boletim vento norte V

CREC / Centro Rio Clarense de Estudos Cinematográficos
Nós Somos o Público!

Comemoramos 80 anos de cineclubismo celebrando a fundação do primeiro cineclube organizado, com estatutos e tal: o Chaplin Club, fundado em 13 de junho de 1928, no Rio de Janeiro. Estes 80 anos, tentando falar em termos de políticas públicas para a área do cinema – e especialmente para cineclubes – foram essencialmente marcados pela ausência delas.

Boletim Vento Norte

Ano II – Número V – Março 2008

Boletim Informativo do CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros.
Entidade representativa dos cineclubes brasileiros
Membro da FICC – Federação Internacional de Cineclubes

Por CNC_Comunicações
Dom 16 de Mar, 2008 12:42

Editorial

80 anos de cineclubismo
Políticas públicas e democratização do acesso

“Comemoramos 80 anos de cineclubismo celebrando a fundação do primeiro cineclube organizado, com estatutos e tal: o Chaplin Club, fundado em 13 de junho de 1928, no Rio de Janeiro. Estes 80 anos, tentando falar em termos de políticas públicas para a área do cinema – e especialmente para cineclubes – foram essencialmente marcados pela ausência delas.

Foi um período dividido entre omissão pública, deixando o cinema vogar ao sabor do mercado e das iniciativas privadas, e intervenção estatal gerada, no mais das vezes, pelos regimes autoritários e, com muita freqüência, tendo como objetivo o controle da produção e da circulação dos produtos culturais e a contenção das organizações culturais.

Mesmo assim, a presença do Estado foi muito importante: a criação do INCE, da Embrafilme, Concine, entre outras, foi essencial para um mínimo equipamento do Estado na área do cinema cultural, uma regulamentação que alguns casos beneficiou o cinema brasileiro e possibilitou avanços na produção cultural.

A par do DIP, do Estado Novo, ou da Censura nos 20 anos do regime militar
A “desregulamentação” promovida no governo Collor quase acabou com o cinema brasileiro, inaugurando uma etapa de reafirmação da hegemonia de um modelo de cinema elitista – por que o público não tem acesso – excludente – porque o cinema brasileiro e internacional não são exibidos – e virtualmente ultrapassado – porque baseado num paradigma tecnológico caro e superado.

Nesse modelo, o Estado não interfere, deixando o cinema ser dirigido segundo as forças livres do mercado, cuja sede fica em um bairro famoso de Los Angeles.
Este governo, sob a direção do Ministro Gilberto Gil, inaugurou a perspectiva de uma real política pública.

Porque, ao contrário da maior parte destes 80 anos, há uma formulação política por parte do aparelho estatal, mas voltada para o diálogo com a sociedade civil.
Política formulada apenas nos gabinetes é, no máximo, política estatal, que pode produzir alguns acertos, mas também alguns monstros.

Política pública só existe quando fruto do diálogo com a sociedade civil. Não é fruto nem da formulação exclusiva de gabinetes nem seu contrário, mera expressão de reivindicações corporativas de segmentos do sociedade: é um diálogo entre demandas sociais e orientação pública do interesse do conjunto da república.

A fase atual, de reorganização do movimento cineclubista, tem muito a ver com tudo isso.

Os cineclubes começaram a se reencontrar e se reorganizar a partir de um impulso dado pelo MINC, que estimulou a realização da 23ª. Jornada Nacional de Cineclubes, em 2003, em Brasília.

De lá para cá, interagindo com instituições públicas, principalmente o Minc e Ancine, o movimento foi o principal responsável pelo seu próprio reconhecimento institucional – através da Instrução Normativa 66 da Ancine, publicada depois de uma memorável consulta pública, com 700 manifestações de apoio, até de adversários da gestão do CNC.

Produto de um diálogo em formação, os cineclubes (*) também “conquistaram” um edital que distribuiu 100 kits de equipamentos de projeção. Era uma reivindicação da Comissão de Reorganização do Movimento Cineclubista, eleita na Jornada de Brasília, que se corporificou 3 anos depois.

(*) Mas até muito recentemente não se tratava, ou se falava de cineclube na construção dessa política. Apesar disso, a grande maioria dos Pontos de Difusão Digital são, como é natural, cineclubes. E até entre os Pontos de Cultura – uma das importantes iniciativas em termos de política cultural do MINC e que tem um escopo de certa forma mais amplo do que o audiovisual, dos cineclubes – mais de 20% são constituídos por ou associados a cineclubes.

De forma que, mais ou menos a partir da apresentação do Programa Mais Cultura, feita pela presidente Lula, a palavra cineclube finalmente foi integrada sem restrições à política pública de cinema que está sendo finalmente construída neste País.
Outra conquista importante dos cineclubes foi a criação da Programadora Brasil. Ela é o fruto exemplar do diálogo ao mesmo tempo que das dificuldades do diálogo. Também demorou um pouco, mas menos, para falar em cineclube. Chamou para a sua direção uma importante liderança cineclubista, mas não tem representação cineclubista da curadoria do seu acervo.

Estamos entrando numa segunda etapa da elaboração dessa política pública.
Vista do ponto de vista dos cineclubes, ela parece apontar para um avanço estrutural, um aperfeiçoamento, um salto de qualidade que também é marcado pela generalização quantitativa das iniciativas do governo.

Há uma certa reorganização no Ministério da Cultura, fruto justamente desse avanço político e cultural, que se caracteriza por:

  • Maiores recursos para a consecução dessa política: nunca antes na história deste País se programou igual montante de recursos ( mais de 4 bilhões) para a realização de um plano definido e submetido à avaliação da sociedade
  • Unificação e generalização dos programas anteriores: a partir, grosso modo, da experiência dos Pontos de Cultura, estabeleceu-se a meta de 20 mil Pontos diversos, incluindo a inclusão digital, pontos de leitura, etc, e também cineclubes.
  • Do ponto de vista dos cineclubes, é preciso esclarecer e determinar também o aperfeiçoamento da participação da sociedade, como elemento essencial da construção e afirmação, agora sim, e como nunca antes, de uma política pública de cultura e, especialmente, e também pela primeira vez, de uma política nacional de cineclubismo.”

Antonio Claudino de Jesus
Presidente do CNC

VENTO NORTE EM AÇÃO

CNC É DESTAQUE NO MÉXICO (external link)
Representantes Brasileiros coordenaram atividades da Conferência Mundial
Por: CNC_Comunicações em: Seg 10 de Mar, 2008 21:35 UTC
Imagem do artigo Representantes do CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros foram conferencistas em várias mesas da I Conferência Mundial de Cineclubes da 1ª Conferência Mundial de Cineclubismo realizada na Cidade do México. Ao final da Conferência foi aprovada e divulgada a Carta de San Angél.

POLÍTICAS PÚBLICAS (external link)
CNC se reúne com o novo secretário do audiovisual em Atibaia
Por: CNC_Secretaria em: Qui 13 de Mar, 2008 20:03 UTC
No encerramento do Seminário “80 Anos de Cineclubismo no Brasil”, realizado dentro da programação oficial do 3º FAIA – Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual, o CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros se reuniu com o novo secretário do audiovisual, Silvio Da-Rin. Confira a ata da reunião.

PROGRAMADORA BRASIL (external link)
CNC e SAV firmam termo de parceria em Atibaia
Por: CNC_Comunicações em: Qui 17 de Jan, 2008
No encerramento do Seminário “80 Anos de Cineclubismo no Brasil”, realizado dentro da programação oficial do 3º FAIA – Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual, a SAV – Secretaria do Audiovisual através da Programadora Brasil assinou um termo de parceria com o CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros. Confira os termos da parceria.

DEMOCRATIZANDO O AUDIOVISUAL (external link)
Projeto apresentado pelo CNC fica no Banco de Projetos
Por: CNC_Comunicações em: Sáb 04 de Aug, 2007 07:29 UTC
O CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros apresentou o Projeto Democratizando o Audiovisual no edital para escolha dos Pontões de Cultura realizado pela SPPC – Secretaria de Programas e Projetos Especiais do MinC. A Comissão de Seleção do Edital aprovou o projeto e colocou-o no Banco de Projetos. Conheça o projeto em sua íntegra.

NOTA OFICIAL DO CONSELHO NACIONAL DE CINECLUBES (external link)
Contra o obscurantismo e a mercantilização da cultura no Brasil.
Por: Diretoria_CNC em: Seg 10 de Mar, 2008 23:40 UTC
Esse é o documento final da mobilização em apoio à livre circulação do conhecimento e de bens culturais! Somamos 1038 assinaturas, contra o obscurantismo e a mercantilização da cultura no Brasil. Uma mobilização que nasceu em apoio a UFES – Universidade Federal do Espírito Santo, ao cineclubismo capixaba e ao CineFalcatrua!

VII CONGRESSO BRASILEIRO DE CINEMA (external link)
Diretor do CNC é eleito para o Conselho Consultivo da entidade
Por: João Baptista Pimentel Neto em: Dom 02 de Mar, 2008 03:41 UTC
O VII Congresso Brasileiro de Cinema, reuniu-se entre os dias 5 e 9 de dezembro de 2007, na cidade de São Roque, São Paulo, realizando: seminários para convidados e delegados das entidades, eleição da nova diretoria, sessões plenárias. Pela primeira vez na história, o CNC elegeu um representante para o Conselho Consultivo da entidade.

MOBILIZAÇÃO

ENCONTRO DE CINECLUBES DO NE (external link)
Cineclubes nordestinos se mobilizam para garantir encontro
Por: Mobilização_CNC em: Qua 05 de Mar, 2008 19:40 UTC
Em parceria com a Cineclube Casa Curta-SE, o CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros lança convocatória de mobilização aos cineclubes nordestinos, visando garantir a realização do Encontro de Cineclubes do Nordeste, conforme deliberação do I Encontro de Cineclubes do Nordeste realizado durante o I GOIAMUN AUDIOVISUAL, em Natal, em novembro de 2007.

MANIFESTO PL 29 (external link)
Cotas: política legítima de valorização e estímulo ao conteúdo nacional
Por: João Baptista Pimentel Neto em: Seg 10 de Mar, 2008 02:12 UTC
A Câmara dos Deputados deve retomar em breve a discussão sobre o Projeto de Lei 29/2007, que altera a regulamentação o setor de TV por assinatura no país. O projeto apresenta alguns mecanismos que visam ampliar a diversidade e a pluralidade do conteúdo veiculado através deste serviço. O CNC participa da mobilização pela aprovação do projeto.

CENSO E CAMPANHA DE FILIAÇÃO (external link)
CNC já contabiliza mais de 130 cineclubes filiados
Por: Secretária_CNC em: Seg 10 de Mar, 2008 19:47 UTC
Com a filiação de mais de duas dezenas de cineclubes nos últimos três meses, o CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros já conta com mais de 130 cineclubes filiados em 18 estados brasileiros. Confira a lista e se seu cineclube não é filiado, filie-se!

NOTÍCIAS ESTADUAIS

CINECLUBES FUNDAM FEDERAÇÃO CAPIXABA (external link)
Entidade foi criada ao final do II Encontro de Cineclubes Capixabas
Por: Redação em: Qua 05 de Mar, 2008 19:33 UTC
Em assembléia realizada ontem (24), em Vila Velha (ES), no encerramento do 2º Encontro de Cineclubes do Espírito Santo, os cineclubistas participantes do evento aprovaram os estatutos de fundação da Federação Capixaba de Cineclubes e elegeram sua primeira diretoria e conselho fiscal.

FEDERAÇÃO DE CINECLUBES DO ESTADO DE SÃO PAULO (external link)
Cineclubes paulistas discutirão propostas que serão encaminhadas ao Governo Estadual
Por: João Baptista Pimentel Neto em: Sáb 08 de Mar, 2008 16:11 UTC
A Federação de Cineclubes do Estado de São Paulo realizará nos dias 15 e 16 de Março de 2008, em São Paulo/Sp, na sede do Cineclube Bela Vista Bela, sito a Rua da Abolição,274, mais uma reunião. Aberta a participação de todos os cineclubes do Estado de São Paulo, a reunião deverá aprovar documento que será entregue à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

ASCINE/RJ DIVULGA BALANÇO DE ATIVIDADES (external link)
A Associação Carioca mostra a força do cineclubismo no Estado
Por: Assessoria_ASCINE em: Seg 25 de Feb, 2008 00:48 UTC
Associação de Cineclubes do Rio de Janeiro (ASCINE-RJ) foi concebida em agosto de 2004, durante a I Mostra Rio das Ostras de Cinema, para atender às necessidades dos cineclubes fluminenses que então se encontravam em pleno funcionamento após o recrudescimento da atividade na virada do século.

MEMÓRIA

3º FAIA INICIOU ATIVIDADES EM COMEMORAÇÃO AOS 80 ANOS DE CINECLUBISMO (external link)
Evento aconteceu de 15 a 20 de janeiro em Atibaia, SP e reuniu as principais entidades do audiovisual brasileiro
Por: João Baptista Pimentel Neto em: Seg 14 de Jan, 2008 11:01 UTC
Coordenado pelo CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros em parceria com a Federação de Cineclubes do Estado de São Paulo e com o Difusão Cineclube foi realizado o Seminário “80 Anos de Cineclubismo no Brasil: Alternativas de Distribuição e Exibição para o Brasil de Hoje”, que reúniu representantes das principais entidades governamentais e não governamentais do audiovisual brasileiro.

CARTA GOIAMUN (external link)
Entidades do Audiovisual do NE divulgam carta aberta
Por: Redação_CNC em: Sáb 04 de Aug, 2007 [07:44 UTC
Reunidos no período de 30 de outubro de 2007 a 01 de Novembro de 2007, durante a realização do I GOIAMUN AUDIOVISUAL, em Natal/RN, as Entidades abaixo assinadas, ao final dos 03 (três) dias de intensivos trabalhos e trocas de experiências, decidiram divulgar esta “CARTA GOIAMUN”.

BOLETIM VENTO NORTE III (external link)
Veja os resultados da Pré-Jornada Nacional de Cineclubes de Vitória
Por: CNC_Comunicações em: Sáb 04 de Aug, 2007 06:47 UTC
No período de 12 a 14 de outubro de 2007, durante a Pré-Jornada Nacional de Cineclubes, após três dias de intenso trabalho, estimulados pelas recentes conquistas alcançadas e pela constatação do formidável processo de crescimento e de fortalecimento de sua entidade nacional, o CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros, 62 cineclubes, vindos de 14 estados, resolveram:

EXPEDIENTE

”O Boletim Vento Norte é o Informativo Oficial do CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros.”

DIRETORIA
Presidente, Antonio Claudino de Jesus – Espírito Santo;
Vice-presidente, Luiz Alberto Cassol – Rio Grande do Sul;
Secretário Geral, João Baptista Pimentel Neto – São Paulo;
Tesoureira, Rosângela Rocha – Sergipe;
Suplente, Francisco Giovanni Fernandes – Rio Grande do Norte;
Diretor de Formação e Projetos, Frederico Cardoso – Rio de Janeiro; (licenciado)
Suplente, Leila Barreto – Rio de Janeiro;
Diretora de Arquivo e Difusão, Débora Butruce – Rio de Janeiro;
Suplente, Marcio de Castro – Rio de Janeiro;
Diretor de Comunicação, Beto Leão – Goiás; (licenciado)
Suplente, Carlos Alberto Badke – Rio Grande do Sul;

CONSELHO DE REPRESENTANTES
Dario Gularte – Presidente do CR
Felipe Macedo – Secretário do CR
André Sandino Costa – CR/RJ
Calebe Pimentel – CR/SP
Fernando de Sousa – CR/SP

SERVIÇO
CNC – CONSELHO NACIONAL DE CINECLUBES BRASILEIROS (external link)
Rua Fernando de Noronha, 19 – Jardim Guadalajara
Vila Velha – ES.
CEP 29109-040
Tel 27-32393028 / 88111899
e-mail:diretoria@cineclubes.org.br

Visite também o
PEC – PONTO DE ENCONTRO CINECLUBISTA

1928-2008
80 ANOS DE CINECLUBISMO NO BRASIL.

NÓS SOMOS O PÚBLICO!

Esta mensagem é enviada de acordo com a nova legislação sobre correio eletrônico, Seção 301, Parágrafo (a) (2) (c) Decreto S. 1618, Título Terceiro aprovado pelo 105 Congresso Base das Normativas Internacionais sobre o SPAM.

Este E-mail não poderá ser considerado SPAM quando inclua uma forma de ser removido.

Caso não queira receber mais este informativo, clic aqui digitando no corpo da mensagem o seu endereço de e-mail a ser removido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

FILMES SÃO FEITOS PARA SEREM VISTOS!

Pular para a barra de ferramentas