cnc ressurge com novos estatutos e elege sua direção

CREC / Centro Rio Clarense de Estudos Cinematográficos
Nós Somos o Público!

Nova direção marca o ressurgimento da entidade nacional consolidando o movimento cineclubista nacional

Carlos Seabra
Ter 07 de Dec, 2004 15:14

List all articles of this same topic

Encerrou-se neste 5 de dezembro de 2004, a 25ª Jornada Nacional de Cineclubes, realizada na cidade de São Paulo, na nova Galeria Olido e nas dependências do tradicional Hotel Excelsior. O congresso reuniu cerca de uma centena de cineclubes de todo o País – muitos deles ainda em estágios iniciais de organização e atividade – além de observadores internacionais.

Nota Oficial do Conselho Nacional de Cineclubes

Encerrou-se neste domingo, cinco de dezembro, a 25ª Jornada Nacional de Cineclubes, realizada no centro da cidade de São Paulo, na nova Galeria Olido e nas dependências do tradicional Hotel Excelsior. O congresso reuniu cerca de uma centena de cineclubes de todo o País – muitos deles ainda em estágios iniciais de organização e atividade – além de observadores internacionais.

Sintoma de um claro e renovado alento e de uma onda de criação de novos cineclubes, apenas cerca de metade das entidades presentes respondiam plenamente aos critérios reconhecidos nacional e internacionalmente para o reconhecimento pleno da definição de cineclube: não ter fins lucrativos, ter estrutura e direção democráticas e comprovar atividade por um período mínimo de seis meses anteriores ao Encontro em São Paulo. Alguns grupos, e cerca de uma dúzia de cineclubes da Grande São Paulo chegaram até a abandonar os trabalhos, frustrados diante dessas exigências consideradas básicas e evidentes pela imensa maioria, mas mal compreendidas por alguns.

O incidente, porém, não chegou a prejudicar os resultados dos trabalhos; pelo contrário, parece ter contribuído para selar uma unidade muito grande, agregando todo o País em torno de um ambicioso programa de ampliação e consolidação da emergente rede de cineclubes brasileiros. A presença do Secretário para a América-Latina da Federação Internacional de Cineclubes, Juan Carlos Arch, e de observadores do México também serviram para comprovar o bom andamento dos trabalhos. Os cineclubistas estrangeiros demonstram também que essa revitalização do cineclubismo não é um fenômeno brasileiro isolado, mas uma tendência continental, consubstanciada no 1º Encontro Ibero-Americano de Cineclubes, realizado imediatamente antes da Jornada, na cidade de Rio Claro, SP.

A Jornada reconstituiu a entidade nacional dos cineclubes brasileiros. Assim, o Conselho Nacional de Cinecubes, fundado em 1962, volta à ativa, depois de um período de quase 15 anos de inatividade. A nova diretoria, também eleita neste Encontro, reúne representantes de dez Estados e tem na presidência Antônio Claudino de Jesus, do Cineclube Cine-Ambiental, do Espírito Santo.

Entre as principais resoluções da Jornada figuram vários projetos de fomento à criação de novos cineclubes, atendimento às necessidades básicas dessas entidades e apoio às múltiplas atividades que os cineclubes desenvolvem – que incluem principalmente a formação de público e a produção audiovisual independente. Além disso, uma série de Encontros importantes, nacionais e internacionais, foram deliberados e devem realizar-se no próximo ano: a 26ª Jornada Nacional de Cineclubes, no Rio Grande do Sul; o 2º Encontro Ibero-Americano de Cineclubes e a Assembléia Geral da Federação Internacional de Cineclubes – que deverá ser a maior de sua história, com mais de 50 países – no Espírito Santo. Os cineclubes também se posicionaram em favor da criação da Agência Nacional do Audiovisual (Ancinav) do reconhecimento e regulamentação da atividade cineclubista, conforme proposta já enviada ao Ministério da Cultura e ao Conselho Superior de Cinema.

A 25ª Jornada foi promovida pela Comissão Nacional de Rearticulação do Movimento Cineclubista Brasileiro e organizada pelo Centro Cineclubista de São Paulo, com apoio da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, com recursos do Fundo Nacional de Cultura e Lei Rouanet, participação da Petrobrás, do Centro Universitário Nove de Julho (Uninove), Secretarias Estadual e Municipal da Cultura de São Paulo e Funarte/SP.

Veja a seguir a composição da nova Diretoria do CNC – Conselho Nacional de Cineclubes:

Presidente
Antonio Claudino de Jesus
Cineclube Cine-Ambiental – Vitória, ES
claudinodejesus@yahoo.com.br

Vice-Presidente
Hermano Figueiredo
Cineclube Ideário – Maceió, AL
hermano@ideario.org.br

Secretário-Geral
Antenor Gentil Júnior
Centro de Estudos Cineclubista de Brasília – Brasília, DF
cecibra@cecibra.com.br

Suplente
Eduardo Benfíca
Cineclube João Benio – Goiânia, GO
ebenfica@pop.com.br

Tesoureiro
João Baptista Pimentel Neto
Centro Rio-Clarense de Estudos Cinematográficos – Rio Claro, SP
pimentel43@uol.com.br

Suplente
Sebastião Ribeiro Filho
CinecluES – Vitória, ES
sefil@superig.com.br

Diretoria de Comunicações
Bia Werther
Cine8 – Porto Alegre, RS
cine8@terra.com.br

Suplente
Bruna Rafaela Veiga
Cinenomade – Curitiba, PR
veigabr@cinenomade.com

Diretoria de Formação e Projetos
Frederico Cardoso
Cinemaneiro – Rio das Ostras, RJ
cinemaneiro@foradoeixo.com.br

Suplente
Débora Butruce
Cachaça Cinema Clube – Rio de Janeiro, RJ
deborabutruce@hotmail.com

Diretoria de Arquivo e Difusão
Carlos Seabra
Cineclube do Ponto de Cultura Vila Buarque – São Paulo, SP
carlos@seabra.com

Suplente
Vinicius Cabral Ribeiro
Cineclube CurtaCircuito – Belo Horizonte, MG
viniciuscabralribeiro@ig.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

FILMES SÃO FEITOS PARA SEREM VISTOS!

Pular para a barra de ferramentas