pré jornada nacional de cineclubes / 2005

É hora de Pré-Jornada

Frank Ferreira
Qui 08 de Sep, 2005 11:47

Logo-marca do CNC

Apesar das dificuldades, a Pré-Jornada 2005 tem início em Ribeirão Preto (SP). Cineclubistas debatem a situação do movimento. Entre outras personalidades, o cineasta e cineclubista João Batista de Andrade, secretário da Cultura do estado de São Paulo, deverá marcar presença.
Começa nesta quinta-feira, 8 de setembro, a Pré-Jornada convocada pelo Conselho Nacional de Cineclubes (CNC) na cidade de Ribeirão Preto, SP. O principal objetivo é deliberar sobre o temário e a organização estrutural da próxima Jornada Nacional, que deverá ocorrer em novembro próximo. Também será feita a avaliação do movimento e do desenvolvimento do programa aprovado na 25ª Jornada Nacional (São Paulo, SP, dezembro de 2004).

Da Pré-Jornada participam — na qualidade de delegados com direito a voto — os membros da diretoria e os membros do Conselho de Representantes do CNC, além do representante do Cineclube Cauim, que cedeu suas instalações para o evento. Mas serão bem-vindos todos os cineclubes brasileiros e parceiros do movimento cineclubista interessados em contribuir com os debates.

Entre outras personalidades, o cineasta e cineclubista João Batista de Andrade, secretário da Cultura do estado de São Paulo, deverá marcar presença em Ribeirão Preto.

Programação

Os trabalhos da Pré-Jornada 2005 se estenderão de 8 a 11 de setembro. Na tarde da quinta-feira, 8, há recepção e inscrição dos participantes. Às 14:00h, está prevista uma reunião da diretoria do CNC. O jantar começa às 19:00h e às 20:00h acontece a abertura o da Pré-Jornada, seguida de sessão de filmes.

No dia 9, sexta feira, às 9:00h, começam os trabalhos em plenária, com a apresentação do relatório do CNC. A partir das 10:00h, estarão abertas a apresentação de propostas e a discussão de datas, organização, infra-estrutura, propostas de temário e programa da 26ª Jornada Nacional de Cineclubes. À tarde, a partir das 13:30h, os participantes organizam-se em grupos de trabalho, cujos relatores reúnem-se às 16:30h. Os grupos propostos são: G1, Política Nacional Cineclubista e Organização Estrutural do Movimento; G2, Política de Difusão de Filmes e Organização de Acervos para o Movimento; G3, Política de Relações Internas e Sociais do Movimento e Organização de Instrumentos de Comunicação; G4, Política de Formação e Organização de Projetos. Às 17:30h, em plenária, serão feitos a apresentação, o debate e a aprovação do relatório final e a instituição da Comissão Organizadora da 26ª Jornada Nacional. Às 19:00h, jantar, seguido de sessão de filmes, às 20:00h.

No sábado, 10, às 9:00h, haverá mesa-redonda (temas, O Programa Recuperar o Espaço Cineclubista e Criar uma Rede Nacional de Cineclubes e a sua implementação). Às 11:00h, voltam a se reunir os grupos de trabalho para avaliar o estágio de desenvolvimento do programa votado na 26ª Jornada e propor formas de organização dos trabalhos. Com intervalo para almoço às 12:00h, os grupos prosseguem o debate até às 17:30h, quando haverá plenária de apresentação, debate e aprovação dos relatórios dos GTs e definição de comissões responsáveis pelos encaminhamentos. Às 20:00h, jantar. Às 21:00h, confraternização.

Dia 11, domingo, de manhã, haverá reunião do Conselho Nacional de Cineclubes.
A Pré-Jornada 2005 tem o apoio da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo e da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura.

Adiamentos e decisão

Antonio Claudino, presidente do CNC, distribuiu mensagens no dia 6 de setembro e comentou os sucessivos adiamentos que a realização da Pré-Jornada sofreu. Escassez de recursos e incontornáveis exigências burocráticas prejudicaram as convocações anteriores.

“Mas concluímos, Kaxassa (do Cineclube Cauim), Felipe (Macedo, cineclubista histórico), Hermano (Figueiredo, vice-presidente do CNC) e eu que não podíamos mais adiar esta Pré-Jornada e que devíamos retomar a garra que o movimento demonstrou ter ao longo de décadas, inclusive durante a ditadura militar, quando nos virávamos com recursos próprios”, diz Claudino. “Lembro-me que, além de fazer vaquinha, corríamos atrás de Secretarias estaduais e municipais, universidades e até parlamentares, para conseguir passagens para nos deslocar para a Pré e para a Jornada.”

Claudino observa que, nesta Pré-Jornada, “podemos repactuar as responsabilidades de cada um e as coletivas, organizar de forma bem articulada o circuito CNC/ABD (Associação Brasileira de Documentaristas), para que seja uma grande demonstração de força e se enraíze em todo o país, para buscarmos solucionar a Jornada que se avizinha”. E conclui: “É hora de sacrifício e de demonstrar nossa garra e responsabilidade.”

“Cineclubistas têm de se mexer”

Frederico Cardoso, diretor de Formação e Projetos do CNC, também se manifestou por meio de mensagem distribuída aos cineclubistas.

“Antes da Jornada do ano passado, eu, pessoalmente, e algumas pessoas aqui do Rio éramos contrários à reconstituição do CNC, por acharmos que esse processo havia sido iniciado em mão inversa à que deveria (do governo para a população, como realmente foi)”, lembra Cardoso. “Os cineclubes que existem até hoje, nessa recente explosão cineclubista (com a exceção de um ou outro ponto de cultura que já recebeu parte da verba contratual), nunca precisaram do poder público para funcionar, cada um a seu modo. Na Jornada de Sampa, fui convencido do contrário (assim como as outras pessoas que comungavam da mesma opinião), e a reconstituição do CNC aconteceu. Acho que acertamos e estou convicto disso.”

“O grande problema”, acrescenta, “é que estamos nos escorando por demais no poder público, que algumas vezes se mostrou impotente quanto ao real aporte prometido à nossa entidade e à nossa causa (não por descaso, mas pelos grandes problemas que assolam o país em algumas vezes).” Para Cardoso, um circuito cineclubista seria “a grande saída para o escoamento da produção brasileira de audiovisual, pois nós chegamos onde nunca chegarão salas comerciais de cinema”.

“Em cada bairro, município, estado e região, os cineclubistas têm que saber se mexer e encontrar maneiras de existir, sem ficar aguardando uma resolução governamental qualquer que fomente a atividade”, enfatiza Cardoso. “Nenhum governo do planeta tem condições de bancar alguma atividade, seja ou não cultural. Devemos nos concentrar na luta política para criar bases cada vez mais sólidas que façam surgir mais cineclubes e fortaleçam os existentes.”

Militância, compromisso e independência

Diante das dúvidas que pairavam quanto à realização da Pré-Jornada, Felipe Macedo — que além de cineclubista desde a década de 70 é diretor de Atividades Culturais do memorial da América latina, em São Paulo, SP — também distribuiu nota em que tece comentários quanto às dificuldades vividas pelo movimento e exorta à ação.

“Agora é hora de agir, de decidir”, afirma Macedo. “Creio que as ilusões de um movimento que dependa tão direta e exclusivamente de governos — qualquer que seja — estão definitivamente enterradas.” Depois de apontar compromissos assumidos e iniciativas de integrantes do movimento cineclubista no país todo, ele afirma que “não é hora de hesitação, nem de recriminações. É hora de militância, de compromisso, de independência”. Nesse momento, continua Macedo, o cineclubismo tem responsabilidades às quais não pode se furtar. Os prejuízos decorrentes de mais um adiamento da Pré-Jornada seriam irrecuperáveis, e o importante é tomar decisões. “O movimento pode se estruturar em outras bases. Mais realistas, mais cautelosas, mais críticas. E sobretudo mais independentes”, insiste.

(Frank Ferreira)

Pré-Jornada 2005: deliberações

Por: Frank Ferreira em: Qui 22 de Sep, 2005 05:34 PDT (1108 Leituras)

(9486 bytes)

Editar Imprimir Remover
O presidente do Conselho Nacional de Cineclubes (CNC), Antonio Claudino de Jesus, distribuiu a versão preliminar do relatório da Pré-Jornada 2005 — que aconteceu em Ribeirão Preto (SP), de 8 a 11 de setembro —, para que os participantes do encontro, se necessário, complementem ou retifiquem as informações.
Quem disse presente

Participaram dos debates da Pré-Jornada 2005 o presidente do CNC, Antonio Claudino de Jesus (ES), Claudino de Jesus, Fernando Kaxassa, Hermano Figueiredo e Frederico Cardosoo vice-presidente, Hermano Figueiredo (AL), o secretário Antenor Gentil Junior (DF), o tesoureiro João Batista Pimentel Neto (SP), o diretor de Projetos e Formação, Frederico Cardoso (RJ) e o diretor de Arquivo e Acervo, Carlos Seabra (SP). Também compareceu o suplente da Secretaria Eduardo Benfica (GO).

Devido aos sucessivos adiamentos da Pré-Jornada, não puderam comparecer e justificaram suas ausências a diretora de Comunicação, Bruna Rafaela Veiga (PR), e os suplentes de Tesouraria, Sebastião Ribeiro Filho (ES), da diretoria de Arquivo e Acervo, Vinicius Cabral Ribeiro (MG), e da Diretoria de Projetos e Formação, Débora Butruce (RJ).

Além dos diretores do CNC, participaram da Pré-Jornada Fernando “Kaxassa” José da Silva, Odônio dos Anjos Filho e Ademar Cardoso de Souza (Cineclube Cauim, de Ribeirão Preto, SP, que recebeu a Pré-Jornada), Fernando Santana (Centro Rio-Clarense de Estudos Cinematográficos, de Rio Claro, SP), Luiz Alberto Cassol e Paulo Henrique Teixeira (Cineclube Lanterninha Aurélio, de Santa Maria, RS), Patrícia Andrade da Silveira (Cineclube Vila Buarque, de São Paulo, SP) e Frank R. C. Ferreira (Cineclube Darcy Ribeiro, de São Paulo, SP). Marcos Valério Guimarães representou a Comissão de Cineclubes do Espírito Santo. Estiveram presentes ainda Felipe Macedo (São Paulo, SP) e João Bacelar (Campinas, SP), assessores da diretoria do CNC.

Em visita oficial, a Pré-Jornada 2005 recebeu João Batista de Andrade, secretario estadual de Cultura de São Paulo, acompanhado do deputado estadual Arnaldo Jardim (PPS-SP).

Pauta e deliberações

Devido à necessidade de “enxugar” a pauta de discussões, os trabalhos concentraram-se em três pontos: relatório de atividades da diretoria do CNC e dos cineclubes presentes; deliberações (local, data e temário) quanto à 26ª Jornada Nacional; e atividades até a realização deste evento. Os relatórios detalhados serão publicados no site do CNC.

Com a desistência da Federação Gaúcha de Cineclubes (FGCine) de assumir a realização da 26ª Jornada em Porto Alegre (RS) e diante da disposição do Cineclube Lanterninha Aurélio para se encarregar do evento, os membros presentes da diretoria do CNC decidiram-se unanimemente pela cidade de Santa Maria (RS) e pela data de Claudino de Jesus, Antenor Gentil Jr. e Luiz Alberto Cassol1º a 4 de dezembro próximo. Até o dia 30 de setembro, o CNC e a Cooperativa de Estudantes de Santa Maria (Cesma) — entidade mantenedora do Lanterninha Aurélio —devem dar entrada no Ministério da Cultura (Minc) com o projeto correspondente, para fins de obtenção dos benefícios da Lei Rouanet e do Fundo Nacional de Cultura. A manifestação da FGCine (external link) está disponível no site do CNC, assim como a carta da Cesma (external link)

A comissão organizadora da 26ª Jornada Nacional de Cineclubes ficou constituída por Antonio Claudino (coordenador), Antenor Junior, João Batista Pimentel Neto e Luiz Alberto Cassol. Devem ser integrados a esse grupo Bebeto Badke, como representante da Comissão Organizadora Local (em Santa Maria), e um representante da Cesma.

Quanto ao temário, deliberou-se pelo eixo “fundamentação para o estabelecimento de um planejamento estratégico voltado para a efetiva implementação do plano de trabalho aprovado durante a 25ª Jornada Nacional de Cineclubes (São Paulo, SP, dezembro de 2004)”. Essa linha geral será detalhada pela comissão integrada por Felipe Macedo (coordenador), Frederico Cardoso, Antenor Junior, Marcos Valério Guimarães, Paulo H. Teixeira e Hermano Figueiredo.

Até a 26ª Jornada

Paralelamente às providências exigidas para a realização da 26ª Jornada, a diretoria do CNC deliberou acerca de atividades pontuais destinadas a atualizar e regularizar as situações financeira, jurídica e fiscal do Conselho. Foi sugerido o exame da viabilidade de se criar uma entidade tipo “associação dos amigos do CNC”, para facilitar o encaminhamento de projetos importantes e urgentes.

De imediato, as atividades da diretoria do CNC serão apoiadas por um núcleo coordenado por João Batista Pimentel Neto e sediado junto ao Centro Rio-Clarense de Frank Ferreira, Patricia Andrade e Carlos SeabraEstudos Cinematográficos, em Rio Claro (SP), com as tarefas de emitir boletins eletrônicos, organizar a filiação de cineclubes e as finanças do Conselho, dar sustentação ao site do CNC verificar e promover sua migração para o domíniowww.cineclubes.org.br (external link) verificar. Foi essencial para o estabelecimento desse núcleo a contribuição financeira, na forma de pagamento de anuidade, dos cineclubes Cauim, Vila Buarque, Lanterninha Aurélio, da Praça (Vila velha, ES), Cenart (Goiânia, GO) e Ideário (Maceió, AL).

Como atividade específica, resolveu-se pela publicação de boletim mensal com informes relativos à próxima Jornada. Além disso, decidiu-se pelo estímulo à ampliação do mapeamento dos cineclubes brasileiros, à organização de acervo voltado para o movimento e à retomada das relações institucionais (pauta conjunta e negociações políticas) com a Secretaria do Audiovisual do MinC.

Por fim, destacou-se a importância da implantação do circuito nacional CNC/Associação Brasileira de Documentaristas (ABD) a partir do dia 27 de setembro, com a exibição do filme Dom Helder — o santo rebelde, de Erika Bauer, para o que também foi constituída comissão coordenada por Hermano Figueiredo.

Durante as discussões, Antonio Claudino falou por telefone com Geraldo Moraes, presidente do Congresso Brasileiro de Cinema (CBC). Sócrates, Paulo Teixeira, Fernando Santana, João Batista Pimentel e Hermano FigueiredoMoraes reafirmou o apoio do CBC ao circuito CNC/ABD e reiterou o convite para que o Conselho participe com direito a voz e voto do próximo Congresso Brasileiro de Cinema, que será realizado em Recife (PE), de 7 a 11 de dezembro.

Encerrados os trabalhos da Pré-Jornada, os participantes foram recebidos em uma saborosa feijoada no Templo da Cidadania, outra instituição ligada ao Cineclube Cauim. Lá, assistiram a apresentação do Coral BossaNossa e confraternizaram com um dos diretores da casa, Sócrates, o ex-craque do Corinthians.

João Batista: cultura e cidadania

No sábado, 10 de setembro, o secretário estadual de Cultura de São Paulo, João Batista de Andrade, foi recebido pelos participantes da Pré-Jornada 2005, em Ribeirão Preto (SP).

Saudado por Antonio Claudino, Fernando Kaxassa, João Batista Pimentel Neto e Felipe Macedo, o secretário lembrou seu estreito relacionamento com o movimento cineclubista, que considera fundamental para o cinema brasileiro. Para ele, os atuais desafios para quem milita nas atividades culturais são colaborar com o desenvolvimento nacional e lutar contra a exclusão social. “O modelo de desenvolvimento vigente João Batista de Andrade e Claudino deJesuscriou interesses materiais, com a presença das ‘majors’ e a concentração das salas exibidoras, que se configuram em processo de exclusão”, disse. “Não há como sair desse processo com os mesmos instrumentos que o criaram.” A solução é juntar cultura e cidadania e apoiar propostas novas para enfrentar a exclusão social, aponta João Batista de Andrade.

O secretário informou os presentes sobre o lançamento em breve, em cinco cidades brasileiras, por sinal de satélite, de seu próximo filme, cujo tema é a trajetória de Vladimir Herzog — seu companheiro de trabalho na TV Cultura paulista, assassinado por integrantes de órgãos de repressão política em outubro de 1975. Em DVD, a obra estará disponível a partir de novembro.

O cineasta anunciou também que seu filme O homem que virou suco estará recuperado em breve. Esse trabalho, amplamente distribuído através de cineclubes no início dos anos 80, deve ser lançado em vídeo no começo de 2006, e João Batista de Andrade gostaria de vê-lo novamente inserido nas atividades do movimento cineclubista (Frank Ferreira).

A versão definitiva do relatório será posta à disposição do movimento cineclubista no site do CNC (external link).

tackB Veja a galeria de fotos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

FILMES SÃO FEITOS PARA SEREM VISTOS!

Pular para a barra de ferramentas