Arquivo da tag: Ceará

Portugal no Ceará

A 23ª edição do Cine Ceará muda de foco e visita a nova geração do cinema português em sua programação

A 23ª edição do Cine Ceará muda de foco e visita a nova geração do cinema português em sua programação
O Ceará é o ponto no território continental brasileiro mais próximo ao Velho Mundo. Nada mais justo do que ser, graças à localização geográfica, a ligação entre europeus e americanos. No que se refere a audiovisual, o solo alencarino já é anfitrião tradicional do Cine Ceará, o Festival Ibero-Americano de Cinema. Chegando à sua 23ª edição, de 7 a 14 de setembro, o festival apresenta novidades conceituais e espaciais. Deixando de lado as temáticas mais abrangentes que guiaram a programação dos anos anteriores do evento, a partir de 2013 o Cine Ceará se volta para as homenagens ao cinema contemporâneo de um país. “A gente resolveu dar uma guinada no foco do evento”, explica Wolney Oliveira, diretor do festival. “A ideia é que o Cine Ceará pegue esse sangue jovem que está aí em vários lugares do mundo e concentre homenageando a cinematografia contemporânea desse país a cada ano”.

Cine CearáA mudança, de acordo com Oliveira, também se deve à popularização gradual do fazer cinema, inclusive no Ceará, graças à evolução tecnológica e à presença de três cursos de realização audiovisual no Estado – dois dos quais são graduações.

O tributo que dá início a essa sequência é feito a Portugal, exibindo e discutindo filmes produzidos nos últimos 15 anos. Segundo o diretor, a escolha do país se justifica também pelo fato da cinematografia realizada em terras lusas ainda ser de difícil acesso aos cinemas comerciais brasileiros. A homenagem ao país ibérico se estende à atriz, cantora e cineasta portuguesa Maria de Medeiros, responsável pelo show de abertura do, cujos filmes serão exibidos em uma mostra especial. O cinema luso será tema do debate entre realizadores e público portugueses e brasileiros durante o Seminário Diálogos Visuais, na Casa Amarela Eusélio Oliveira.

Cine Ceará1Para Wolney, a maior vitória do festival é chegar à 23ª edição ininterrupta, principalmente por ser um evento em expansão e com dificuldades para financiamento. De acordo com ele, o orçamento de realização está na faixa de R$ 1,7 milhão.

Outra mudança é a sede do evento, que acontece pela primeira vez no Centro Cultural Dragão do Mar de Arte e Cultura. As duas salas de cinema do equipamento serão reinauguradas em 3 de setembro; a programação do festival começa a ocupá-las a partir do dia 7 e segue até 14 de setembro. De acordo com o presidente-diretor do Dragão do Mar, Paulo Linhares, a realização marca o retorno de uma parceria e faz parte do projeto de trazer os grandes eventos do Estado para o CCDM.

Oficinas, seminários e mostras alternativas e sociais serão realizados simultaneamente na Casa Amarela Eusélio Oliveira da Universidade Federal do Ceará (UFC), no Teatro Celina Queiroz da Universidade de Fortaleza (Unifor), na Caixa Cultural, na Vila das Artes e no Mercado dos Pinhões. Todas as atividades são gratuitas.

Mostras competitivas

Cine Ceará2Oito produções foram selecionadas para concorrer ao Troféu Mucuripe, durante a Mostra Competitiva Ibero-Americana de Longa-Metragem. Destas, sete são completamente inéditas no Brasil. Os indicados são os brasileiros “Se Deus Vier Que Venha Armado”, de Luis Dantas, “Olho Nu”, de Joel Pizzini, e “Solidões”, de Oswaldo Montenegro; o espanhol “Emak Bakia”, de Oskar Alegria; o uruguaio-português “Rincón de Darwin”, de Diego Fernández Pujol; o mexicano “El Paciente Interno”, de Alejandro Solar Luna; o cubano “La Película de Ana”, de Daniel Diaz Torres e o argentino “Mercedes Sosa, la voz de Latinoamérica”, de Rodrigo H. Vila. As categorias da disputa são melhor filme, direção, fotografia, edição, roteiro, som, trilha sonora original, direção de arte, ator, atriz e prêmio da crítica. O prêmio ao vencedor é de dez mil dólares.

A Mostra Competitiva Brasileira de Curtas-Metragens, por outro lado, premiará o vencedor com R$ 15 mil, através de financiamento do Canal Brasil. As categorias analisadas serão melhor filme, direção, roteiro, produção cearense e prêmio da crítica. Doze filmes concorrem: os pernambucanos “Au Revoir”, de Milena Times, e “Quinha”, de Caroline Oliveira; os cearenses “Mauro em Caiena”, de Leonardo Mouramateus e “O Melhor Amigo”, de Allan Deberton; o baiano “Jessy”, de Paula Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge; os paulistas “O Pai do Gol”, de Luiz Ferraz, “O Pacote”, de Rafael Aidar, e “Pintas”, de Marcus Vinicius Vasconcelos; o carioca “Em Cartaz”, de Fernanda Teixeira; o gaúcho “ED”, de Gabriel Garcia; o alagoano “O Que Lembro, Tenho”, de Rafael Barbosa, e o mineiro “Sanã”, de Marcos Pimentel. Para Wolney, a presença forte dos candidatos nordestinos reflete o crescimento da produção da região. Segundo ele, 40% dos longas produzidos no Brasil são de PE, CE e BA. A Mostra Olhar do Ceará, como o nome explicita, é composta apenas por produções locais. Ao todo, 23 curtas, dentre documentários e ficções, foram selecionados para competir pelo prêmio de R$ 5 mil.

Serviço

23º Cine Ceará.

De 7 a 14 de setembro, no Centro Cultural Dragão do Mar.
Fortaleza, CE.

Programação completa está no site http://www.cineceara.com/

Saiba +

Uma trajetória grandiosa

EusélioEm 1991 o cineasta Eusélio Oliveira e o diretor, produtor e roteirista Francis Vale lançaram o Festival Vídeo Mostra Fortaleza, realizado na Casa Amarela Eusélio Oliveira, equipamento vinculado à UFC. À época, talvez não imaginassem que o modesto evento transformar-se-ia em um dos maiores do tipo no País, o Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema, realizado anualmente.

Rebatizado Cine Ceará em 1995, passou a ser fomentado pelo governo estadual, via Secretaria da Cultura. Da Casa Amarela, o evento migrou para o Cine São Luiz, no Centro, cujo prédio é tombado.

Ao longo de sua trajetória, o Cine Ceará passou a ser vitrine da produção cearense fomentada por então novos espaços de formação (como a Casa Amarela e o Instituto Dragão do Mar), tornando-se, ele mesmo, peça fundamental da equação que alavancou a cinematografia local. Em 2006, seguindo uma tendência natural, adotou caráter internacional, abrindo espaço em sua mostra competitiva para filmes da América Latina, Espanha e Portugal.

Com o fechamento e o futuro incerto do Cine São Luiz, em 2010 (mesmo após comprado pelo Governo do Estado), o festival transferiu-se para o Theatro José de Alencar, que sediou duas edições.

Neste ano, o Cine Ceará ganha novamente outra casa, as salas de cinema do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, cuja reforma deve ser finalizada neste mês. Em edições anteriores, o equipamento já recebeu parte da programação. Além da mostra de longas, o evento inclui mostra competitiva de curtas nacionais e um conjunto de mostras paralelas, além de encontros de realizadores, palestras, seminários e lançamentos.

O acesso ao Cine Ceará é gratuito, condição fundamental para que funcione também como espaço de formação de plateia. O credenciamento é feito em troca de alimentos.

Memórias do cineclubismo no Ceará

Cineclubismo no Ceará

O programa Opinião de 17 de outubro de 1985 abordou o cineclubismo no Ceará e teve participação do crítico de cinema Darcy Costa.

O programa Opinião do dia 17 de outubro de 1985, apresentado por Fátima Mendes, abordou o Cineclubismo e o I Festival de Fortaleza de Cinema Brasileiro. Para falar sobre o assunto, a produção do programa convidadou Darcy Costa, crítico de cinema, prioneiro no cineclubismo cearense e um dos fundadores do Clube de Cinema de Fortaleza.

Esta edição abordou a história do cineclube na Capital e um pouco da trajetória do cinema brasileiro. Na época, ocorria o I Festival de Fortaleza de Cinema Brasileiro, que tinha o objetivo de impulsionar realizações cinematográficas no Ceará.

Ouça o programa na íntegra:

http://www.radiouniversitariafm.com.br/oktiva.net/2213/nota/159971

Cine+Cultura Ceará

Cine Mais Cultura:

Conheça a lista dos 41 novos cineclubes no Ceará


PostDateIcon fevereiro 17th, 2010 | PostAuthorIcon Author: Circuito Cultural

O edital contemplou projetos de 41 cidades, sendo três de Fortaleza e o restante do interior

A Secretaria da Cultura do Estado, em parceria com o Ministério da Cultura, selecionou 45 projetos para implantação e modernização de núcleos de exibição cinematográfica não comercial no Ceará, por meio do edital Cine Mais Cultura. A lista com os 45 selecionados e outros 25 suplentes já está disponível no site da Secult, na sessão de editais (http://www.secult.ce.gov.br/categoria1)

Com o objetivo de democratizar e regionalizar a difusão do audiovisual, o edital contemplou projetos de 41 cidades, sendo três de Fortaleza e o restante do interior (Ver relação completa abaixo). Além destes, outros 25 projetos foram selecionados como suplentes.

O objetivo do edital é ampliar a rede de exibidores não comerciais de filmes nacionais. Cada projeto selecionado receberá equipamentos de projeção digital, incluindo uma câmera MiniDV, obras do acervo da Programadora Brasil e oficinas de capacitação para a atividade exibidora.

Esses pontos selecionados serão os Cines Mais Cultura – ação que faz parte da Agenda Social do Governo Federal e atuará sobre o tripé tecnologia digital, conteúdo e capacitação cineclubista.

Os edital teve como foco pessoas jurídicas sem fins lucrativos e visam contemplar bibliotecas comunitárias, pontos de cultura, associações de moradores e até mesmo escolas e universidades públicas que favoreçam o encontro do público com a produção audiovisual nacional.

A lista com os selecionados está disponível no site da SecultCE – www.secult.ce.gov.br.

Cidades contempladas:

Itatira, Jardim, Antonina do Norte, Limoeiro do Norte, Russas, Nova Russas, Tauá, Irauçuba, Barro, Tabuleiro do Norte (2), Senador Pompeu (2), Tianguá, Morada Nova, São João do Jaguaribe, General Sampai, Ibiapina, Jaguaruana, Caucaia, Brejo Santo, Apuiarés, Independência, Icapuí, Fortaleza (3), Jaguaribara, Cariús, Milagres, Iguatu, Ocara, Cruz, Chorozinho, Pacatuba, Granja, Paraipaba, Hidrolândia e Trairi.

Tripé: Tecnologia Digital, Capacitação e Conteúdo

O edital disponibilizará para os novos 45 Cines Mais Cultura, contemplados por este edital de 2009, o equipamento necessário para instalar salas de exibição digitais. São eles: uma tela para projeção de 210 polegadas (4m X 3m), um projetor de vídeo com potência de luz de 2.200 ANSI Lumens, um aparelho leitor de DVD, uma mesa de som de 4 canais, quatro caixas não amplificadas de potência de 250 watts, um amplificador com 1200Wrms de potência, dois microfones sem fio de alcance de 150 metros e uma Câmera Filmadora Digital Mini DV 3CCD ( Panasonic – modelo NV-GS320PL-S) com função Photo shot para tirar fotos no Cartão SD e monitor LCD em cores de 2,7 polegadas wide.

Já as oficinas de capacitação cineclubista têm como objetivo qualificar de maneira prática os participantes para a realização de programação, divulgação e debates das sessões; apoiar a formação dos oficinandos com introduções à história do cinema e linguagem cinematográfica; e oferecer informações sobre questões relevantes e atuais relativas à atividade exibidora como direitos autorais e sustentabilidade. Outra meta é estimular os responsáveis pelos Cines Mais Cultura ao diálogo com a comunidade local para a participação efetiva nas atividades. Esse trabalho será desenvolvido com apoio de um manual de capacitação produzido para o programa, por meio de parceria com o Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros (CNC).

Após receber os equipamentos e a capacitação, os Cines receberão filmes e vídeos do catálogo da Programadora Brasil, programa realizado pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (www.programadorabrasil.org.br). Pela iniciativa, filmes e vídeos nacionais são encartados em DVD e licenciados para exibição pública, por meio de permissão de uso. A Programadora reúne hoje um acervo de 330 obras nacionais, organizados em 103 programas (DVDs). São filmes históricos e contemporâneos, curtas, médias e longas-metragens, de todos os gêneros. Ao longo de dois anos, cada Cine Mais Cultura poderá solicitar até 12 programas por trimestre de trabalho e fazer uma nova solicitação após a entrega dos relatórios das atividades. Os Cines terão que exibir por ano 60% de conteúdo nacional, podendo ser ou não da Programadora Brasil, com total liberdade de escolha dos títulos das suas sessões.

Fonte: http://www.secult.ce.gov.br/noticias/resultado-final-cine-mais-cultura-divulga-lista-de-1

Pipoca e rapadura | O POVO Online – Vida & Arte

Edital Cine Mais Cultura Nacional, do Ministério da Cultura, traz o audiovisual para mais 150 municípios com até 20 mil habitantes

André Bloc

andrebloc@opovo.com.br

especial para O POVO

20 Fev 2010 – 01h33min

Em Pacatuba, já está em funcionamento o Cine Aratuba

Banho tomado, perfume no corpo, roupa de primeira. Hoje não é dia de igreja muito menos de praça, ou ficar em casa conversando na calçada, por menor que a cidade e a realidade possam parecer. É estreia de algo novo. O clube lotado de rostos conhecidos & o vizinho, o primo, o padeiro, o padre. No espaço apinhado, não faltam crianças-estudantes, idosos-curiosos, adultos-estudiosos, trabalhadores-entediados. Mais se destaca uma nova figura no centro do espetáculo: o cineclubista. Nas cadeiras de plástico, sobre o chão cuidadosamente varrido, se sentam todos e cada um. Os olhos todos vidrados em um ponto da parede & esperançosos e maravilhados. 5…4…3…2…1… Hoje é dia de cinema. Na sala de exibição, no Interior do Ceará, a pipoca se mistura com a rapadura quando as comunidades visitam um novo mundo. Na tela, pode ser um filme de ficção, um documentário, uma vídeo-aula, um curta-metragem. Pouco importa & hoje é dia de cinema.

O que era um prêmio para uns raros moradores, agora pode se tornar rotina para os habitantes de seis cidades do Ceará. A sétima arte invade o semiárido nordestino em um projeto do Ministério de Cultura (MinC) e traz ao povo cearense um novo hábito: assistir tudo numa tela imensa. Num programa nacional, o MinC selecionou 150 cidades com menos de 20 mil habitantes em todo o Brasil. O destaque ficou por conta dos 50 municípios nordestinos, sendo seis cearenses: Palhano, Meruoca, Salitre, Graça, Baixio e Farias Brito devem ter implantados em breve o seu primeiro cineclube financiado pelo Governo.

Em Pacatuba, município com cerca de 67 mil habitantes, agora é assim: quinta-feira, a partir das 14 horas, é dia e hora de ir para o Teatro Maria Betiza Campos assistir a exibição do Cine Aratanha. De acordo com Gheysa Paiva, assistente da direção do cine, toda semana, mais de 100 pessoas vão aproveitar a nova opção de entretenimento da cidade. O projeto, contemplado em outra seleção do MinC, deu tão certo que, em breve, o Cine Itinerante vai começar a visitar bairros e comunidades próximas a Pacatuba, como Planalto Benjamim e Jereissati II, toda terça-feira. E o melhor de tudo: a entrada é sempre franca.

Entre as cidades cearenses selecionadas dessa vez, duas se destacam na nova vocação cinematográfica. Farias Brito, município caririense com quase 20 mil habitantes, é a terra natal de um dos mais renomados realizadores audiovisuais do Ceará, o cineasta Rosemberg Cariry. O novo cineclube da cidade vai dar a oportunidade para a população fariasbritense de, inclusive, ver no cinema o documentário de estreia do cineasta, Caldeirão de Santa Cruz do Deserto, disponível no catálogo ao lado da obra A Ordem dos penitentes, de Petrus Cariry, filho de Rosemberg. Já o município de Palhano, no Baixo Jaguaribe, recebeu a nota mais alta entre todos os inscritos (9,83 de um máximo de 10), sendo considerada, ao lado da ilha de Itamaracá, em Pernambuco, a mais apta para receber um dos 150 cineclubes.

De acordo com o coordenador executivo do Programa Mais Cultura, Frederico Cardoso, a ideia é a difusão do audiovisual sem fins lucrativos em todo o Brasil. “Os circuitos não-comercial e comercial podem futuramente caminhar juntos e até ajudar um ao outro“, disse, por telefone. O investimento é de R$ 2,25 milhões, por meio do Ministério da Cultura.

E-Mais

>De acordo com o coordenador executivo do programa, a expectativa é que, até o final do ano, estejam instalados 1.600 cineclubes no Brasil. Segundo Frederico Cardoso, o foco é abranger tanto as áreas rurais quanto as periferias dos grandes centros urbanos de todos os estados do País. “Nós tentamos espalhar o máximo possível, em várias partes do país, respeitando as prioridades que se aliam com propostas consistentes“, disse.

>As administrações municipais vão receber kits contendo tela para projeção, projetor multimídia, aparelho de DVD player, mesa de som de quatro canais, duas caixas de som, dois amplificadores, microfone sem fio, dentre outros equipamentos e poderão escolher até 104 DVDs de obras brasileiras do catálogo da Programadora Brasil.

>Além de fornecer equipamento e acervo, o programa realiza oficinas de capacitação cineclubista para qualificar os participantes na realização de programações, divulgação e debates das sessões.

NÚMEROS

492

FILMES FORMAM O CATÁLOGO DISPONÍVEL PARA OS CINECLUBES CONTEMPLADOS

8 e 154

SÃO AS SÉRIES E PROGRAMAS QUE A POPULAÇÃO DOS MUNICÍPIOS PODERÃO DISPOR, ATRAVÉS DO CATÁLOGO DA PROGRAMADORA BRASIL

152

É O NÚMERO DE CINES MAIS CULTURA NO NORDESTE ATUALMENTE. MAIS 230 ESTÃO EM PROCESSO DE INSTALAÇÃO

86

CIDADES FORMAM OS SUPLENTES DO PROGRAMA, SENDO 18 NORDESTINOS,INCLUINDO A CEARENSE VARJOTA, OITAVA SUPLENTE

viaPipoca e rapadura | O POVO Online – Vida & Arte.

Cine+Cultura: Prorrogadas as inscrições do edital do Ceará

Cada um dos projetos selecionados receberá equipamentos de projeção digital, incluindo uma câmera MiniDV e 104 filmes do acervo da Programadora Brasil

A Secult informa que prorrogou as inscrições para o Edital Cine Mais Cultura para cineclubes, que seguem abertas até dia 7 de dezembro de 2009. O edital é uma parceria entre o Ministério da Cultura e o Governo do Estado do Ceará, por meio da Secult, e irá selecionar 45 cineclubes. Cada um dos 45 projetos selecionados receberá equipamentos de projeção digital, incluindo uma câmera MiniDV, 104 filmes do acervo da Programadora Brasil e oficinas de capacitação para a atividade exibidora.

Esses pontos selecionados serão os Cines Mais Cultura – ação que faz parte da Agenda Social do Governo Federal e e atuará sobre o tripé tecnologia digital, conteúdo e capacitação cineclubista. As inscrições são gratuitas e estão abertas até o dia 20 de novembro de 2009. Os interessados poderão conferir o edital no site www.cinemaiscultura.org.br e no site www.secult.ce.gov.br.
Os editais têm como foco pessoas jurídicas sem fins lucrativos e visam contemplar bibliotecas comunitárias, pontos de cultura, associações de moradores e até mesmo escolas e universidades públicas que favoreçam o encontro do público com a produção audiovisual nacional. s propostas selecionadas serão distribuídas igualitariamente pelos 14 (catorze) Fóruns Regionais de Cultura e Turismo do Ceará (anexo X), priorizando os indicadores do Programa Mais Cultura.

Tripé: Tecnologia Digital, Capacitação e Conteúdo
O edital disponibilizará para os novos 45 Cines Mais Cultura, contemplados por este edital de 2009, o equipamento necessário para instalar salas de exibição digitais. São eles: uma tela para projeção de 210 polegadas (4m X 3m), um projetor de vídeo com potência de luz de 2.200 ANSI Lumens, um aparelho leitor de DVD, uma mesa de som de 4 canais, quatro caixas não amplificadas de potência de 250 watts, um amplificador com 1200Wrms de potência, dois microfones sem fio de alcance de 150 metros e uma Câmera Filmadora Digital Mini DV 3CCD ( Panasonic – modelo NV-GS320PL-S) com função Photo shot para tirar fotos no Cartão SD e monitor LCD em cores de 2,7 polegadas wide.

Já as oficinas de capacitação cineclubista têm como objetivo qualificar de maneira prática os participantes para a realização de programação, divulgação e debates das sessões; apoiar a formação dos oficinandos com introduções à história do cinema e linguagem cinematográfica; e oferecer informações sobre questões relevantes e atuais relativas à atividade exibidora como direitos autorais e sustentabilidade. Outra meta é estimular os responsáveis pelos Cines Mais Cultura ao diálogo com a comunidade local para a participação efetiva nas atividades. Esse trabalho será desenvolvido com apoio de um manual de capacitação produzido para o programa, por meio de parceria com o Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros (CNC).

Após receber os equipamentos e a capacitação, os Cines receberão filmes e vídeos do catálogo da Programadora Brasil, programa realizado pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (www.programadorabrasil.org.br). Pela iniciativa, filmes e vídeos nacionais são encartados em DVD e licenciados para exibição pública, por meio de permissão de uso. A Programadora reúne hoje um acervo de 330 obras nacionais, organizados em 103 programas (DVDs). São filmes históricos e contemporâneos, curtas, médias e longas-metragens, de todos os gêneros. Ao longo de dois anos, cada Cine Mais Cultura poderá solicitar até 12 programas por trimestre de trabalho e fazer uma nova solicitação após a entrega dos relatórios das atividades. Os Cines terão que exibir por ano 60% de conteúdo nacional, podendo ser ou não da Programadora Brasil, com total liberdade de escolha dos títulos das suas sessõe

Ceará lança edital para a seleção de 45 Cines Mais Cultura

Iniciativa é fruto da descentralização das ações do Programa Mais Cultura, que integra a Agenda Social do Governo Federal
cine-mais-cultura

Por meio do Programa Mais Cultura, do Ministério da Cultura, o governo do Ceará lança nesta quarta-feira, dia 7 de outubro, edital estadual para selecionar 45 Cines Mais Cultura, com investimento de R$ 675 mil – 66% recursos federais e 33% contrapartida do estado.

O evento acontecerá no Auditório do Centro Cultural Dragão do Mar (Rua Dragão do Mar, 81, Praia de Iracema, Fortaleza), às 19h, e contará com a presença do secretário estadual de Cultura, Auto Filho e da coordenadora de territorialização das ações do Programa Mais Cultura, Selma Santiago, dentre outras autoridades, produtores e artistas locais.

O Cine Mais Cultura é uma ação do Programa Mais Cultura para promover o acesso da população a obras audiovisuais e apoiar a difusão da produção audiovisual brasileira por meio da exibição não comercial de filmes. A prioridade é atender localidades rurais e urbanas que não possuem cinema, localizadas nos Territórios da Cidadania e nas periferias dos grandes centros urbanos.

Apenas 8,7% dos municípios brasileiros possuem salas comerciais de cinema, revela os dados compilados pelo Anuário de Estatísticas Culturais/2009, do Ministério da Cultura.

Edital – Podem concorrer ao edital entidades privadas sem fins lucrativos que desenvolvam ou queiram desenvolver ações de exibição de obras audiovisuais e contribuir para a formação de plateias e o fomento do pensamento crítico, tendo como principal base obras audiovisuais brasileiras.

As inscrições devem ser feitas até o dia 7 de dezembro deste ano e entregues na sede da Secretaria de Estado de Cultura do Ceará ou enviadas por meio da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos – ECT via Sedex ou carta registrada, postados até o último dia de inscrição.

As iniciativas selecionadas receberão kit com telão (4mx3m), aparelho de DVD player, projetor digital, mesa de som de quatro canais, quatro caixas de som, amplificador, dois microfones sem fio, dentre outros equipamentos. Também poderão escolher até 104 DVDs de obras brasileiras do catálogo da Programadora Brasil (filmes de ficção, documentário e animação em curta, média e longa metragens de todas as épocas, para todos os públicos). O acervo completo da Programadora Brasil reúne atualmente 494 obras organizadas em 154 programas (DVDs).

O resultado da seleção será divulgado no Diário Oficial da União, no Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Norte e nas páginas eletrônicas do Programa Mais Cultura, da ação Cine Mais Cultura, da Programadora Brasil, dos Territórios da Cidadania e da Secretaria de estado de Cultura do Ceará.

Capacitação – Além de fornecer equipamentos e acervo, o Cine Mais Cultura realiza oficinas de capacitação cineclubista com o objetivo de qualificar os participantes para a realização de programação, divulgação e debates das sessões; apoiar a formação dos oficinandos com introdução à história do cinema e linguagem cinematográfica; prestar informações sobre questões relevantes e atuais relativas à atividade exibidora, como direitos autorais e sustentabilidade. O trabalho é desenvolvido com apoio de um manual produzido em parceria com o Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros (CNC).

Parceria – O edital estadual é fruto de uma parceria entre o Ministério da Cultura e o governo do estado para a implantação descentralizada das ações do Mais Cultura. O Programa integra a Agenda Social do Governo Federal e marca o reconhecimento da cultura como necessidade básica e importante vetor para o desenvolvimento social, econômico e sustentável do país. Tem como principal objetivo promover o acesso da população aos bens e serviços culturais.

(Rafael Ely, SAI/MinC)

<!–Data: outubro 5th, 2009 @ 17:03

Autor: Editor

Categorias: Notícias, Notícias do Mais Cultura

–>Tags: , ,

Filovídeo e Cineclube Filosofia da UECE

Dois anos de exibição dos Filmes Malditos em Fortaleza

Filmes Malditos – Cinema Underground para cinéfilos notívagos

Edição de aniversário – 2 anos

Há dois anos, surgia os Filmes Malditos da Meia-noite, mostra de cinema que propunha trazer de volta o espírito transgressor das sessões midnights movies dos anos 60. O objetivo seria resgatar e dar espaço a obras não comerciais, que chocassem, divertissem e fossem inovadoras. Despido de qualquer censura, os Filmes Malditos abrangem todos os gêneros e estilos, mas também a subversão deles. O evento se consolidou como encontro mensal de pessoas com interesses afins em cinema underground. Em sua nova fase, a mostra adiciona mais uma novidade: a apresentação de grupos musicais independentes antes do início das sessões.

E nesta edição comemorativa, duas importantes bandas do cenário underground cearense, Joseph K ? e Plastique Noir, abriram a noite para seis clássicos dos Filmes Malditos que foram exibidos novamente. Iniciando a sessão, foi exibido Hedwig and the angry inch, cultuado longa de estréia de John Cameron Mitchell, sobre as agruras do travesti Hedwig e sua banda “polegada irada”. Na seqüência, La cabina, surpreendente média-metragem espanhol em que cabines telefônicas servem de armadilhas para transeuntes de uma praça. Depois, um dos grandes hits dos Malditos: O pasteleiro, muita violência e humor nesta obscura obra do cinema de horror nacional dirigida pelo rei da pornochanchada David Cardoso. Na sequência o punk coprófago GG Allin com Hated documentário que mostra a vida e as antológicas performances nos shows do perturbado e autodestrutivo roqueiro e pra fechar a noite, dois controversos filmes que tratam do polemico tema necrofilia da maneira mais poética: Aftermath, sobre um médico legista e sua doentia adoração por cadáveres e Nekromantik obra-prima do cinema extremo onde um casal mantém uma relação obsessiva com mortos.

Os Filmes Malditos consistem em projeções mensais de obras do panorama da cinematografia obscura. As sessões trazem ao público filmes com temáticas transgressoras, experimentais, ultrajantes, por vezes incompreendidas ou até proibidas. Em tempos de domínio dos chamados “blockbusters”, os Filmes Malditos se configuram como um contraponto a este tipo de cinema hegemônico, trazendo aos olhos do espectador um universo subversivo, fantasioso, polêmico. Inquietantes e radicais essas produções que não se encaixam nas noções comuns do mercado, encontram espaço aqui.

Sinopses dos filmes:

Hedwig and the angry inch (Idem, EUA, 2001, 95 min)
Depois de uma mal sucedida cirurgia de mudança de sexo e um casamento fracassado, jovem foragido de Berlim monta banda Glam nos Estado Unidos

La cabina (1972, ESP, 34 min)
Homem fica preso numa cabine telefônica depois de tentar fazer uma ligação, todos se mobilizam na cidade para tentar ajudá-lo, sem saber de que aquilo se trata de uma sinistra armadilha.

O Pasteleiro (1981, BRA, 38 min)
Um pasteleiro chinês faz sucesso vendendo saborosos pastéis, mas ninguém imagina de onde vem a carne que ele usa em suas receitas

Hated (Idem, 1994, EUA, 52 min)
Documentário sobre o controverso, sujo e violento GG Allin, roqueiro underground que levou a filosofia punk ao extremo. O filme registra suas caóticas e impressionantes apresentações além de mostrar entrevistas com fãs, inimigos, família e sua banda “The Murder Junkies”

Aftermath (Idem. Espanha, 1994. 30 min)
Polêmico exemplar da filmografia espanhola que mostra as atividades secretas de um funcionário de necrotério obcecado por sua profissão.Venceu o prêmio de melhor curta-metragem no Fant-Asia Film Festival, em 1997.

Nekromantik (Idem, ALE, 1987, 71 min)
Robert é funcionário de uma empresa de limpeza que recolhe corpos que tiveram mortes violentas. Em busca de algo interior que ultrapasse seus limites, Bob coleciona resto de órgãos e membros de cadáveres e compartilha com sua esposa um estranho fetiche: a necrofilia. Considerado um dos mais controversos filmes dos anos 80.

As bandas:

Joseph K ?
Surgido no final de 2003, em Fortaleza. O grupo transita pela musica pop e rock pesado, com influencia direta de grupos como The atomic bitchwax, Queens of the atone age e Grand funk. A banda tem duas premissas básicas em seu trabalho: a livre distribuição da música e a troca de energia com o público nos shows.

Plastique Noir
Grupo de pós-punk com influências darkwave, synthpop, industrial, indie e punk. Trazendo na bagagem o pop das últimas décadas, mas atentos à contemporaneidade, usam a nostalgia como ferramenta e a decadência urbana como inspiração. Única banda brasileira convidada para a edição de 2007 do maior festival gótico do mundo, Wave Gotik Treffen, em Leipzig [Alemanha].

Para ver também:
Quaisquer filmes de Alejandro Jodorowsky, John Waters, Pier Paolo Pasolini, Russ Meyer, David Lynch, Jan Svankmajer, Dusan makavejev, Gaspar Noe, Michael Haneke, Takashi Miike, Harmony Korine e George Romero.

Agradecimentos:
Neto Slach, Olindina, Rafael Lucena, Fernando Ramires, Ailton Monteiro, Everton

Produção e curadoria: Alex Oliveira (alexxoliveira@gmail.com)

Adicione o MSN para maiores informações:
filmesmalditos@hotmail.com

Participe da comunidade
: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=39262323

Encontro Cearense de Cineclubes II

Realizado entre 28 e 31 de julho em Fortaleza, dentro da programação oficial do 19.º Festival Ibero Americano Cine Ceará o encontro contou com a participação de uma média de 45 pessoas por dia, em sua maioria representantes de cineclubes de Fortaleza e de outras cidadea do interior do estado.

Organizadas pela diretora da Região NE3 do CNC, Caroline Vieira as mesas contaram com a participação do Presidente do CNC – Conselho Nacional de Cineclubes BrasileirosAntonio Claudino de Jesus, de mais cinco diretores da entidade (João Baptista Pimentel Neto, Saskia Sá, Nelson Marques, Caroline Vieira e Luana Camargo), do Coordenador-Geral de Difusão de Direitos Autorais e de Acesso à Cultura do Ministério da Cultura, Rafael Pereira Oliveira, do Diretor do Museu de Imagem e Som / CE (SECULT/CE), Miguel Ângelo de Azevedo(Nirez), do Coordenador da Escola Pública de Audiovisual da Vila das Artes, Lenildo Gomes, do presidente da ACCV, Duarte Dias, críticos e personalidades do cinema cearense.

Na programação foram debatidos os temas: Memória Cineclubista e Audiovisual, Direitos Autorais X Direitos do Público, Cineclubismo e Educação, Formação de Redes Cineclubistas, Panorama do Cineclubismo no Brasil e no Mundo, etc. E exibidos muitos filmes, quase todos de curta metragem e da produção local.

A organização foi impecável e os convidados recebidos com a habitual competência e hospitalidade cearenses. Pessoalmente (e creio que em nome dos demais diretores do CNC presentes) parabenizo e agradeço a todos da equipe de produção – em especial, a Carolinne Vieira e a Vírginia e aos patrocinadores e apoiadores do Encontro, o Secretário de Estado da Cultura do Ceará, Auto Filho, o Diretor Executivo do Festival Ibero Americano Cine Ceará, Wolney Oliveira, e o Coordenador da Escola Pública de Audiovisual Vila das Artes, Lenildo Gomes.

Boas notícias
Durante o encontro confirmaram-se pelo menos três grandes notícias que merecem ser comemoradas não só pelos cineclubes e cineclubistas cearenses, mas por todo o movimento cineclubista brasileiro.
A primeira foi anunciada pelo representante da Coordenadoria de Direitos Autorais da Secretaria de Políticas Culturais do MinC, Rafael Pereira Oliveira durante a mesa Direitos Autorais X Direitos do Público confirmando que a reivindicação apresentada ao MinC pelo CNC solicitando a inclusão de artigos específicos que garantem os direitos do público e de mecanismos de tratamento diferenciado à atividade cineclubista na proposta de nova lei sobre direitos autorais foi atendida e incorporada ao ante-projeto que será colocada em consulta pública e posteriormente encaminhado ao Congresso Nacional.

Tal notícia demonstra que a Campanha pelos Direitos do Público promovida pelo CNC e que já conta atualmente com apoio de praticamente de todas as entidades do audiovisual brasileiro, somando quase mim adesões, entre entidades internacionais, nacionais, estaduais e locais, e também pessoas físicas, conquista agora o reconhecimento e apoio da Coordenadoria de Direitos Autorais do MinC.

O movimento porém deve se manter atento, mobilizado e participativo ao processo de Consulta Pública da proposta que será consolidada e encaminhada ao Congresso.

Cine+Cultura - Principal

A segunda boa notícia foi anunciada pelo Secretário de Estado da Cultura do Ceará confirmando o lançamento, ainda neste ano, do edital estadualizado da Ação Cine+Cultura para a implantação de 45 novos cineclubes no estado do Ceará.

Esta ação significará a aplicação de cerca de 300 mil reais em apoio ao fortalecimento e a criação de novos cineclubes no estado através do Convênio que será firmado entre o Estado do Ceará e o Ministério da Cultura. Atendendo a reivindicação dos cineclubes cearenses o Secretário assumiu ainda o compromisso de investir mais 100 mil reais no fomento as atividades cineclubistas no Ceará através da liberação de verbas orçamentárias da Secretaria de Estado da Cultura

Finalmente, o Diretor da Região NE3 do CNC, Nelson Marques confirmou a realização de um Encontro Cineclubes do Nordeste dentro da programação do III Goiamun Audiovisual. O encontro acontecerá em Natal (RN) entre 24 e 26 de setembro.

Na minha avaliação o encontro ultrapassou até mesmo as previsões mais otimistas e as notícias são auspiciosas e da maior importância não só para os cineclubes cearenses mas para o todo o movimento cineclubista.

Saudações Cineclubistas


João Baptista Pimentel Neto
Secretário Geral do CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros

Encontro cearense de cineclubes

O 19.º Festival Ibero Americano Cine Ceará, em parceria com A Vila das Artes e o movimento cineclubista cearense “Artivismo em Rede”, convidam V. Sa. a participar do Encontro Cearense de Cineclubes – 2009, um encontro que reunirá diretores executivos do Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros, entre representantes de cineclubes locais, pontos de difusão digital, pontos de cultura, representantes de Prefeituras do estado e interessados em geral, com o objetivo de fortalecer o movimento cineclubista através da criação de um Fórum Permanente de Cineclubes do Ceará.

O evento que acontecerá entre os dias 29 de julho a 01 de agosto, no auditório da Vila das Artes, tem apoio da Secretaria da Cultura do Ceará – SECULT/CE, da Secretaria de Cultura de Fortaleza – SECULTFOR e do Conselho Nacional de Cineclubes – CNC, e contará com a presença de algumas das maiores representações cineclubistas do Brasil, e de Rafael Pereira Oliveira, Coordenador-Geral de Difusão de Direitos Autorais e de Acesso à Cultura do Ministério da Cultura, convidado especialmente para contribuir em discussões sobre Direitos Autorais X Direitos do Público.

Serviço
ENCONTRO CEARENSE DE CINECLUBES – 2009
De 29 de julho a 01 de agosto de 2009.
Local: Auditório da Vila das Artes
Horário: 14h às 18h.
VAGAS LIMITADAS!!!

Inscrições pelo e-mail: artivismoemrede@gmail.com

Mais informações: http://artivismoemrede.ning.com