Arquivo da tag: fomento

ANCine lança editais para Tvs Públicas e Comunitárias

ancine camANCINE anuncia o lançamento das cinco Chamadas Públicas regionais da Linha de Produção de Conteúdos destinados às TVs Públicas, do Programa Brasil de Todas as Telas

Investimentos fomentarão a produção de conteúdos, em atendimento à demanda de programação das TVs do Campo Público

A Agência Nacional do Cinema – ANCINE anuncia nesta quarta-feira, 17 de dezembro, o lançamento das cinco Chamadas Públicas regionais da Linha de Produção de Conteúdos destinados às TVs Públicas, do Programa Brasil de Todas as Telas. Para esta Linha, serão aportados recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) no montante de R$ 60 milhões, distribuídos pelas cinco regiões do País. Os investimentos fomentarão a produção de 103 obras audiovisuais brasileiras independentes, que corresponderão a 260 horas de programação.

A Linha de Produção de Conteúdos destinados às TVs Públicas tem como objetivo a regionalização da produção de conteúdos audiovisuais independentes para destinação inicial ao campo público de televisão (segmentos de TV Universitária, Comunitária e Educativa). A Linha será operada através de parceria entre a ANCINE, a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), contando com o apoio da Associação Brasileira de Televisão Universitária (ABTU), Associação Brasileira de Canais Comunitários (ABCCOM) Associação Brasileira de Emissoras Públicas Educativas e Culturais (ABEPEC).

A primeira licença das obras que compõem a programação será destinada para exibição inicial pelos canais do campo público de televisão (universitários, comunitários e educativos), de forma não onerosa, pelo período de 1 ano no Território Brasileiro, com exclusividade de seis meses. A EBC distribuirá a programação que tem estreia prevista para o segundo semestre de 2016.

Antes do lançamento das Chamadas Públicas da Linha foi realizado um estudo georreferenciado que relacionou grades de programação de 218 emissoras e canais de programação do campo público de televisão com vocações de produção regionais de 1.440 empresas produtoras independentes. Foi realizado ainda um Seminário de Programação, com a participação presencial e remota dessas tvs, que determinou a demanda de programação do campo público de televisão, para os públicos infantil, jovem e adulto, sob forma de 90 obras seriadas (ficção, animação e documentário) e 13 não seriadas (documentário) a serem financiadas pela nova Linha. Essa demanda de programação é agora enunciada pelas cinco Chamadas Públicas regionais.

A linha prevê o financiamento do valor integral da produção das obras na modalidade de investimento (aplicação de recursos com participação do FSA nos resultados comerciais dos projetos) a projetos de empresas produtoras brasileiras independentes registradas na ANCINE que tenham sede na região em que se inscrever, por no mínimo 02 (dois) anos, ou comprovada atuação de sócio nesta região, por igual período. Serão oferecidas oficinas para formatação de projetos em cada uma das regiões, com apoio de tvs educativas e culturais.

As Chamadas públicas regionais poderão ser encontradas a partir de sexta-feira, dia 19 de dezembro, no site fsa.ancine.gov.br.

Pacote do FSA reúne R$ 162 milhões

ancineAlém do resultado final da linha para obras autorais que investirá quase R$ 20 milhões em 17 projetos, o diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel, em coletiva no Rio, na manhã desta quarta-feira, dia 17, detalhou a divisão dos R$ 162 milhões que a agência disponibilizará em novas chamadas do Programa Brasil de Todas as Telas.

Grande novidade do pacote, a Linha de Produção de Conteúdos Destinados às TVs Públicas abarcará R$ 60 milhões na criação de obras audiovisuais de 33 TVs culturais e educativas e mais de cem canais comunitários e universitários. As demais cinco chamadas são relançamentos de linhas que funcionam sob regime de concurso público.

Com R$ 50 milhões reservados, as chamadas Prodecine 01 e 05 têm como foco a produção de longas-metragens, sendo a segunda para obras de linguagem inovadora. Já as chamadas Prodav 03, 04 e 05, com volume de investimento da ordem de R$ 47 milhões, têm como alvo o desenvolvimento de projetos, seja de longas ou obras seriadas, com núcleos criativos ou laboratórios de capacitação.

Fechando o pacote, Rangel ainda anunciou a chamada Prodav 07/2014, a nova denominação do Programa Ancine de Incentivo à Qualidade (PAQ), com reserva de R$ 5 milhões para filmes com bom desempenho em festivais. As inscrições para esta última chamada estarão abertas a partir do dia 5 de janeiro.

II Festival de Triunfo (PE)

Companheiros,

Faço também um rápido balanço sobre o II Festival de Cinema de Triunfo.
Realizado pela FUNDARPE, o Festival aconteceu de 2 a 8 de agosto em Triunfo (PE) e no meu entendimento consolidou o caráter cineclubista do evento e a parceria firmada entre a FUNDARPE e CNC desde sua primeira edição, que como todos recordam resultou na fundação da FEPEC – Federação Pernambucana de Cineclubes.

Como na sua primeira edição, a parceria com o CNC, e neste ano também com a FEPEC , foi destacada pela FUNDARPE, que entre outras coisas fêz questão de realizar o lançamento do Edital Estadualizado do Cine+Cultura dentro da programação do Festival.
O edital preve a implantação de 60 novos cineclubes em Pernambuco e inova por suas caracteristicas de regionalização e interiorização,  prevendo a implantação de 5 novos cineclubes em cada uma das 12 regiões administrativas do Estado.
A presidente da FUNDARPE, Luciana Azevedou anunciou que a implantação dos Cineclubes contará com um permanente acompanhamento da FUNDARPE e da FEPEC e oferecerá aos novos cineclubes todo apoio e ações complementares que garantam perenidade e profissionalização.
Apesar de não ter sido realizado um encontro estadual de cineclubes como no ano passado, o Festival fortaleceu a FEPEC que constituiu júri próprio e ofeceu uma premiação específicamente cineclubista a filmes participantes da Mostra Competitiva.
Dois Diretores do CNC (eu e Saskia) participaram ndo Júri Oficial de premiação do Festival.
Assim, num rápido balanço, me cabe apenas parabenizar e agradecer a FEPEC, na pessoa de seu presidente Gê Carvalho, a ABD/PE, na pessoa de sua presidente Cyntia Falcão e a FUNDARPE, nas pessoas de sua presidente, Luciana Azevedo e da Coordenadora de Audiovisual, Carla Francine pelo apoio oferecido ao cineclubismo e ao CNC, bem como pela hospitalidade.
Cada vez gosto mais de Triunfo e de Pernambuco. Eta gente porreta.
Saudações Cineclubistas

Pimentel
Secretário Geral do CNC.
PS e em tempo> Lembro ainda a todos que apesar de também ter sido convidado, nosso Presidente, Claudino de Jesus, infelizmente não pode participar. Mas como me disse Carla Francine, no ano que vêm ele não escapa…rsrrsrsrrs

Encontro Cearense de Cineclubes II

Realizado entre 28 e 31 de julho em Fortaleza, dentro da programação oficial do 19.º Festival Ibero Americano Cine Ceará o encontro contou com a participação de uma média de 45 pessoas por dia, em sua maioria representantes de cineclubes de Fortaleza e de outras cidadea do interior do estado.

Organizadas pela diretora da Região NE3 do CNC, Caroline Vieira as mesas contaram com a participação do Presidente do CNC – Conselho Nacional de Cineclubes BrasileirosAntonio Claudino de Jesus, de mais cinco diretores da entidade (João Baptista Pimentel Neto, Saskia Sá, Nelson Marques, Caroline Vieira e Luana Camargo), do Coordenador-Geral de Difusão de Direitos Autorais e de Acesso à Cultura do Ministério da Cultura, Rafael Pereira Oliveira, do Diretor do Museu de Imagem e Som / CE (SECULT/CE), Miguel Ângelo de Azevedo(Nirez), do Coordenador da Escola Pública de Audiovisual da Vila das Artes, Lenildo Gomes, do presidente da ACCV, Duarte Dias, críticos e personalidades do cinema cearense.

Na programação foram debatidos os temas: Memória Cineclubista e Audiovisual, Direitos Autorais X Direitos do Público, Cineclubismo e Educação, Formação de Redes Cineclubistas, Panorama do Cineclubismo no Brasil e no Mundo, etc. E exibidos muitos filmes, quase todos de curta metragem e da produção local.

A organização foi impecável e os convidados recebidos com a habitual competência e hospitalidade cearenses. Pessoalmente (e creio que em nome dos demais diretores do CNC presentes) parabenizo e agradeço a todos da equipe de produção – em especial, a Carolinne Vieira e a Vírginia e aos patrocinadores e apoiadores do Encontro, o Secretário de Estado da Cultura do Ceará, Auto Filho, o Diretor Executivo do Festival Ibero Americano Cine Ceará, Wolney Oliveira, e o Coordenador da Escola Pública de Audiovisual Vila das Artes, Lenildo Gomes.

Boas notícias
Durante o encontro confirmaram-se pelo menos três grandes notícias que merecem ser comemoradas não só pelos cineclubes e cineclubistas cearenses, mas por todo o movimento cineclubista brasileiro.
A primeira foi anunciada pelo representante da Coordenadoria de Direitos Autorais da Secretaria de Políticas Culturais do MinC, Rafael Pereira Oliveira durante a mesa Direitos Autorais X Direitos do Público confirmando que a reivindicação apresentada ao MinC pelo CNC solicitando a inclusão de artigos específicos que garantem os direitos do público e de mecanismos de tratamento diferenciado à atividade cineclubista na proposta de nova lei sobre direitos autorais foi atendida e incorporada ao ante-projeto que será colocada em consulta pública e posteriormente encaminhado ao Congresso Nacional.

Tal notícia demonstra que a Campanha pelos Direitos do Público promovida pelo CNC e que já conta atualmente com apoio de praticamente de todas as entidades do audiovisual brasileiro, somando quase mim adesões, entre entidades internacionais, nacionais, estaduais e locais, e também pessoas físicas, conquista agora o reconhecimento e apoio da Coordenadoria de Direitos Autorais do MinC.

O movimento porém deve se manter atento, mobilizado e participativo ao processo de Consulta Pública da proposta que será consolidada e encaminhada ao Congresso.

Cine+Cultura - Principal

A segunda boa notícia foi anunciada pelo Secretário de Estado da Cultura do Ceará confirmando o lançamento, ainda neste ano, do edital estadualizado da Ação Cine+Cultura para a implantação de 45 novos cineclubes no estado do Ceará.

Esta ação significará a aplicação de cerca de 300 mil reais em apoio ao fortalecimento e a criação de novos cineclubes no estado através do Convênio que será firmado entre o Estado do Ceará e o Ministério da Cultura. Atendendo a reivindicação dos cineclubes cearenses o Secretário assumiu ainda o compromisso de investir mais 100 mil reais no fomento as atividades cineclubistas no Ceará através da liberação de verbas orçamentárias da Secretaria de Estado da Cultura

Finalmente, o Diretor da Região NE3 do CNC, Nelson Marques confirmou a realização de um Encontro Cineclubes do Nordeste dentro da programação do III Goiamun Audiovisual. O encontro acontecerá em Natal (RN) entre 24 e 26 de setembro.

Na minha avaliação o encontro ultrapassou até mesmo as previsões mais otimistas e as notícias são auspiciosas e da maior importância não só para os cineclubes cearenses mas para o todo o movimento cineclubista.

Saudações Cineclubistas


João Baptista Pimentel Neto
Secretário Geral do CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros

MinC lança primeiro edital estadualizado

O edital selecionará 60 projetos de entidades privadas sem fins lucrativos que desenvolvam ou queiram desenvolver ações de exibição de obras audiovisuais e contribuir para a formação de plateias e o fomento do pensamento crítico, tendo como principal base obras audiovisuais brasileiras.

As inscrições devem ser feitas de 7 de agosto a 6 de outubro deste ano. As iniciativas selecionadas receberão kit com telão (4mx3m), câmera digital, aparelho de DVD, projetor, mesa de som de quatro canais, caixas de som, amplificador, microfones sem fio, dentre outros equipamentos. O kit contém acervo com centenas de filmes brasileiros (curtas, médias e longas-metragens, documentários e animações) selecionados pela Programadora Brasil para exibições semanais nos Cines. A Programadora reúne hoje acervo com mais de 300 obras, organizadas em 104 programas (DVDs).

Apenas 8,7% dos municípios brasileiros possuem salas comerciais de cinema, revela a Pesquisa de Informações Básicas Municipais (Munic) de 2006, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Cine Mais Cultura é uma ação do Programa Mais Cultura para promover o acesso da população a obras audiovisuais e apoiar a difusão da produção audiovisual brasileira por meio da exibição não comercial de filmes. A prioridade é atender localidades rurais e urbanas que não possuem cinema, localizadas nos Territórios da Cidadania e nas periferias dos grandes centros urbanos.

“Lançar os editais separadamente em cada estado brasileiro, respeitando as suas realidades, é imprescindível para ampliar a ação”, afirma Frederico Cardoso. Ele explica que após o processo de seleção, os 60 novos Cines pernambucanos passarão a existir em rede, levando à população obras audiovisuais brasileiras e incentivando o debates em torno das mesmas.

Capacitação – Além de fornecer equipamentos e acervo, o Cine Mais Cultura realiza oficinas de capacitação cineclubista, com o objetivo de qualificar os participantes para a realização de programação, divulgação e debates das sessões; apoiar a formação dos oficinandos com introdução à história do cinema e linguagem cinematográfica; prestar informações sobre questões relevantes e atuais relativas à atividade exibidora, como direitos autorais e sustentabilidade. O trabalho é desenvolvido com apoio de um manual produzido em parceria com o Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros (CNC).

Parceria
– O edital estadual é fruto de uma parceria entre o Ministério da Cultura e o Governo de Pernambuco para a implantação descentralizada das ações do Mais Cultura. O Programa integra a Agenda Social do Governo Federal e marca o reconhecimento da Cultura como necessidade básica e importante vetor para o desenvolvimento social, econômico e sustentável do país. Tem como principal objetivo promover o acesso da população, especialmente jovens da classe C, D e E, aos bens e serviços culturais.

Inscrições – As inscrições são gratuitas e os projetos devem ser enviados para a Sede da Fundarpe (Rua da Aurora, nº 457, Boa Vista, Recife, CEP 50.050-000), aos cuidados da Diretoria de Fomento e Formação.

Seleção – A seleção será realizada por Comissão de Avaliação composta por representantes do Ministério da Cultura, da Fundarpe, de entidades do setor audiovisual e da sociedade civil. O resultado será divulgado no Diário Oficial da União, no Diário Oficial do Governo do Estado de Pernambuco e nas páginas eletrônicas do Programa Mais Cultura (mais.cultura.gov.br), da ação Cine Mais Cultura (www.cinemaiscultura.org.br), da Programadora Brasil (www.programadorabrasil.org.br), dos Territórios da Cidadania (www.territoriosdacidadania.gov.br) e da Fundarpe (www.fundarpe.pe.gov.br).