Arquivo da tag: Festivais Iberoamericanos

13º FIKE – Festival Internacional de Curtas Metragens

fike2Quarenta e oito filmes de 17 países estarão em competição na13º edição do FIKE – Festival Internacional de Curtas Metragens, que decorrerá entre os dias de 9 e 13 de junho nas cidades de Évora, Beja e Portalegre.

Segundo a organização, as curtas-metragens que disputam a competição internacional nas categorias de Ficção, Documentário e Animação, são provenientes da Argentina, Israel, Austrália, Tunísia, Vietnam, Camboja, Rússia, Polónia, Eslováquia, Alemanha, Bélgica, França, Suécia, Suíça, Itália, Espanha e Portugal, que conta este ano com onze curtas (5 filmes de animação, 1 documentário e 5 obras de animação) a disputar os troféus do festival.

O FIKE 2015 conta com cerca de 40 estreias internacionais. Ao todo, estarão em exibição mais de 100 filmes, em competição e nas mostras paralelas. As sessões decorrerão no Auditório da Universidade de Évora, no Teatro Pax Julia, em Beja, e no Centro de Artes do Espectáculo de Portalegre.

O Júri Oficial do festival integra este ano a actriz portuguesa Adelaide Teixeira, o italiano Carlo Dessi, director artístico do SFF – Sardinia Film Festival, e o músico norte-americano e compositor de bandas sonoras Nik Phelps.

O FIKE tem como director João Paulo Macedo e é promovido pela SOIR – Sociedade de Instrução e Recreio Joaquim António de Aguiar, Associação “Lua aos Quadradinhos”, pelo Cine Clube da Universidade de Évora em parceria com a Estação Imagem e associação cultural bejense Lêndias d’Encantar.

“Fitas” públicas no cinema comercial

No final do mês em curso, a cidade ficou a saber que o cinema comercial pode estar de regresso. A Câmara Municipal de Évora aprovou (votos favoráveis da CDU e do PSD e abstenção do PS) duas propostas que, segundo a autarquia, permitem o retorno do cinema comercial à cidade. A primeira diz respeito à constituição de lote para instalação de um cinema em terrenos anexos ao Terminal Rodoviário e a segunda incide na atribuição desse lote à firma Algarcine – Empresa de Cinemas.

Diz a CME que “por forma a agilizar prazos para a fruição do equipamento pela população e atendendo à necessidade de ser garantida uma solução urbanística e arquitetónica de qualidade, tendo em conta a localização do terreno, irão os serviços municipais a elaborar o Projeto Base de Arquitetura (Ante Projeto) do edifício, naturalmente dando resposta aos requisitos técnicos e layout a definir pelo futuro adquirente”. A cedência do lote é exclusivamente destinada à construção de cinema, sob pena de reverter para a Câmara caso a finalidade seja alterada.

“Esta é a forma da autarquia procurar responder a um problema da cidade, uma vez que não dispõe de verba para recuperação ou construção de tal equipamento, prevendo o promotor que a breve prazo o cinema, constituído por três salas, entre em funcionamento”, pode ler-se num comunicado da CME.

A Algarcine possui quatro cinemas no Algarve e dois no Alentejo. Évora viu encerrar, em 2009, as únicas duas salas de cinema em funcionamento na cidade

A abstenção socialista teve direito a declaração de voto: «Abstivemo-nos nesta proposta de atribuição de um lote à empresa Algarcine para a construção de um cinema em Évora, partindo do princípio até de que se trata de cinema dito comercial que à data não existe em Évora, porque não queremos inviabilizar a possibilidade de os Eborenses usufruírem desta actividade de lazer. Esta proposta vem, aliás, comprovar que, ao contrário do que muito se quis fazer crer aos Eborenses, actualmente o cinema comercial só se pode constituir como uma actividade regular e consistente pela iniciativa privada. No entanto, a proposta enferma de algumas zonas menos claras e não suficientemente esclarecidas (…) Tratando-se de uma iniciativa privada, poderíamos enquanto responsáveis pela gestão pública de bens públicos não nos meter nesse assunto e deixar a preocupação com o futuro do negócio a quem vai fazer esse negócio. Ainda assim, a proposta pressupõe um apoio público que, se agora se constitui como apoio à iniciativa, importa equacionar no que pode acontecer no caso da iniciativa, privada, se gorar no futuro.”

Marionetas adiadas para 2016

Noutros sectores da actividade cultural em Évora, o destaque pela confirmação recente do adiamento da edição deste ano da Bienal Internacional de Marionetas de Évora (BIME), prevista para Junho. Por de financiamento atempado de fundos comunitários, Centro Dramático de Évora (CENDREV) anunciou que a 13.ª edição será realizada apenas em 2016. “Os Bonecos de Santo Aleixo são os dignos anfitriões da festa das marionetas que a cidade Património Mundial já se habituou a viver, daí que não seria esta a notícia que gostaríamos de dar, mas os caminhos tortuosos porque passa a cultura no nosso país, determinados seguramente pela malfadada crise, empurraram-nos para esta decisão: não haverá BIME este ano, mas queremos anunciar simultaneamente a concretização da sua 13ª edição em 2016, de 31 de Maio a 5 de Junho e o acerto do calendário da BIME com a 14ª edição, de 30 de Maio a 4 de Junho de 2017. Este compromisso é possível devido ao acordo firmado entre o Cendrev, a Câmara Municipal de Évora, a Entidade Regional de Turismo e a Direcção Regional de Cultura do Alentejo”, refere um comunicado da organização da BIME

12ª FIKE Festival Internacional de Curtas Metragens

fikeA 12ª edição do FIKE (Festival Internacional de Curtas Metragens) vai decorrer entre 21 e 25 de Outubro, simultaneamente nas cidades de Évora e Beja – anunciou o director do festival, João Paulo Macedo, nesta segunda-feira, 8 de Setembro.

O FIKE 2014 contará entre outras participações, com Patrícia Casey. A produtora do primeiro filme dos Monty Python, “And Now for Something Completely Different”, de 1971, fará durante o certame, uma Master Class sobre produção cinematográfica.

Este ano, inscreveram-se para a pré-selecção no festival, 1004 filmes, originários de 44 países, sendo a Ficção a categoria mais concorrida, com 533 curtas-metragens. A animação com 179, documentário 265 e 27 filmes de outras categorias. Dos filmes inscritos 136 são primeiras obras de jovens realizadores.

O Prémio D. Quixote, um dos galardões a atribuir novamente, será nomeado por um júri da Federação Internacional de Cine Clubes, cuja rede de festivais parceiros o FIKE integra desde 2003.

FIKE1O FIKE 2014 é promovido, como habitualmente, pela Sociedade de Instrução e Recreio Joaquim António de Aguiar, pelo Cine Clube da Universidade de Évora em parceria com a Estação Imagem e Associação cultural bejense Lêndeas d’Encantar.

Esta 12ª edição tem o apoio do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA) e da Direção Regional de Cultura do Alentejo / Governo de Portugal, Município de Évora, bem como da Universidade de Évora (UE), que desde a primeira hora vem emprestando o seu valioso contributo.

O FIKE – Festival Internacional de Curtas-metragens, integra-se no projecto IMAGINÁRIOS AO SUL, que engloba o Festival de Teatro de Amadores de Évora, o Festival Raízes do Som e o Festival Internacional de Teatro do Alentejo. Organizados pelo Cineclube de Évora, Sociedade de Instrução e Recreio Joaquim António de Aguiar, a associação cultural bejense Lêndias d’Encantar e a Associação Lua Aos Quadradinhos. Um projecto pluridisciplinar, com atuação nos centros históricos de Évora Beja, que visa aliar novas vivências do património através de actividades culturais, formação de públicos, capacitação e envolvimento de outros agentes com a intensificação de hábitos e prática de consumos culturais. Trata-se de uma iniciativa QREN, apoiada no âmbito do INALENTEJO, cujo investimento ascendeu a 216.415,58 Euros, com um cofinanciamento de 151.490,91 Euros.

Évora, 8 de Setembro de 2014

Assessoria de Imprensa

press@fikeoneline.net

Cineclube de Arouca abre concurso para “Curtas Criativas”

CurtasCriativas_ObservaCine.
CurtasCriativas_ObservaCine.
O Cineclube de Arouca abriu as inscrições para o concurso “Curtas Criativas”, que pretende distinguir filmes originais e inovadores com a duração máxima de cinco minutos.
As candidaturas decorrem até 8 de agosto e as obras premiadas serão depois exibidas na 12.ª edição do Arouca Film Festival, a realizar entre 12 e 14 de Setembro

As candidaturas decorrem até 8 de agosto e as obras premiadas serão depois exibidas na 12.ª edição do Arouca Film Festival, a realizar entre 12 e 14 de setembro.

“Pelo quarto ano consecutivo, o concurso de curtas-metragens promovido pelo Cine Clube de Arouca pretende proporcionar um novo impulso aos jovens realizadores, dando espaço e voz aos novos talentos do audiovisual”, lê-se num comunicado da instituição.

“Através desta competição é criado um espaço privilegiado para que os jovens expressem as suas opiniões e ideias”, acrescenta o documento. “São desafiados a desenvolverem um filme de forma original e inovadora, e cujo único critério [de seleção] se prende com a duração máxima de cinco minutos”, explica.

A iniciativa pretende ainda desenvolver e fomentar o gosto pelo cinema, incentivar a produção nacional de obras cinematográficas e valorizar a capacidade criativa e espírito de iniciativa dos cineastas portugueses.

Os prémios serão atribuídos às três melhores produções. Consistirão numa “Geobox” composta por serviços e experiências a usufruir no território do Arouca Geopark.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela agência Lusa

29º Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata

29º Festival Internacional de Cinema de Mar del PlataAs inscrições, gratuitas, vão até o dia 31 de julho para curtas-metragens, e 29 de agosto para longas-metragens. O evento acontece em novembro, na Argentina

Estão abertas as inscrições para o 29º Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata, na Argentina, que acontece entre os dias 22 e 30 de novembro. O evento propõe a exibição de longas-metragens de todo o mundo, acompanhados de seus representantes, para promover encontros e, assim, contribuir com o desenvolvimento da indústria cinematográfica latino-americana.

As inscrições, gratuitas, vão até o dia 31 de julho, para curtas-metragens, e 29 de agosto, para longas. Os filmes inscritos devem ter sido finalizados após novembro de 2013. Para submeter uma produção à seleção do festival, é necessário preencher a ficha disponível no site do festival e encaminhar um DVD para o endereço indicado no regulamento.

O Festival de Mar del Plata é competitivo. Os filmes brasileiros selecionados para a Seção Oficial podem concorrer na Competição Internacional de Longas-metragens, desde que não tenham sido publicamente exibidos na Argentina; na Competição Latino-americana de longas-metragens, desde que além de comercialmente inéditos na Argentina, também não tenham sido exibidas em outros festivais; na Competição Latino-americana de Curtas-metragens, para filmes com até 15 minutos de duração; além de seções paralelas sem caráter competitivo e retrospectivas.

Filmes brasileiros selecionados poderão solicitar apoio à ANCINE por meio do Programa de Apoio à Participação de Filmes Brasileiros em Festivais Internacionais e de Projetos de Obras Audiovisuais Brasileiras em Laboratórios e Workshops Internacionais. O contempla produções nacionais oficialmente convidadas a participar 80 festivais internacionais e  projetos audiovisuais convidados para 27 laboratórios ou workshops ao redor do mundo. O apoio para o Festival de Cinema de Mar del Plata consiste na confecção de cópia legendada para o festival, no envio da cópia e em um subsídio financeiro para promoção do filme. Para mais informações, acesse a página do Programa de Apoio.

O festival é organizado pelo INCAA – Instituto Nacional de Cinema e Artes Audiovisuais da Argentina,  credenciado pela FIAPF – Federação Internacional das Associações dos Produtores de Filmes. Para mais informações sobre o evento, acesse o site oficial do 29º Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata.

 

Festival Avanca 2014

Festival Avanca 2014Estão abertas as inscrições para a competição internacional de filmes dos Encontros Internacionais de Cinema, Televisão, Vídeo e Multimídia – AVANCA 2014, que acontece no dia 18 e entre os dias 23 e 27 de julho, na cidade de Avanca, em Portugal. Com o objetivo de traçar uma perspectiva global contemporânea do cinema, da televisão, do vídeo e das produções multimídia, o festival aceita inscrições até o dia 30 de abril. Filmes que façam a sua estreia mundial no evento podem ser inscritos até o dia 6 de junho.

São aceitos curtas e longas-metragens de ficção e animação para a competição de Cinema, documentários para a seção de Televisão, e vídeos experimentais de até 20 minutos na seção Vídeos. As obras devem ter sido produzidas após 1º de janeiro de 2012, serem inéditas em Portugal e não estarem disponíveis na internet.

Os interessados devem preencher o formulário de inscrição disponível no site e enviar uma cópia do filme em DVD ou Blu-ray para o endereço informado no regulamento. O envio do filme também pode ser feito por meio de uma das plataformas parceiras do Avanca (Festhome, Movibeta ou Click for Festivals). As inscrições são gratuitas.

Um Júri Oficial atribui prêmios para o melhor em cada seção (Cinema – longa e curta –, Televisão, e Vídeo) e todos os longas-metragens selecionados para participar da competição recebem menções honrosas. Além das premiações, os filmes podem receber propostas de aquisição para o mercado português.

Portugal no Ceará

A 23ª edição do Cine Ceará muda de foco e visita a nova geração do cinema português em sua programação

A 23ª edição do Cine Ceará muda de foco e visita a nova geração do cinema português em sua programação
O Ceará é o ponto no território continental brasileiro mais próximo ao Velho Mundo. Nada mais justo do que ser, graças à localização geográfica, a ligação entre europeus e americanos. No que se refere a audiovisual, o solo alencarino já é anfitrião tradicional do Cine Ceará, o Festival Ibero-Americano de Cinema. Chegando à sua 23ª edição, de 7 a 14 de setembro, o festival apresenta novidades conceituais e espaciais. Deixando de lado as temáticas mais abrangentes que guiaram a programação dos anos anteriores do evento, a partir de 2013 o Cine Ceará se volta para as homenagens ao cinema contemporâneo de um país. “A gente resolveu dar uma guinada no foco do evento”, explica Wolney Oliveira, diretor do festival. “A ideia é que o Cine Ceará pegue esse sangue jovem que está aí em vários lugares do mundo e concentre homenageando a cinematografia contemporânea desse país a cada ano”.

Cine CearáA mudança, de acordo com Oliveira, também se deve à popularização gradual do fazer cinema, inclusive no Ceará, graças à evolução tecnológica e à presença de três cursos de realização audiovisual no Estado – dois dos quais são graduações.

O tributo que dá início a essa sequência é feito a Portugal, exibindo e discutindo filmes produzidos nos últimos 15 anos. Segundo o diretor, a escolha do país se justifica também pelo fato da cinematografia realizada em terras lusas ainda ser de difícil acesso aos cinemas comerciais brasileiros. A homenagem ao país ibérico se estende à atriz, cantora e cineasta portuguesa Maria de Medeiros, responsável pelo show de abertura do, cujos filmes serão exibidos em uma mostra especial. O cinema luso será tema do debate entre realizadores e público portugueses e brasileiros durante o Seminário Diálogos Visuais, na Casa Amarela Eusélio Oliveira.

Cine Ceará1Para Wolney, a maior vitória do festival é chegar à 23ª edição ininterrupta, principalmente por ser um evento em expansão e com dificuldades para financiamento. De acordo com ele, o orçamento de realização está na faixa de R$ 1,7 milhão.

Outra mudança é a sede do evento, que acontece pela primeira vez no Centro Cultural Dragão do Mar de Arte e Cultura. As duas salas de cinema do equipamento serão reinauguradas em 3 de setembro; a programação do festival começa a ocupá-las a partir do dia 7 e segue até 14 de setembro. De acordo com o presidente-diretor do Dragão do Mar, Paulo Linhares, a realização marca o retorno de uma parceria e faz parte do projeto de trazer os grandes eventos do Estado para o CCDM.

Oficinas, seminários e mostras alternativas e sociais serão realizados simultaneamente na Casa Amarela Eusélio Oliveira da Universidade Federal do Ceará (UFC), no Teatro Celina Queiroz da Universidade de Fortaleza (Unifor), na Caixa Cultural, na Vila das Artes e no Mercado dos Pinhões. Todas as atividades são gratuitas.

Mostras competitivas

Cine Ceará2Oito produções foram selecionadas para concorrer ao Troféu Mucuripe, durante a Mostra Competitiva Ibero-Americana de Longa-Metragem. Destas, sete são completamente inéditas no Brasil. Os indicados são os brasileiros “Se Deus Vier Que Venha Armado”, de Luis Dantas, “Olho Nu”, de Joel Pizzini, e “Solidões”, de Oswaldo Montenegro; o espanhol “Emak Bakia”, de Oskar Alegria; o uruguaio-português “Rincón de Darwin”, de Diego Fernández Pujol; o mexicano “El Paciente Interno”, de Alejandro Solar Luna; o cubano “La Película de Ana”, de Daniel Diaz Torres e o argentino “Mercedes Sosa, la voz de Latinoamérica”, de Rodrigo H. Vila. As categorias da disputa são melhor filme, direção, fotografia, edição, roteiro, som, trilha sonora original, direção de arte, ator, atriz e prêmio da crítica. O prêmio ao vencedor é de dez mil dólares.

A Mostra Competitiva Brasileira de Curtas-Metragens, por outro lado, premiará o vencedor com R$ 15 mil, através de financiamento do Canal Brasil. As categorias analisadas serão melhor filme, direção, roteiro, produção cearense e prêmio da crítica. Doze filmes concorrem: os pernambucanos “Au Revoir”, de Milena Times, e “Quinha”, de Caroline Oliveira; os cearenses “Mauro em Caiena”, de Leonardo Mouramateus e “O Melhor Amigo”, de Allan Deberton; o baiano “Jessy”, de Paula Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge; os paulistas “O Pai do Gol”, de Luiz Ferraz, “O Pacote”, de Rafael Aidar, e “Pintas”, de Marcus Vinicius Vasconcelos; o carioca “Em Cartaz”, de Fernanda Teixeira; o gaúcho “ED”, de Gabriel Garcia; o alagoano “O Que Lembro, Tenho”, de Rafael Barbosa, e o mineiro “Sanã”, de Marcos Pimentel. Para Wolney, a presença forte dos candidatos nordestinos reflete o crescimento da produção da região. Segundo ele, 40% dos longas produzidos no Brasil são de PE, CE e BA. A Mostra Olhar do Ceará, como o nome explicita, é composta apenas por produções locais. Ao todo, 23 curtas, dentre documentários e ficções, foram selecionados para competir pelo prêmio de R$ 5 mil.

Serviço

23º Cine Ceará.

De 7 a 14 de setembro, no Centro Cultural Dragão do Mar.
Fortaleza, CE.

Programação completa está no site http://www.cineceara.com/

Saiba +

Uma trajetória grandiosa

EusélioEm 1991 o cineasta Eusélio Oliveira e o diretor, produtor e roteirista Francis Vale lançaram o Festival Vídeo Mostra Fortaleza, realizado na Casa Amarela Eusélio Oliveira, equipamento vinculado à UFC. À época, talvez não imaginassem que o modesto evento transformar-se-ia em um dos maiores do tipo no País, o Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema, realizado anualmente.

Rebatizado Cine Ceará em 1995, passou a ser fomentado pelo governo estadual, via Secretaria da Cultura. Da Casa Amarela, o evento migrou para o Cine São Luiz, no Centro, cujo prédio é tombado.

Ao longo de sua trajetória, o Cine Ceará passou a ser vitrine da produção cearense fomentada por então novos espaços de formação (como a Casa Amarela e o Instituto Dragão do Mar), tornando-se, ele mesmo, peça fundamental da equação que alavancou a cinematografia local. Em 2006, seguindo uma tendência natural, adotou caráter internacional, abrindo espaço em sua mostra competitiva para filmes da América Latina, Espanha e Portugal.

Com o fechamento e o futuro incerto do Cine São Luiz, em 2010 (mesmo após comprado pelo Governo do Estado), o festival transferiu-se para o Theatro José de Alencar, que sediou duas edições.

Neste ano, o Cine Ceará ganha novamente outra casa, as salas de cinema do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, cuja reforma deve ser finalizada neste mês. Em edições anteriores, o equipamento já recebeu parte da programação. Além da mostra de longas, o evento inclui mostra competitiva de curtas nacionais e um conjunto de mostras paralelas, além de encontros de realizadores, palestras, seminários e lançamentos.

O acesso ao Cine Ceará é gratuito, condição fundamental para que funcione também como espaço de formação de plateia. O credenciamento é feito em troca de alimentos.

ANCine recebe produções para participação no Festival de Havana

festivalcinemahavanaA Ancine está recebendo, até dia 20 de agosto, DVDs de obras audiovisuais brasileiras para participação no35º Festival Internacional do Novo Cinema Latino Americano, em Havana, Cuba, que acontece entre os dias 5 e 15 de dezembro.
Interessados em enviar seus filmes para Havana devem preencher e enviar o formulário pela internet e, em seguida, encaminhar o DVD da obra inscrita para o escritório da Ancine. O regulamento pode ser consultado no site do festival.

A Assessoria Internacional da Ancine receberá os materiais e os enviará para a organização, facilitando o contato dos realizadores brasileiros com organizadores do evento. A Agência não fará qualquer tipo de seleção dos filmes, ficando esse trabalho restrito aos curadores do Festival. Inscrições nas competições de roteiros e de cartazes devem continuar sendo feitas diretamente junto ao evento, sem a participação da Ancine no processo.

A página do festival informa que as inscrições vão até o dia 30 de agosto, mas este é o prazo final para recebimento dos materiais em Cuba. A data de recebimento no Brasil leva em conta o tempo da remessa entre os dois países. Materiais recebidos na Ancine após o dia 20 de agosto não serão encaminhados ao evento.

O Festival de Havana faz parte da lista do Programa de Apoio à Participação de Filmes Brasileiros em Festivais Internacionais da ANCINE. Produções selecionadas para a Seção Competitiva Oficial podem solicitar à agência o apoio do tipo A, que consiste na confecção e envio da cópia legendada, e apoio financeiro para a promoção do filme.

As inscrições devem ser enviadas pelo correio, com aviso de recebimento, ou entregue junto ao protocolo do Escritório Central da Ancine no Rio de Janeiro, em envelope contendo todas as informações abaixo:

ANCINE – ASSESSORIA INTERNACIONAL
Ref: INSCRIÇÃO NO FESTIVAL DE HAVANA
Rua Graça Aranha, 35 – 11º Andar – sala 1101
Rio de Janeiro – RJ
CEP: 20030-002

Festival de Cine de los Pueblos Indígenas y Naciones sin Estado del mundo

FestivalEl Colectivo Cine Forum de Valparaíso, Chile, convoca a todos los realizadores del mundo a participar con sus películas en el “5to Festival de Cine de los Pueblos Indígenas y Naciones sin Estado del mundo”.

Se acepta todo tipo de temáticas que aborden los problemas que afectan a estos pueblos así como la preservación de sus culturas, tales como: territorio, espiritualidad, medicina originaria, memoria histórica, derechos humanos, desplazamientos, conflictos bélicos, exilio, autodeterminación, etc.

Como Colectivo adscribimos plenamente a la Declaración Universal de los Derechos de los Pueblos Indígenas y reclamamos el cumplimiento del convenio 169 de la OIT en países americanos. Solidarizamos con las luchas del movimiento indígena mundial y denunciamos la voracidad de las multinacionales mineras y de otros rubros que efectúan un genocidio cultural en América en su afán de hacerse de los territorios de los pueblos originarios, ricos en minerales y otras materias primas.

Solidarizamos con los presos políticos Mapuche en Chile y exigimos que se derogue la Ley Antiterrorista utilizada para castigar sus luchas de recuperación de sus tierras ancestrales y de dignificación de su identidad pisoteada durante cinco siglos. Apoyamos la reivindicación legítima del pueblo Rapa Nui y su futura autonomía. Compartimos la declaración de los Pueblos Originarios de Chile que invoca por una Asamblea Constituyente como camino a una nueva Constitución que considere a los pueblos originarios con una participación plena en las futuras Cámaras del nuevo Congreso.

Consideraremos una franja especial en solidaridad con el proceso político boliviano y a quien lo conduce, el indígena aymará, Evo Morales, víctima de una ignominiosa provocación orquestada en el corazón del imperio y ejecutada por sus gobiernos lacayos en su viaje de retorno a Bolivia desde Europa.

Para nuestro Festival es importante visibilizar y difundir estas temáticas como un aporte a la búsqueda de una nueva convivencia basada en el respeto a la diversidad cultural.

Bases Generales para la Competencia.

Las Películas compiten por el galardón Moisés Huentelaf en homenaje al militante mapuche del Movimiento Campesino Revolucionario, MCR , asesinado en el fundo El Chesque, provincia de Cautín el 22 de octubre de 1971 en una acción de recuperación de tierras denominada Corridas de Cercos.

Las películas recibidas serán ordenadas en diferentes franjas, tales como: Territorio , Medicina Indígena, Memoria Histórica, Fiestas Religiosas con origen indígena, Cosmogonía Desplazamientos, etc, etc.

1.- Pueden participar todo tipo de películas, corto, medio y largometrajes ya sea Documental o Ficción, Docudrama , Tesis de título, Musical , etc, etc.

2.-Este Festival No tiene Curatorial, toda película que llegue hasta el 15 de septiembre del 2013 será exhibida como parte del Festival.

3.-Solcitamos que aquellas películas habladas en lengua vernácula sean subtituladas al español.

4.-La Directora /director debe hacer llegar dos copias en DVD además de Ficha técnica, sinopsis, año de realización, etc, etc.

5.-El Director o Directora debe hacer llegar por escrito que está de acuerdo con las bases y que su material podrá eventualmente ser exhibido a posteriori en actividades culturales sin fines de lucro.

6.- El material que se reciba formará parte de los archivos del Cine Forum.

Las películas deben hacerse llegar a:

NELSON CABRERA VASQUEZ
CINE FORUM DE VALPARAISO
SALVADOR DONOSO 1408 SALA 2
VALPARAISO, CHILE

Fono 56-32-2594055 o cel. 77600578

www.elcineotro.blogspot.com

www.elcineforum.cl

X FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINE Y VIDEO DE LOS PUEBLOS INDIGENAS

“Rompiendo Fronteras, por la Autodeterminación de los Pueblos Indígenas del Mundo“

CONVOCATORIA

Los Pueblos y Nacionalidades Indígenas del Ecuador INVITAN

A participar activamente del

X FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINE Y VIDEO DE LOS PUEBLOS INDIGENAS


INTRODUCCION

La Confederación de Nacionalidades Indígenas del Ecuador a través de la Dirigencia de Comunicación impulsa la creación de productos audiovisuales desde la visión e intereses de los pueblos indígenas con énfasis en su más amplia difusión y en esta ocasión lo hace mediante la organización del X Festival Internacional de Cine y Video de los Pueblos Indígenas.

Mediante este proceso la CONAIE junto a la Coordinadora Latinoamericana de Cine y Comunicación de los Pueblos Indígenas, CLACPI buscan reafirmar la continuidad de lucha de los nacionalidades y pueblos indígenas del Abya Yala y del mundo para que se reconozca y se pongan en práctica las diversas formas de comunicación que se mantienen vivas, así como también el acceso y el manejo de herramientas tecnológicas tradicionales y modernas de comunicación.

Así pretendemos expresar las diferentes formas de ver la producción cinematográfica y video gráfica desde la mirada de las nacionalidades y Pueblos que hoy avanzan por el pleno ejercicio de sus derechos dentro del Estado Plurinacional del Ecuador.

El X Festival Internacional de Cine y Video de los Pueblos Indígenas es el resultado de un largo camino iniciado en 1985 por comunicadoras y comunicadores, cineastas, colectivos de producción indígenas y no indígenas de Abya Yala en busca de busca de afirmar el pleno reconocimiento social, político y cultural de los pueblos indígenas; resaltar el valor de la imagen y la comunicación para celebrar un mundo plural en el que los pueblos indígenas puedan construir un mejor futuro; motivando la producción de obras cinematográficas y video gráficas que dan voz y que les retratan dignamente; y también fortalecer los lazos que unen a las y los comunicadores indígenas y no indígenas de todo el mundo luchando por un mundo más justo y por el pleno reconocimiento del derecho de los pueblos indígenas a la autodeterminación.

OBJETIVOS

Los objetivos del X Festival son:

*Impulsar una Comunicación Plurinacional y difundir las tradiciones y valores, cosmovisión, maneras de vida, desafíos y retos de los pueblos indígenas en función de propiciar el diálogo y entendimiento intercultural.

*Educar, entretener, inspirar, apoyar a las comunidades indígenas y celebrar el espíritu humano con todas sus formas y logros.

*Intercambiar ideas y experiencias sobre las distintas formas de hacer comunicación indígena y analizar el avance en el cumplimiento de los derechos de los pueblos indígenas en el contexto actual.

ACTIVIDADES

Muestra Itinerante en diferentes organizaciones y provincias del país

VII Encuentro Internacional Cine y Comunicación de los Pueblos Indígenas

Encuentro de Música y Danza de las Nacionalidades y Pueblos

Exposición Fotográfica de las Nacionalidades y Pueblos

Un Foro Internacional sobre Cambio Climático y Comunicación desde la visión de las Nacionalidades y Pueblos.

DESARROLLO DEL FESTIVAL

El Festival se desarrollara en las provincias de Cotopaxi , Pastaza, , Guayaquil, Sucumbíos, Zamora Chinchipe, concluyendo en Pichincha – Quito. Para ello 4 equipos móviles integrados por comunicadores indígenas del Ecuador e invitados internacionales proyectarán las obras seleccionadas en las comunidades indígenas.

CRONOGRAMA GENERAL DEL X FESTIVAL

El cronograma del X Festival es el siguiente:

Recepción de Trabajos: del 22 de Febrero al 10 de Julio de 2010

Selección del Material de la Muestra Oficial y Muestras Informativas (Comité Organizador):

Del 11 de Julio al 27 de agosto del 2010

Festival en Comunidades: Del 22 de septiembre al 4 de octubre de 2010

Del 6 al 11 de octubre de 2010 tendrá lugar el X Festival en la ciudad de Quito

El 11 de octubre tendrá lugar el Acto de Premiación y Clausura del X Festival

FECHA DE PRODUCCIÓN DE LAS OBRAS

Los trabajos presentados deben haberse realizado después del 1 de enero de 2008, y no haber participado en el IX Festival Internacional de Cine y Video de los Pueblos Indígenas, celebrado en Bolivia en 2008.

TEMATICAS DE LAS PRODUCCIONES:

Las producciones a ser presentadas en este X Festival deberán tratar y ­/ o contener uno o varios temas referidos a la historia, cultura, realidad, luchas y aspiraciones de los pueblos indígenas originarios, como ser:

Identidad
Historia
Tierra y territorio
Derechos de los pueblos indígenas
Medicina indígena
Trabajo infantil
Educación
Participación política
Mujer
Ecología
Cosmovisión

No se considerarán producciones que de manera directa promuevan partidos políticos o instituciones gubernamentales o no gubernamentales u obras que propagandicen productos comerciales.

MIEMBROS DEL JURADO

El Jurado Internacional del X Festival estará integrado por productores, realizadores audiovisuales y representantes destacados de organizaciones indígenas.

CRITERIOS DE PREMIACION

Las películas y videos se seleccionarán y premiarán sobre la base de los siguientes criterios:

*Reflejar el derecho de los pueblos indígenas, originarios y campesinos a la libertad y la autodeterminación.

*Fomento del respeto y dignidad de los pueblos indígenas.

*Alertar y denunciar la violación de derechos, persecución y genocidio Sufrida por los pueblos indígenas

*Promover la equidad de género y los derechos de la mujer indígena.

*Aportar al fortalecimiento de la identidad y la cultura indígenas.

*Resaltar las expresiones culturales en situaciones de desaparición y/o asimilación.

*Contribuir a los procesos organizativos y de lucha de los pueblos indígenas.

*Expresar la noción del desarrollo desde la perspectiva indígena.

*Promover el diálogo intercultural.

*Defender el derecho a la comunicación y a la utilización creativa de recursos estéticos y narrativos.

DE LOS PREMIOS Y MENCIONES

Se contempla la entrega de Premios a la:

– Defensa de los Derechos de los Pueblos Indígenas

– Preservación de la Identidad y la Cultura de los Pueblos Indígenas

– Proceso Socio-Organizativo de los Pueblos Indígenas

– Mejor Ficción con Participación Indígena

– Equidad de Género y Derechos de las Mujeres Indígenas

– Creación y Aporte a la Narrativa Indígena

– Al Valor Testimonial y Documental

– A la Mejor Serie Televisiva

Se concederán premios en obras de Arte Indígena y/o equipamiento. No se descarta la entrega de premios con expresión monetaria. De igual forma se entregarán Menciones Especiales que el Jurado considere necesario otorgar como incentivo a los procesos de creación y producción.

http://www.clacpi.org/

FELCO Uruguay 2009

un Festival de otra clase…

ABIERTA LA INSCRIPCIÓN
CINE // TEATRO // PLASTICA
para la VII Edición Internacional
FELCO Uruguay 2009

El Festival Latinoamericano de la Clase Obrera que nació en el año 2004 y lleva seis ediciones internacionales realizadas en Argentina, Bolivia, Brasil y Chile, convoca a realizadores latinoamericanos, cineastas o artistas de otras disciplinas a sumarse con sus obras y su participación a la Séptima Edición del Festival Latinoamericano de la Clase Obrera.

Las actividades centrales del mismo se concentrarán entre el 1 y el 5 de diciembre de 2009 en Montevideo, Uruguay.

Este Festival creció al calor de las representaciones cinematográficas de las rebeliones populares que recorrieron y recorren nuestro continente desde el Argentinazo en 2001, las insurrecciones de masas en Bolivia, la formación de la comuna de Oaxaca y el levantamiento contra el fraude en México, las rebeliones en Ecuador y en Perú; la intervención histórica del pueblo venezolano contra el golpe pro imperialista de abril de 2002 y contra el lock-out en febrero de 2003; de la lucha de los trabajadores rurales sin tierra, de los sin techo y del resurgir combativo en los sindicatos de Brasil; de los mineros del cobre y la rebelión estudiantil en Chile de 2006.

Desde la convocatoria al FELCO Brasil, en 2006, decíamos: “Tenemos el privilegio de compartir una época en la que nuestras cámaras registran acontecimientos que quedarán impresos como decisivos en la historia humana”. El Crac económico y político que se desarrolla a nivel mundial confirma la caracterización. Entramos en una etapa en la que se profundizarán las crisis políticas, levantamientos populares, guerras y revoluciones. En definitiva, un recrudecimiento de la lucha de clases, el ámbito en el que este Festival de la Clase Obrera nació, creció y está llamado a seguir jugando un importante papel.

En estas circunstancias excepcionales, y con el orgullo que nos da estar organizando, también para este año, una jornada del FELCO en Honduras junto a los Artistas contra el Golpe, es que llamamos a los compañeros cineastas, artistas y a los sectores protagonistas de los cambios y de la lucha a presentar sus trabajos para que éstos sean proyectados y difundidos en el seno de las organizaciones obreras, estudiantiles y populares, y también debatir qué lugar debe ocupar el arte en la lucha de los trabajadores.

La fecha límite para la inscripción de las películas es el 1 de Noviembre de 2009.

Convocatoria, bases e inscripción TEATRO
http://felcoargentina.com.ar/convocatorias/convocatoria_felco_teatro.html


Convocatoria, bases e inscripción PLÁSTICA
http://felcoargentina.com.ar/convocatorias/convocatoria_felco_plastica.html


ver DECLARACION DEL FELCO CONTRA EL GOLPE EN HONDURAS
www.felcoargentina.com.ar