Arquivo da tag: Cineclubes

Cineclubes de Curitiba

Surya Amitrano*

Surya Amitrano é estudante de Cinema
Surya Amitrano tem 17 anos e mora em Curitiba. É estudante de Cinema

Os cineclubes me fazem lembrar dos grandes nomes da Nouvelle Vague, aquele movimento cinematográfico bonitinho dos anos sessenta. Jean-Luc Godard, François Truffaut, Claude Chabrol e tantos outros costumavam se reunir em cineclubes de Paris para apreciar filmes clássicos e discuti-los.

Para a alegria de nós cinéfilos, este costume ainda existe. Em Curitiba o Cine FAP, o Cineclube SESI e o Cineclube da Cinemateca funcionam a todo vapor. Toda semana há exibição de filmes clássicos e raros, contando com debates ao término de cada sessão.  As portas estão abertas para todos, sejam estudantes de Cinema, cinéfilos ou só alguém que sentiu vontade de assistir alguma coisa diferente. Se você já está meio cansado dos blockbusters dos “cinemas de shopping”, os cineclubes são uma ótima opção!

As sessões que acontecem no Cine FAP são gratuitas, assim como no Cineclube SESI e no Cineclube da Cinemateca (com raras exceções). Muitas das exibições são constituídas por produções paranaenses, incluindo filmes clássicos e contemporâneos, além de produções latino-americanas e  europeias.

Programação

Entre abril e maio, o Cine FAP exibe uma mostra de cinema francês moderno. Acompanhe o restante da programação no blog Cinema em Curitiba.

Já o Cineclube SESI conta exibições das obras do cineasta James Gray, com os filmes “Fuga Para Odessa”, “Caminho Sem Volta”, “Os Donos da Noite” e “Amantes”. Veja a programação completa no site SESI PR.

O Cineclube da Cinemateca exibe filmes de diversos gêneros e estilos, incluindo o documentário paranaense “Um Olhar sobre o Passeio Público”, a biografia do pintor paranaense Miguel Bakun (“Auto Retrato de Bakun”) e ainda o projeto “Animações para Crianças” com a exibição de sete curta-metragens para crianças. Confira o restante da programação na Agenda da Cinemateca.

Informações

Cinemateca de Curitiba
Cinemateca de Curitiba

Cine FAPAuditório Antônio Melilo (R. dos Funcionários, 1.357Cabral). Toda segunda-feira, às 19 horas.

Cineclube SESISala Multiartes do Sistema Fiep (Av. Cândido de Abreu, 200Centro Cívico). Toda quinta-feira, às 19h30. Em maio, haverá o ciclo Cinema Maneirista.

Cineclube da CinematecaCinemateca de Curitiba (R. Pres. Carlos Cavalcanti, 1.174São Francisco).Aos sábados, a cada 15 dias.


Está afim de rever clássicos do cinema, conhecer novas produções e ainda participar de debates sobre tudo isso? Visite um cineclube e conheça um mundo inteiro de cinema!

*Surya Amitrano tem 17 anos e mora em Curitiba. É estudante de Cinema e tem o incrível dom de ser amadora: é atriz amadora, musicista amadora e escritora amadora. Ama todos os tipos de arte e tomate.

Cineclube LECgeo: Filme-debate “Metamorfoses Paisagísticas”

O Cineclube LECgeo convida a todos para mais um filme-debate desenvolvido na UFPE. Desta vez, a sessão apresenta como tema “Metamorfoses Paisagísticas”, onde serão exibido dois filmes distintos, mas com um tema que os une: as transformações nas paisagens advindas do processo de urbanização.

Os filmes que serão debatidos correspondem a produção “Metamorfoses da Paisagem”, dirigido por Eric Rohmer no ano de 1964, e o curta-metragem “Dique”, dirigido por Adalberto Oliveira e lançado em 2012. Na sequência da exibição dos filmes, teremos uma conversa posterior com o diretor Adalberto Oliveira. Segue abaixo as informações detalhadas da exibição.

Tema da sessão: “Metamorfoses paisagísticas”

Metamorfoses da Paisagem

França, 1964, 22′

Direção: Eric Rohmer

Sinopse: Neste importante curta-metragem, o diretor Eric Rohmer levanta questões complexas sobre os significados existentes nas paisagens modernas e suas enigmáticas características funcionais, tais como os canais, as torres e fábricas desertas.

Dique

Recife, 2012, 18′
Direção: Adalberto Oliveira
Sinopse: Curta metragem pernambucano realizado como projeto de conclusão do Curso de Comunicação Social, mostra que onde antes era um cenário paradisíaco, surge uma nova paisagem sonora proporcionada pela urbanização desordenada e caótica de uma cidade dormitório.

Maiores informações: http://diquefilme.blogspot.com.br/

 

Dados da sessão:

Dia: 14/08/2013

Local: Auditório Manuel Correia de Andrade, 3º andar do CFCH

Horário: 18hs

Coordenador da SAv garante que Programa Cine+Cultura será retomado ainda neste ano

cine-mais-culturaConfirmando as previsões deste Observatório, conforme relato divulgado pela Diretoria da FEPEC – Federação Pernanbucana de Cineclubes a dívida do Ministério da Cultura, através da Secretaria do Audiovisual, com os cineclubes inscritos no programa Cine Mais Cultura deverá ser solucionada antes da realização da Jornada Nacional de Cineclubes que acontecerá em novembro, na Bahia, garante o Coordenador de Inovações e Plataformas Audiovisuais (MinC/SAv), Leonardo Rossato, em palestra realizada na última sexta-feira (26), no Recife.

A presença do representante do MinC na cidade fez parte de uma série de encontros promovidos pela unidade regional do Ministério no Nordeste, entre os dias 26 e 29 de julho. Durante a palestra “As políticas da SAv para o setor do Audiovisual”, Rossato falou sobre a atual situação do convênio Cine Mais Cultura com a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), responsável até então pela entrega dos equipamentos aos cineclubes no estado; como também tratou de temas como as novas políticas para o Centro Técnico Audiovisual (CTAv), o Núcleo de Produção Digital (NPD) e a Programadora Brasil, além do Vale Cultura e os editais de fomento.

Em relação ao Cine Mais Cultura, Rossato explicou que atualmente os estados de Pernambuco, Paraíba e São Paulo são a prioridade do governo para solucionar o problema. Os três estados juntos somam 470 cineclubes, em Pernambuco foram 46 contemplados, destes, 43 deram continuidade ao convênio e permanecem aguardando os equipamentos para dar início às atividades cineclubistas. O edital do convênio Cine Mais Cultura em Pernambuco foi lançado em 2009.

No caso de Pernambuco, o ministério está em negociação com a Fundarpe e até o fim de agosto, segundo Rossato, o contrato será finalizado. O ministério repassará o dinheiro, já em caixa, via Fundo Nacional de Cultura (FNC), à Fundarpe, para a compra dos 43 kits com equipamentos. A distribuição para os contemplados e outras demandas relacionadas irão compor parte da contrapartida, não finalizada, mas já em estudo pela fundação regional.

1143010948_teia_final_450De acordo com o representante do MinC, a nova equipe que compõe a SAv – alguns vindos originariamente do movimento cineclubista, a exemplo de Rossato – busca tratar os cineclubes como uma cadeia exibidora, reconhecendo o valor destes espaços para a disseminação e fortalecimento da cultura audiovisual brasileira. Para isso está em estudo um redesenho das atividades da Programadora Brasil. A ideia é criar plataformas de acesso virtual do conteúdo disponível na Programadora.

Por outro lado, a política de formação será ampliada com a criação de mais cinco NPDs, agora voltados para os cursos online. Hoje existem 13 NPDs no Brasil. A ampliação dos NPDs garantirá uma retomada da função do CTAv. A SAv também pretende multiplicar a política de preservação que já existe na Cinemateca Brasileira. “As casas da SAv são o CTAv e a Cinemateca Brasileira. O que pretendemos é encontrar uma forma de acessar os financiamentos via Fundo Setorial do Audiovisual para melhorar as políticas voltadas para os cineclubes e os pontos de cultura audiovisual”, declarou Rossato.

O representante do MinC destacou ainda a importância da discussão sobre o Vale Cultura no momento atual. E sugeriu ao movimento cineclubista e aos pontos de cultura, maior articulação e debate sobre o assunto para que a demanda chegue ao Ministério de maneira mais efetiva e consolidada. Sobre os editais de fomento serão mantidos apenas três: o DOCTv, o Curta Criança e o Curta Animação, todos via Empresa Brasileira de Comunicação (EBC).

Participaram da palestra cineclubistas e realizadores, entre eles, os membros da diretoria da FEPEC, Gê Carvalho (Presidente), Gabriela Saldanha (Coordenadora de Comunicação) e Marcone Alves (Conselheiro Fiscal)

Cineclube Cinemartecultura em Manaus

Cineclube Cinemartecultura1A Secretaria de Estado da Cultura do Amazonas, através do Departamento de Difusão Cultural, convida você e sua família para que assistam às sessões do Cineclube Cinemartecultura.

Estamos trabalhando com sessões experimentais para aumentar o alcance de público.

Nesta semana apresentamos a seguinte programação:

Cineclube Cinemartecultura.

O Cineteatro Guarany fica localizado no prédio da Vila Ninita, ao lado do Centro Cultural Palácio Rio Negro, na Avenida Sete de Setembro, 1546. Telefone: 3622-2224.
Venha e traga sua família e os amigos.
O cinema é a luz do portal da alma.
 
Governo do Estado do Amazonas
Secretaria de Estado da Cultura
Departamento de Difusão Cultural
Telefone: (92) 3622-2224
E-mail Principal: dtdifusao@gmail.com
E-mail do Projeto Cinemarte Cultura: cinemartecultura1@gmail.com

Tiro de Gracia no Cineclube Cinelatino de Foz do Iguaçu

Cinelatino 31 de julhoO Cineclube Cinelatino exibe nesta quarta-feira (31) o  filme Tiro de Gracia (1960), um dos mais emblemáticos filmes argentinos da época, que faz parte do chamado Grupo de los cinco. O filme, do diretor Ricardo Becher, reconstrói o contexto sociopolítico da Argentina, retratando a boemia de uma certa juventude portenha de classe média, incluindo os seus dilemas e crises existenciais. A sessão acontece às 19h30, no Cine Boulevard, localizado na Av. das Cataratas, 1.118. A entrada é franca.

“O filme é uma transposição do livro homônimo de Sergio Mullet, e foi lançado um mês antes desta obra literária, com diferenças internas na trama, personagens e no final proposto”, diz Eduardo Dias Fonseca, professor de Cinema e Audiovisual da UNILA e debatedor convidado da sessão.

O filme retrata um grupo de jovens e suas questões sentimentais, suas conversas de bar e suas festas. “Rende uma quase homenagem ao Bar Moderno, na Calle Maipu 918, em Buenos Aires, Argentina, uma espécie de templo de uma parte da geração do final dos anos 1960, que frequentava a Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Buenos Aires”, analisa Eduardo, que é Mestre em Artes pela Universidade Federal de Minas Gerais.
Cinelatino

O Cineclube Cinelatino, que acontece todas as últimas quartas-feiras do mês, é um projeto de extensão do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), com objetivo de estreitar a relação da comunidade da região da Tríplice fronteira, a partir da exibição e debate de produções cinematográficas latino-americanas.

Tiro de Gracia
Direção e roteiro: Ricardo Becher. Gênero: Drama. Duração: 101 min. Ano: 1969

Sinopse
Na virada dos anos 1960 para os 70, um grupo de jovens artistas perambula pelas noites, bares e ruas da cidade de Buenos Aires tentando afastar-se da sociedade burguesa e de suas regras. Como manifestação de rebeldia, recusa-se a trabalhar e, entregando-se à boêmia, revela os símbolos e os segredos de sua geração.

Cineclube Cinelatino
Iguassu Boulevard
Avenida das Cataratas, 1.118
Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil

Entrada franca
Sessão: 19h30
Periodicidade: toda última quarta-feira do mês

* Transporte para alunos da UNILA – Nesta sessão haverá transporte gratuito para os alunos da UNILA das 18h30 às 19h, com saída do Pietro Angelo Hotel, mediante apresentação de credencial da UNILA. O Pietro Angelo Hotel fica na Rua Almirante Barroso, 1864, Centro. Havendo hóspedes para serem transportados do hotel para o Iguassu Boulevard, esses terão prioridade, sendo que a lotação da van poderá ser completada com os alunos da UNILA. Em caso de dúvidas, entrar em contato com Sr. Jefferson Amorim. Tel.: 3545-4500

Carta Aberta do Movimento Cineclubista do Pará

CARTA ABERTA DO MOVIMENTO CINECLUBISTA DO PARÁ AO GOVERNO DO ESTADO, AO CONSELHO NACIONAL DE CINECLUBES E A SECRETÁRIA DO AUDIOVISUAL
Belém, 19 de Agosto de 2009

Atualizada, Fórum Paraense de Pontos de Cultura – Teia da Cultura Amazônica / GT Audiovisual,
Belém 05 de Março de 2010

Prezados senhores,

Saudamos aos participantes do CNC – Conselho Nacional de Cineclubes, ao mesmo tempo em que lançamos essa carta aberta com intuito de somar, de compartilhar e sugerirmos idéias que visam o fortalecimento do audiovisual em nosso Estado.

Fazemos parte de um grupo denominado “CRN – Cineclube Rede Norte/Pará” que reúne 9 cineclubes com forte atuação na capital e no Estado. Estamos nos organizando em rede exatamente por entender que somente com a cultura colaborativista, poderemos tratar da questão do audiovisual como uma teia. E sabemos que o papel dos exibidores ainda precisa ser melhor entendido e respeitado como sendo de fundamental importância na cadeia produtiva dessa linguagem.

A experiência da troca de conteúdos e vivências proporcionada pela participação nos DIÁLOGOS CINECLUBISTAS – A fala das práticas – Relatos de experiências e rodas de diálogos, evento livre, democrático e independente, realizado nos dias 17, 18 e 19 de agosto de 2009 em locais onde são desenvolvidas as mais diversas praticas cineclubistas em Belém e em Ananindeua-Pará, trouxe para os seus participantes a certeza de que o CINECLUBE é um espaço de construção de aprendizados e diálogos democráticos e necessariamente uma ferramenta educativa capaz de formar consciências e
culturas poéticas e visuais, pelas quais o ser humano pode vir a criar e a produzir um novo pensamento, assim como a arte na sua plenitude política e libertária.

Nesse sentido, nós, abaixo-assinados, realizadores, produtores e técnicos, atores e atrizes, cineclubistas, críticos e pesquisadores, exibidores e amantes do cinema, representantes de projetos e organizações com forte atuação em Belém e em Ananindeua, resolvemos tornar pública a CARTA ABERTA DO MOVIMENTO CINECLUBISTA DO PARÁ, com o objetivo de refletir, compartilhar e sugerir idéias e propostas para fortalecer o cinema, o audiovisual e o cineclubismo no Estado do Pará.

CONSIDERANDO:
• Que a dimensão continental e a diversidade cultural amazônidas são fatores que devem ser referenciados de forma a que sejam rompidas as amarras impostas pelo processo colonizador que cria padrões culturais e mediáticos – internacional e nacional -, que dificulta o direito à produção do conhecimento pelos povos de nossa Região;
• Que a produção e a difusão audiovisual que considerem identidades e modos de vida na Amazônia são premissas básicas para que instauremos um processo de construção de novas perspectivas poéticas e visuais capazes de fazer frente às referências audiovisuais impostas pela indústria cultural;
• Que é inalienável o direito dos realizadores paraenses garantirem que os seus filmes sejam vistos pela comunidade, do mesmo modo que é também inalienável o direito do povo paraense e amazônida de ter acesso às obras cinematográficas e reflexões críticas produzidas na Região e no mundo;
• Que esta consciência também é uma garantia de fortalecimento do atual momento, pelo resgate da memória do cinema e do imaginário de si mesmo;
• Que o atual estágio de amadurecimento coletivo das organizações culturais autônomas amazônidas está em sintonia com o avanço dos movimentos sociais;
• Que o CINECLUBE tem características colaborativas e solidárias, pelo que as suas atividades são desenvolvidas de forma democrática, mediante compromisso ético e cultural, sem fins lucrativos;
• Que as ações de caráter cineclubista dependem de atores voluntários que não economizam esforços para realizar as suas intervenções, na medida em que são amantes do cinema e acreditam na construção de uma cultura visual poética e estética capaz de propor a reflexão crítica amazônida e democratizar a cultura cinematográfica mundial;

• Que os praticantes do cineclubismo consolidam e ampliam os circuitos de exibição e fortalecem uma cadeia produtiva (audiovisual e intelectual) solidária, com investimento na economia local, de modo que para as práticas cineclubistas são fundamentais e para a divulgação das obras cinematográficas, na medida em que as tornam conhecidas da comunidade.

PROPOMOS:
1. Apoio a campanhas e iniciativas promovidas pela Federação Internacional de Cineclubes (FICC) e pelo Conselho Nacional de Cineclubes (CNC);
2. Implementação de políticas públicas de fomento e fortalecimento da atividade cineclubista no Estado de Pará;
3. Estadualização dos editais nacionais do audiovisual;
4. Inclusão de ações de fomento à atividade cineclubista no Plano Estadual de Cultura e nos editais que venham a ser lançados no campo audiovisual paraense;
5. Inclusão da participação de pessoas físicas em editais cineclubistas (o fomento estatal deve assimilar à dinâmica e a complexidade cineclubista como um movimento que não necessariamente está vinculado a entidade com corpo jurídico consolidado);
6. Criação da bolsa-cineclube;
7. Criação de bolsas de pesquisa em cinema e cineclubismo;
8. As ações governamentais devem necessariamente interiorizar as ações cineclubistas;
9. Fortalecimento da Rede Paraense de Cineclubes, fazendo distribuir informação, artigos, cartas, manifestos e vídeos em redes sociais, listas de discussão de redes afins, estreitando a comunicação entre outras redes de cineclubes na Região Amazônica e do mundo;
10. Criação da Comissão Organizadora da JORNADA PARAENSE DE CINECLUBES, com designação de autonomia para desenvolver uma proposta estrutural de realização da mesma;
11. Criação da Federação Paraense de Cineclubes;
12. Apoio as organizações sociais que desenvolvem ações cineclubistas no Estado do Pará;
13. Estímulo à criação e acompanhamento de novos cineclubes, dentro de uma política de economia solidária, embutida em uma estrutura de formação, pesquisa, reflexão, produção, exibição, distribuição e preservação da cultura audiovisual paraense e amazônida;
14. Apoio à deslocamento para participação dos cineclubes paraenses nos eventos estaduais, nacionais e internacionais;
15. Investimento em publicações referentes ao movimento cineclubista, como artigos, críticas e material impresso de divulgação coletiva das programações;
16. Investimento no Circuito Paraense de Cinema em toda a rede de cineclubes, estadual, nacional e internacional, em parcerias diretas com instituições e empresas;
17. Investimento na distribuição e exibição do acervo de produções do audiovisual paraense e amazônida;
18. Digitalização e disponibilização à comunidade, inclusive pela inernet, do acervo do Museu de Imagem e Som – MIS;
19. Promover intercâmbios para fortalecer a rede solidária cineclubista;
20. Inclusão das organizações de cineclubes nos colegiados de decisão das políticas públicas do setor cultural;
21. Participação das organizações de cineclubes nos espaços públicos cinematográficos (Cine- Teatro Líbero Luxardo, Maria Silva Nunes, Cine Acyr Castro e Cinema Olímpia);
22. Inclusão de propostas cineclubistas em projetos como Escola Aberta e outros desta natureza;
23. Criação da CINEMATECA DO PARÁ, com estrutura para consulta e empréstimo de acervo, assim como a criação de um banco de memória e da história do audiovisual e do cineclubismo paraense.
24. Estímulo às práticas cineclubistas em espaços urbanos (praças, ruas, feiras);
25. Investimento em circuitos cineclubistas com a produção audiovisual desenvolvida pelas comunidades paraenses;
26. Fomento aos circuitos cineclubistas itinerantes;
27. Estímulo à produção e difusão cineclubista de filmes destinados ao público infantil;
28. Estímulo à produção e difusão cineclubista de filmes que tenham como tema as comunidades tradicionais;
29. Uso da licença “CREATIVE COMMONS” como política de fomento à produção audiovisual;
30. Distribuição em “CREATIVE COMMONS” dos produtos audiovisuais resultantes de fomentos estatal;
31. Fortalecimento de experiências cineclubistas desenvolvidas no âmbito da administração pública, como o CINE-UEPA, CINE-EGPA, CINE PEDRO VERIANO, SESSÃO CULT, e outras;
32. Investimento para o MAPEAMENTO da produção audiovisual e das práticas cineclubistas paraenses.

ENCAMINHAMENTOS:
• Apresentação e discussão da CARTA ABERTA DO MOVIMENTO CINECLUBISTA DO PARÁ com os gestores da administração;
• Divulgação CARTA ABERTA DO MOVIMENTO CINECLUBISTA DO PARÁ por todos os meios possíveis;
• Convocação do movimento cineclubista paraense para a instauração da Comissão Organizadora da JORNADA PARAENSE DE CINECLUBES, com designação de autonomia para desenvolver uma proposta estrutural de realização da mesma, conforme pauta já discutida e definida coletivamente por este movimento, e pactuada por todos os setores para o dia 11 de setembro de 2009, às 15 horas, na Casa da Linguagem.
Independentemente destas propostas que formulamos para que as mesmas sejam levadas ao debate da sociedade e apresentadas aos gestores das instituições públicas culturais bem como a empresas que têm responsabilidade e compromisso com a formação da comunidade, a CARTA ABERTA DO MOVIMENTO CINECLUBISTA DO PARÁ está aberta para novas adesões e construção de novas propostas.

Belém, 19 de Agosto de 2009

Assinam a CARTA ABERTA DO MOVIMENTO CINECLUBISTA DO PARÁ
Cineclubes:
1. CINECLUBE ALIANÇA FRANCESA
2. CINECLUBE AMAZONAS DOURO
3. CINECLUBE ARGONAUTAS
4. CINECLUBE CENTRO CULTURAL BRASIL ESTADOS UNIDOS (CINE CCBEU)
5. CINECLUBE CINEMA NA UTOPIA
6. CINECLUBE CORREDOR POLONÊS
7. CINE MÃE NANGETU
8. CINECLUBE REDE APARELHO
9. CINE MOCULMA
Projetos:
10. PROJETO AZUELAR
11. PROJETO CINEMA DE RUA
12. PROJETO IDADE MÍDIA
13. PROJETO MAZAGÃO
14. PROJETO RESISTÊNCIA MARAJOARA
15. REVISTA PARÁ ZERO ZERO
Organizações:
16. ARGONAUTAS AMBIENTALISTAS DA AMAZÔNIA
17. ASSOCIAÇÃO PARAENSE DE JOVENS CRÍTICOS DE CINEMA (APJCC)
18. CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO POPULAR (CEPEPO)
19. COLETIVO MARGINÁLIA
20. FÓRUM DOS POVOS E DAS COMUNIDADES TRADICIONAIS
21. INSTITUTO NANGETU DE TRADIÇÃO AFRO-RELIGIOSA E DESENOLVIMENTO SOCIAL
22. MOVIMENTO CULTURAL DA MARAMBAIA – MOCULMA
23. PONTO DE CULTURA ANANIN
24. PONTÃO DE CULTURA REDE AMAZÔNICA DE PROTAGONISMO JUVENIL
25. CRN – CIJNECLUBE REDE NORTE

Cine+Cultura: Em Alagoas inscrições vão até dia 6

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult) lançou o edital Cine Mais Cultura, ação do Programa Mais Cultura, do Governo Federal. O Edital visa apoiar a difusão da produção audiovisual brasileira, principalmente em áreas de vulnerabilidade social, rurais e urbanas, que não possuem salas de cinema.

Assim, o Cine Mais Cultura contribuirá para a formação intelectual, social e cultural dos brasileiros. Serão selecionadas 15 projetos, que receberão kit com telão (4m x 3m), aparelho de DVD player, projetor digital, mesa de som de quatro canais, quatro caixas de som, amplificador, dois microfones sem fio, dentre outros equipamentos. O investimento é de R$ 225 mil, sendo 66% advindos de recursos federais e 33% do governo estadual.

Para ajudar na democratização do acesso a essa produção, o Cine Mais Cultura irá disponibilizar o acervo cedido pela Programadora Brasil, com cerca de 500 obras, entre elas filmes de ficção, documentário e animação em curta, média e longa metragens. Além de fornecer equipamentos e acervo, o Cine Mais Cultura realiza oficinas de capacitação cineclubista com a finalidade de qualificar os participantes para a realização de programação, divulgação e debates das sessões.

As inscrições para o Cine Mais Cultura estarão abertas até o dia 6 de março. Podem participar pessoas jurídicas sem fins lucrativos (Ong´s, associações, pontos de cultura, cineclubes, companhias de teatro, etc). As fichas de inscrição e o edital estão disponíveis nas páginas eletrônicas do Ministério da Cultura (www.cultura.gov.br), do Programa Mais Cultura (www.mais.cultura.gov.br) e da Secretaria de Estado da Cultura (www.secult.al.gov.br). O preenchimento é simples, não deixe de se inscrever e repassar a informação!

Fonte: Assessoria

Cine+Cultura Bahia

Cine Mais Cultura realiza inscrições até 15 de março

IRDEB (BA) – 25/02/2010

http://www.irdeb.ba.gov.br/evolucaohiphop/?tag=cine-mais-cultura

Entidades privadas sem fins lucrativos abertas à execução de projetos cinematográficos podem concorrer ao edital do Ministério da Cultura “Cine Mais Cultura”, que visa à formação de novos consumidores e críticos do cinema nacional.

Os profissionais ou empresas da área, interessados em realizar projetos de exibições cinematográficas em zonas rurais ou regiões sem salas de cinema, são contemplados com kit contendo telão (4mx3m), aparelho de DVD player, projetor digital, dois microfones sem fio, mesa de som de quatro canais, quatro caixas de som, amplificador, dentre outros equipamentos.

Cine+Cultura Ceará

Cine Mais Cultura:

Conheça a lista dos 41 novos cineclubes no Ceará


PostDateIcon fevereiro 17th, 2010 | PostAuthorIcon Author: Circuito Cultural

O edital contemplou projetos de 41 cidades, sendo três de Fortaleza e o restante do interior

A Secretaria da Cultura do Estado, em parceria com o Ministério da Cultura, selecionou 45 projetos para implantação e modernização de núcleos de exibição cinematográfica não comercial no Ceará, por meio do edital Cine Mais Cultura. A lista com os 45 selecionados e outros 25 suplentes já está disponível no site da Secult, na sessão de editais (http://www.secult.ce.gov.br/categoria1)

Com o objetivo de democratizar e regionalizar a difusão do audiovisual, o edital contemplou projetos de 41 cidades, sendo três de Fortaleza e o restante do interior (Ver relação completa abaixo). Além destes, outros 25 projetos foram selecionados como suplentes.

O objetivo do edital é ampliar a rede de exibidores não comerciais de filmes nacionais. Cada projeto selecionado receberá equipamentos de projeção digital, incluindo uma câmera MiniDV, obras do acervo da Programadora Brasil e oficinas de capacitação para a atividade exibidora.

Esses pontos selecionados serão os Cines Mais Cultura – ação que faz parte da Agenda Social do Governo Federal e atuará sobre o tripé tecnologia digital, conteúdo e capacitação cineclubista.

Os edital teve como foco pessoas jurídicas sem fins lucrativos e visam contemplar bibliotecas comunitárias, pontos de cultura, associações de moradores e até mesmo escolas e universidades públicas que favoreçam o encontro do público com a produção audiovisual nacional.

A lista com os selecionados está disponível no site da SecultCE – www.secult.ce.gov.br.

Cidades contempladas:

Itatira, Jardim, Antonina do Norte, Limoeiro do Norte, Russas, Nova Russas, Tauá, Irauçuba, Barro, Tabuleiro do Norte (2), Senador Pompeu (2), Tianguá, Morada Nova, São João do Jaguaribe, General Sampai, Ibiapina, Jaguaruana, Caucaia, Brejo Santo, Apuiarés, Independência, Icapuí, Fortaleza (3), Jaguaribara, Cariús, Milagres, Iguatu, Ocara, Cruz, Chorozinho, Pacatuba, Granja, Paraipaba, Hidrolândia e Trairi.

Tripé: Tecnologia Digital, Capacitação e Conteúdo

O edital disponibilizará para os novos 45 Cines Mais Cultura, contemplados por este edital de 2009, o equipamento necessário para instalar salas de exibição digitais. São eles: uma tela para projeção de 210 polegadas (4m X 3m), um projetor de vídeo com potência de luz de 2.200 ANSI Lumens, um aparelho leitor de DVD, uma mesa de som de 4 canais, quatro caixas não amplificadas de potência de 250 watts, um amplificador com 1200Wrms de potência, dois microfones sem fio de alcance de 150 metros e uma Câmera Filmadora Digital Mini DV 3CCD ( Panasonic – modelo NV-GS320PL-S) com função Photo shot para tirar fotos no Cartão SD e monitor LCD em cores de 2,7 polegadas wide.

Já as oficinas de capacitação cineclubista têm como objetivo qualificar de maneira prática os participantes para a realização de programação, divulgação e debates das sessões; apoiar a formação dos oficinandos com introduções à história do cinema e linguagem cinematográfica; e oferecer informações sobre questões relevantes e atuais relativas à atividade exibidora como direitos autorais e sustentabilidade. Outra meta é estimular os responsáveis pelos Cines Mais Cultura ao diálogo com a comunidade local para a participação efetiva nas atividades. Esse trabalho será desenvolvido com apoio de um manual de capacitação produzido para o programa, por meio de parceria com o Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros (CNC).

Após receber os equipamentos e a capacitação, os Cines receberão filmes e vídeos do catálogo da Programadora Brasil, programa realizado pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (www.programadorabrasil.org.br). Pela iniciativa, filmes e vídeos nacionais são encartados em DVD e licenciados para exibição pública, por meio de permissão de uso. A Programadora reúne hoje um acervo de 330 obras nacionais, organizados em 103 programas (DVDs). São filmes históricos e contemporâneos, curtas, médias e longas-metragens, de todos os gêneros. Ao longo de dois anos, cada Cine Mais Cultura poderá solicitar até 12 programas por trimestre de trabalho e fazer uma nova solicitação após a entrega dos relatórios das atividades. Os Cines terão que exibir por ano 60% de conteúdo nacional, podendo ser ou não da Programadora Brasil, com total liberdade de escolha dos títulos das suas sessões.

Fonte: http://www.secult.ce.gov.br/noticias/resultado-final-cine-mais-cultura-divulga-lista-de-1

Cineclube da Fapespa exibe itinerância online

Cinema como ferramento educacional e a formação cineclubista em pólos do estado. Essas são os objetivos do Inovacine-Fapespa, que na última quinta-feira, dia 18, com a exibição de “Barravento”, deu início à fase de itinerância por várias localidades.

Os infocentros do Programa Navega Pará se ligam na exibição do Inovacine-Fapespa, através do site www.webtv.pa.gov.br, onde amanhã, a partir das 20h pode-se assistir e participar de uma sessão cineclubista online no Pontão de Cultura do Instituto Saúde e Alegria, com a exibição do filme “Sede de Sangue”, de Park Chan-Wook.

Além de vídeos-conferências, o Inovacine traz até Santarém filmes de realizadores paraenses e uma oficina de formação cineclubista, que aborda aspectos históricos e teóricos da arte cinematográfica com o objetivo de preparar dinamizadores de sessões que serão estimuladas nos infocentros e pontos de cultura.

De acordo com Mateus Moura (APJCC), além dos usuários de infocentros, qualquer internauta poderá interagir com a aula online e enviar perguntas por um chat moderado pela assessoria de comunicação da Fundação. “Nós receberemos os questionamentos presenciais e virtuais e de seguida os colocaremos na roda, de forma a radicalizar a democratização do audiovisual, linkando simultaneamente quem está presente na sessão cineclubista, em Santarém, às margens do Tapajós, com todos os amantes do cinema mundial, estejam eles no centro ou em outras margens destes processos”, afirma.

INICIAÇÃO CINECLUBISTA

Resultado de uma parceria entre a Fapespa e a Associação Paraense de Jovens Críticos de Cinema (APJCC), o projeto inicialmente se desenvolve em Santarém, mas ainda pretende aportar, pela ordem, em Ananindeua e Bragança (março), Altamira (abril) e Marabá (maio). Ao todo serão cerca de dez sessões, só em Santarém. Na primeira fase, o Inovacine realizou sete sessões, projetou e discutiu dez filmes no espaço cultural Ná Figueredo, em Belém. O cinema brasileiro, o cinema documental e o cinema local continuam as linhas norteadoras, mas não totalitárias da programação.

Os filmes continuam sob a curadoria da APJCC e as sessões, abertas ao público. Ao fim das mesmas, acontece uma conversa com o público presente às sessões. Todos estes debates estão sendo gravados e serão editados em uma brochura que será lançada durante um seminário que vai discutir o cinema na Amazônia.

SERVIÇO

Projeto Itinerante Inovacine-Fapespa.

Local: Através do site www.webtv.pa.gov.br

Informações: (91) 4009 2514

viaDiário do Pará ::::.