma cultura visual poética e estética capaz de propor a reflexão crítica amazônida e democratizar a cultura cinematográfica mundial;

• Que os praticantes do cineclubismo consolidam e ampliam os circuitos de exibição e fortalecem uma cadeia produtiva (audiovisual e intelectual) solidária, com investimento na economia local, de modo que para as práticas cineclubistas são fundamentais e para a divulgação das obras cinematográficas, na medida em que as tornam conhecidas da comunidade.

PROPOMOS:
1. Apoio a campanhas e iniciativas promovidas pela Federação Internacional de Cineclubes (FICC) e pelo Conselho Nacional de Cineclubes (CNC);
2. Implementação de políticas públicas de fomento e fortalecimento da atividade cineclubista no Estado de Pará;
3. Estadualização dos editais nacionais do audiovisual;
4. Inclusão de ações de fomento à atividade cineclubista no Plano Estadual de Cultura e nos editais que venham a ser lançados no campo audiovisual paraense;
5. Inclusão da participação de pessoas físicas em editais cineclubistas (o fomento estatal deve assimilar à dinâmica e a complexidade cineclubista como um movimento que não necessariamente está vinculado a entidade com corpo jurídico consolidado);
6. Criação da bolsa-cineclube;
7. Criação de bolsas de pesquisa em cinema e cineclubismo;
8. As ações governamentais devem necessariamente interiorizar as ações cineclubistas;
9. Fortalecimento da Rede Paraense de Cineclubes, fazendo distribuir informação, artigos, cartas, manifestos e vídeos em redes sociais, listas de discussão de redes afins, estreitando a comunicação entre outras redes de cineclubes na Região Amazônica e do mundo;
10. Criação da Comissão Organizadora da JORNADA PARAENSE DE CINECLUBES, com designação de autonomia para desenvolver uma proposta estrutural de realização da mesma;
11. Criação da Federação Paraense de Cineclubes;
12. Apoio as organizações sociais que desenvolvem ações cineclubistas no Estado do Pará;
13. Estímulo à criação e acompanhamento de novos cineclubes, dentro de uma política de economia solidária, embutida em uma estrutura de formação, pesquisa, reflexão, produção, exibição, distribuição e preservação da cultura audiovisual paraense e amazônida;
14. Apoio à deslocamento para participação dos cineclubes paraenses nos eventos estaduais, nacionais e internacionais;
15. Investimento em publicações referentes ao movimento cineclubista, como artigos, críticas e material impresso de divulgação coletiva das programações;
16. Investimento no Circuito Paraense de Cinema em toda a rede de cineclubes, estadual, nacional e internacional, em parcerias diretas com instituições e empresas;
17. Investimento na distribuição e exibição do acervo de produções do audiovisual paraense e amazônida;
18. Digitalização e disponibilização à comunidade, inclusive pela inernet, do acervo do Museu de Imagem e Som – MIS;
19. Promover intercâmbios para fortalecer a rede solidária cineclubista;
20. Inclusão das organizações de cineclubes nos colegiados de decisão das políticas públicas do setor cultural;
21. Participação das organizações de cineclubes nos espaços públicos cinematográficos (Cine- Teatro Líbero Luxardo, Maria Silva Nunes, Cine Acyr Castro e Cinema Olímpia);
22. Inclusão de propostas cineclubistas em projetos como Escola Aberta e outros desta natureza;
23. Criação da CINEMATECA DO PARÁ, com estrutura para consulta e empréstimo de acervo, assim como a criação de um banco de memória e da história do audiovisual e do cineclubismo paraense.
24. Estímulo às práticas cineclubistas em espaços urbanos (praças, ruas, feiras);
25. Investimento em circuitos cineclubistas com a produção audiovisual desenvolvida pelas comunidades paraenses;
26. Fomento aos circuitos cineclubistas itinerantes;
27. Estímulo à produção e difusão cineclubista de filmes destinados ao público infantil;
28. Estímulo à produção e difusão cineclubista de filmes que tenham como tema as comunidades tradicionais;
29. Uso da licença “CREATIVE COMMONS” como política de fomento à produção audiovisual;
30. Distribuição em “CREATIVE COMMONS” dos produtos audiovisuais resultantes de fomentos estatal;
31. Fortalecimento de experiências cineclubistas desenvolvidas no âmbito da administração pública, como o CINE-UEPA, CINE-EGPA, CINE PEDRO VERIANO, SESSÃO CULT, e outras;
32. Investimento para o MAPEAMENTO da produção audiovisual e das práticas cineclubistas paraenses.

ENCAMINHAMENTOS:
• Apresentação e discussão da CARTA ABERTA DO MOVIMENTO CINECLUBISTA DO PARÁ com os gestores da administração;
• Divulgação CARTA ABERTA DO MOVIMENTO CINECLUBISTA DO PARÁ por todos os meios possíveis;
• Convocação do movimento cineclubista paraense para a instauração da Comissão Organizadora da JORNADA PARAENSE DE CINECLUBES, com designação de autonomia para desenvolver uma proposta estrutural de realização da mesma, conforme pauta já discutida e definida coletivamente por este movimento, e pactuada por todos os setores para o dia 11 de setembro de 2009, às 15 horas, na Casa da Linguagem.
Independentemente destas propostas que formulamos para que as mesmas sejam levadas ao debate da sociedade e apresentadas aos gestores das instituições públicas culturais bem como a empresas que têm responsabilidade e compromisso com a formação da comunidade, a CARTA ABERTA DO MOVIMENTO CINECLUBISTA DO PARÁ está aberta para novas adesões e construção de novas propostas.

Belém, 19 de Agosto de 2009

Assinam a CARTA ABERTA DO MOVIMENTO CINECLUBISTA DO PARÁ
Cineclubes:
1. CINECLUBE ALIANÇA FRANCESA
2. CINECLUBE AMAZONAS DOURO
3. CINECLUBE ARGONAUTAS
4. CINECLUBE CENTRO CULTURAL BRASIL ESTADOS UNIDOS (CINE CCBEU)
5. CINECLUBE CINEMA NA UTOPIA
6. CINECLUBE CORREDOR POLONÊS
7. CINE MÃE NANGETU
8. CINECLUBE REDE APARELHO
9. CINE MOCULMA
Projetos:
10. PROJETO AZUELAR
11. PROJETO CINEMA DE RUA
12. PROJETO IDADE MÍDIA
13. PROJETO MAZAGÃO
14. PROJETO RESISTÊNCIA MARAJOARA
15. REVISTA PARÁ ZERO ZERO
Organizações:
16. ARGONAUTAS AMBIENTALISTAS DA AMAZÔNIA
17. ASSOCIAÇÃO PARAENSE DE JOVENS CRÍTICOS DE CINEMA (APJCC)
18. CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO POPULAR (CEPEPO)
19. COLETIVO MARGINÁLIA
20. FÓRUM DOS POVOS E DAS COMUNIDADES TRADICIONAIS
21. INSTITUTO NANGETU DE TRADIÇÃO AFRO-RELIGIOSA E DESENOLVIMENTO SOCIAL
22. MOVIMENTO CULTURAL DA MARAMBAIA – MOCULMA
23. PONTO DE CULTURA ANANIN
24. PONTÃO DE CULTURA REDE AMAZÔNICA DE PROTAGONISMO JUVENIL
25. CRN – CIJNECLUBE REDE NORTE

Olhares e personagens femininos

O Cineclube Cascavel faz homenagem às mulheres com uma sessão para os Olhares e Personagens Femininos. Seguindo a proposta da última sessão – em que foi exibido Uma Mulher é Uma Mulher de Jean-Luc Godard – a comemoração se dedica a abrir espaço para a reflexão não apenas sobre a mulher, mas sobre a complexidade das questões de gênero em sua relação direta com a criação cultural.

Nesta sessão, serão exibidos quatro curtas: Meninas, ficção de Paula Alves (RJ); Saudosa, ficção (pseudo-documentário) de Erly Vieira Jr e Fabrício Coradello (ES); De Orquídeas e Selos, documentário de Carolina Paraguassú Dayer (RJ/GO); e Nascida Para o Céu, ficção de Rogelia Pinheiro (GO). Os dois últimos, são de realizadoras goianas que estarão na sessão.

A ficção Nascida Para o Céu, de Rogelia Pinheiro, apresenta dois personagens que representam uma dura realidade em um enredo forte e ao mesmo tempo sensível. João das Dores e Zefa, um humilde casal e as típicas dificuldades da pobreza. Desempregados e sem perspectivas de futuro não vivem o melhor o momento para a gravidez de Zefa, mas ela está pronta para dar a luz aos cuidados de uma parteira da região em que vivem.

O documentário De Orquídeas e Selos, de Carolina Paraguassú Dayer, foi produzido no Rio de Janeiro e finalizado em Goiânia, tendo sido exibido pela primeira vez durante o REcine – Festival Internacional de Cinema de Arquivo, em 2008, no Arquivo Nacional no Rio de Janeiro. Após este primeiro e único contato com o público, o filme foi remontado com uma equipe goiana e passou por uma segunda etapa de finalização que, concluído, participou de festivais nos estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraíba e este ano participará Festival de Cinema de Ribeirão Pires, no interior de São Paulo, em 3 de maio. Em Goiânia, o filme é inédito e será exibido publicamente pela primeira vez no Cineclube Cascavel.

A sessão desta terça, 9 de março, será seguida de debate com as realizadoras Rogelia Pinheiro e Carolina Paraguassú e o público presente.

PROGRAMAÇÃO:

Meninas | Paula Alves, Fic., 1997, RJ, 17’

Duas amigas sofrem com o preconceito e a opressão de uma sociedade católica e conservadora de uma típica cidade do interior brasileiro. Diante das pressões da Igreja e da família, uma delas revolve deixar a cidade.

Nascida Para o Céu | Rogelia Pinheiro, Fic., 2009, GO, 8’

João das Dores está prestes a ser pai. Vivendo uma dura realidade ele lamenta a incontestável luta que a criança vai ter que enfrentar na vida, um futuro talvez mais incerto que suas próprias expectativas.

Saudosa | Erly Vieira Jr e Fabrício Coradello, Fic. (pseudo-documentário), 2005, ES, 15’

Nem tudo em Saudosa é ficção.

Prêmio de Melhor Ficção no 2° Tudo Sobre Mulheres.

De Orquídeas e Selos | Carolina Paraguassú Dayer, Doc., 2009, RJ-GO, 14’40’’

Um advogado de 88 anos revê sua coleção de selos e rememora sua vida, desde a vinda de seus pais do Líbano para o Brasil, e do tempo em que colecionava orquídeas.

ENTRADA FRANCA

Terça-Feira, 9 de março de 2010, às 19h30

Centro Cultural Cara Vídeo, rua 83, n. 361, St. Sul, Goiânia

Siga no twitter: cinecascavel

Cineclube Cascavel
Goiânia – GO
http://cineclubecascavel.blogspot.com/

FILMES SÃO FEITOS PARA SEREM VISTOS!

Cineclubismo: 80 anos democratizando o audiovisual brasileiro!

NÓS SOMOS O PÚBLICO!

Governo paulista inicia projeto “Vá ao Cinema”

SÃO PAULO – A  Secretaria  de Estado da Cultura dá início nesta sexta-feira (5) ao  “Vá  ao Cinema“, programa que distribuirá, gratuitamente, 200 mil ingressos válidos para sessões de filmes nacionais, preferencialmente a alunos da rede pública de ensino, em 20 municípios do Estado. Ao longo do ano; 2,4  milhões de vales serão entregues  em, aproximadamente, 115 cidades. A iniciativa tem como objetivos principais resgatar os cinemas ameaçados de fechamento, formar público e promover o acesso da população do interior às produções nacionais lançadas, primeiramente, nas grandes cidades brasileiras.

Monitores, que visitam as escolas e informam os alunos sobre o conteúdo dos filmes e funcionamento do programa, são responsáveis pela distribuição  dos vale-ingressos. No mínino  duas  sessões diárias são exigidas para os exibidores, que devem programar uma para a tarde e uma para a noite. “No  ano  passado  tivemos recorde de público. Mais de 2 milhões de pessoas foram atendidas pelo programa.  A  expectativa é aumentar  ainda  mais  este  número  em  2010,  pois é preciso que o povo conheça o que o próprio país produz”, explica André Sturm, coordenador da  Unidade de Fomento e Difusão de Produção Cultural da Secretaria de Estado da Cultura.

Serão atendidas, entre os dias 5 de março e 1 de abril, as cidades de Andradina, Birigui, Capivari, Espírito Santo do Pinhal, Fernandópolis, Ibiúna, Itapira, Matão, Mogi  das Cruzes,  Osvaldo Cruz, Pederneiras, Piraju, Presidente  Venceslau, Registro, São João da Boa Vista, São Sebastião, Serra Negra, Tatuí, Tupã e Vargem Grande do Sul. Cada cidade tem a liberdade de escolher os filmes nacionais em cartaz nos cinemas e recebem 10 mil vale-ingressos.

Cineclube Cascavel em Goiânia

Nesta terça-feira, dia 13 de outubro de 2009, o cineclube Cascavel realizará a sessão Experimente, aprecie alguns Minutos e dê sua Opinião, com a exibição de curtas experimentais e vídeos goianos premiados no Festival do Minuto. Logo após a exibição, haverá debate com os realizadores e com a curadora do Festival do Minuto, Verônica Brandão. A sessão tem como objetivo propor uma discussão aberta sobre a linguagem audiovisual.

Atividade de vanguarda desde sempre, o Cinema Experimental é conhecido por não fazer concessão ao chamado público médio. Mas é também uma janela para outras percepções de imagem e som, com novos caminhos a trilhar, na busca pelo êxtase artístico. Esta seleção apresenta dois relevantes trabalhos do gênero, Dá-Dos, de Pedro Palhares Fernandes, e Man.Road.River, de Marcellvs L., vencedor do Grande Prêmio em Oberhausen 2005, um dos mais importantes festivais de curta metragem do mundo.

Em seguida serão exibidos onze vídeos, selecionados e premiados entre mais de 70 minutos goianienses, que concorreram aos prêmios do Festival do Minuto.

Postado por Cineclube Cascavel às 15:58 Marcadores: , , , ,

“O ANTICRISTO” no Cineclube Central em Vila Velha

Ainda inédito, “O Anticristo” será exibido (sem cortes) na próxima quarta feira (7/10) no Cineclube Central de Vila Velha.
Sinopse
Depois da trágica morte de seu filho bebê num prólogo doloroso a mãe (Charlotte Gainsbourg) traumatizada entra numa espécie de coma emocional e seu marido (Willem Dafoe), de pretensões psiquiátricas tenta ajudá-la numa terapia informal, levando-a para uma cabana de refúgio da família, isolados na floresta Éden. Lá, coisas estranhas e obscuras começam a acontecer imagens e visões aterrorizantes.

O ANTICRISTO
direção:Lars von Trier
Estados Unidos/2009/duração:112 min
Elenco: Charlotte Gainsbourg,Willem Dafoe
Género:TERROR

Serviço
ONDE?
Cineclube Central – Teatro Municipal de Vila Velha
Pç. Duque de Caxias, Centro

QUANDO? 07/10/2009 (quarta-feira)
HORA? 20h (em ponto)
QUANTO? ENTRADA FRANCA.

CONTATOS CINECLUBE CENTRAL
http://www.cineclubecentral.blogspot.com/
cinecentral@gmail.com.
Confira o Tleiler
http://www.youtube.com/watch?v=d8qLszhowyY&feature=player_embedded
\

Confira o artigo escrito por: Fernando Ribeiro no Blog Ante.cinema.com

antichrist

Com estreia nacional marcada para 22 de Outubro, Anticristo é aguardado com muita expectativa mesmo depois de toda a controvérsia que tem gerado pelo mundo fora. Considerado como polémico e controverso, a última edição do Festival de Cannes rendeu-se a este filme e outros eventos o mesmo fizeram.

Realizado por Lars von Trier, um dos impulsionadores e criadores do chamado cinema dogma 95, apresenta-nos agora uma visão cinematográfica muito mais obscura e um registo totalmente diferente dos que realizou até ao momento. Apesar de toda a controvérsia em redor dele, em Cannes, Anticristo arrecadou a Palma de Ouro de Melhor Actriz para Charlotte Gainsbourg, supostamente uma das grandes revelações deste filme, e adquiriu ainda um dos prémios mais criticados dos últimos anos, um acontecimento que chegou mesmo a ser incómodo para alguns elementos da organização do festival. O galardão em questão foi o Prémio do Júri Ecuménico, que premia as longas metragens em competição que promovam o espiritualismo, o humanismo e os valores universais, tendo sido uma decisão do Júri do festival, o cineasta romeno Radu Mihaileanu, que elogiou este Anticristo como ‘o filme mais misógino do maior cineasta do mundo’. Thierry Frémaux, delegado-geral do festival, não achou piada ao sucedido, considerando mesmo que esta decisão foi ridícula.

Photobucket

Polémicas à parte, este novo filme do cineasta Lars von Trier, conseguiu gerar algum furor em vários pontos do mundo e em outros festivais por onde passou em que foi mais uma vez bem recebido e controverso, sendo que agora Portugal vai ter oportunidade de comprovar todo o alarido que se tem gerado à volta dele. Com Willem Dafoe e Charlotte Gainsbourg nos principais papeis, Anticristo conta a história de um casal, que após a morte acidental do filho, retira-se para uma cabana nos bosques, para que o marido terapeuta possa tratar a sua mulher, que ficou psicologicamente devastada com o acontecimento. Mas a estadia na cabana vai ser tudo menos pacífica.

Após a sua estreia em países como Dinamarca (país de origem do realizador), Itália, França, Noruega, Suécia, Reino Unido, Espanha, Estados Unidos da América, entre outros, o filme chega finalmente a Portugal dia 22 de Outubro com a especial atenção do Ante-Cinema. Assim sendo, enquanto espera pela sua chegada aos nossos cinemas, deixamos em baixo o trailer oficial. Anticristo tem a distribuição nacional a cargo da Ecofilmes.