1º festival macapá de cinema e vídeo

1º Festival Macapá de Cinema e Vídeo

Por: Redação PEC em: Dom 23 de Oct, 2005 13:54 PDT (1660 Leituras)

Editar Imprimir Remover
De 24 a 30 de outubro, Macapá realiza o 1º Festival Macapá Cinema e Vídeo. Organizado pelo Centro de Estudos Cineclubistas de Brasília (Cecibra) e com a promoção da Prefeitura, o Festival tem na Mostra do Cinema e Vídeo Macapense um de seus pontos fortes. 
Acompanhe a programação
Logo FestivalO 1º Festival Macapá de Cinema e Vídeo, de 24 a 30 de outubro de 2005, é uma promoção da Prefeitura de Macapá e da Secretária de Cultura e Turismo da Prefeitura da Macapá, através do Departamento Municipal de Cultura, organizado e coordenado pelo Centro de Estudos Cineclubistas de Brasília (Cecibra), como entidade de cinema de caráter civil e sem fins lucrativos. O Festival inclui uma mostra dedicada às produções audiovisuais do estado do Amapá. A avaliação será feita por júri popular, com cédulas distribuídas nos locais de exibição. Haverá prêmios nas seguintes categorias, para cada uma das quais foram selecionadas seis obras: curta-metragem, longa-metragem, vídeo, melhor atriz e melhor ator. A premiação será no dia 30 de outubro.

A partir da segunda edição do Festival, serão estabelecidos prêmios em outras categorias, e a seleção das obras será feita através de edital divulgado nos meios de comunicação. Paralelamente, serão ministradas oficinas e haverá debates e mesas redondas, com a finalidade de discutir a política do audiovisual brasileiro, além de colaborar para a formação de platéia e a criação de novos cineclubes.

Objetivo do evento

A primeira edição do Festival Macapá de Cinema e Vídeo “O cinema no meio do mundo” visa fomentar a cultura na Região Norte do País, especificamente na cidade de Macapá, e colocar o estado do Amapá no roteiro dos eventos cinematográficos brasileiros. Com o Festival, os organizadores esperam levar a atividade audiovisual de maneira mais constante e sistemática à população e aos aficionados.

O local

O Amapá — cuja ocupação remonta ao século XVIII — foi alçado à categoria de estado em 1988. Oferece o que há de melhor e mais empolgante para o turista: paisagens indescritíveis, cultura diversificada e um povo cordial e hospitaleiro. Tem grande potencial econômico e cultural, ainda pouco explorado, em que o ecoturismo aparece como alternativa natural, pois atrai investimentos e gera riquezas para a população local. A localização geográfica — parte no Hemisfério Sul e parte no Hemisfério Norte —torna o Amapá privilegiado, além de colocá-lo próximo da Europa e da América do Norte.

A cidade

Teatro BacabeirasMacapá — uma cidade no meio do mundo — é sobretudo alegria e tranqüilidade, com uma população gentil e hospitaleira. Antes de se chamar Macapá, a cidade recebeu em 1544 o nome de Adelanto de Nueva Andaluzia, por ordem do rei da Espanha, Carlos V. Do século XVI à primeira metade do século XVIII, passaram pela região franceses, holandeses e portugueses, mas nenhum desses povos fixou-se definitivamente para o povoamento do lugar. Só em 1748 o rei de Portugal, D. João V, criou a província de Tucujus.

O povoamento definitivo veio a acontecer por volta de 1751, quando chegaram os primeiros colonos trazidos dos Açores por Mendonça Furtado, que fundou o povoado da vila de São José de Macapá. Em 1943, Macapá foi elevada à categoria de capital do antigo território federal do Amapá. Macapá fica localizada na foz do Rio Amazonas e apresenta incontáveis atrativos turísticos naturais.

Há lagos e lagoas que formam paisagens de beleza ímpar. Destacam-se as relíquias históricas e culturais, como a igreja de São José de Macapá, inaugurada em 1671, de estilo inaciano. A Fortaleza de São José de Macapá, construída a partir de 1764 com intensa utilização de mão-de-obra negra, é considerada o mais belo, sólido e importante monumento militar do Brasil.

Marco do EquadorA contribuição dos negros também pode ser apreciada na Vila do Curiaú, antigo quilombo em que tradições e costumes são preservados pelos descendentes dos habitantes originais. O Marabaixo, ritual de origem africana que se prolonga por 64 dias a partir da Páscoa, é o lado profano das festividades da Semana Santa. O Batuque é uma das manifestações de dança mais expressiva do Amapá.

A linha imaginária do Equador inspirou a idealização do Marco Zero do Equador, monumento de linhas modernas, construído para registrar a evidência geográfica: nesse ponto, o visitante pode estar simultaneamente nos dois hemisférios. Em Macapá, o visitante pode encontrar-se com a culinária amapaense, na qual os peixes são a atração principal, é essencialmente de origem indígena.

Locais de exibição

Teatro das Bacabeiras – Inaugurado em 1990, com a denominação de Cine Teatro de Macapá, de arquitetura moderna, destina-se primordialmente à realização de eventos artísticos e culturais.

Orla do Rio Amazonas — Complexo Beira-Rio Importante equipamento turístico e de entretenimento urbano que, além da bela paisagem, oferece infra-estrutura para a realização de grandes eventos populares.

Mostra Amapense de Cinema e Vídeo

Aula de Pintura
de Natascha Parlagreco

Batalha de Confetes
de José Reis Filho

Edivar Mota – O Mestre da Voz
de Márcia Corrêa, Habbe Capiberibe, Elaine Juarez

Escola Bosque
de Ernani Paiva

Estilhaçados
de Alexandre Brito e Artur Àrias Dutra

Lavando o Tronco na Beira do Rio
de Alexandre Pereira

Meninos da Guarda
de Thomé D´Azevedo

Oiapoque uma Fronteira em Construção
de Tomé D´Azevedo

Paraíso Precipício
de Ricardo Leite e Zenito Weyl

Pra Ver Nossa Banda Passar
de Tomé D´azevedo

Radiola
de Geíson Castro

Santo Tiago
de Anderson Reis e Carlos Carvalho

Segunda-Feira à Noite – A Cidade é Tua
de Márcia Corrêa, Hanne Capiberibe

Tucuxi
de Joni Bigoo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

FILMES SÃO FEITOS PARA SEREM VISTOS!

Pular para a barra de ferramentas