I Conferência Municipal de Cultura – Arroio Grande (RS) – 02 outubro

Decreto n° 296/2009.

Convoca a I Conferência Municipal de Cultura e torna pública a aprovação do seu Regimento Interno.

JORGE LUIZ CARDOZO, Prefeito Municipal de Arroio Grande, Estado do Rio Grande do Sul, no uso de suas atribuições legais:

DECRETA:

Art. 1º Fica convocada a I Conferência Municipal de Cultura – I CMC, sob a coordenação da Secretaria Municipal de Cultura de Arroio Grande, para o dia 02 de outubro de 2009.
Parágrafo único. A I Conferência Municipal de Cultura corresponde a uma etapa da II Conferência Nacional de Cultura- CNC

Art. 2º Torna pública a aprovação, pela Comissão Organizadora Municipal e Comitê Executivo do Regimento Interno da I Conferência Municipal de Cultura, na forma do Anexo I.

Art. 3º A I Conferência Municipal de Cultura terá como tema geral: “Qual a representação de Cultura no Município?”.

Art. 4º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

GABINETE DO PREFEITO MUNICIPAL DE ARROIO GRANDE.
Em: 27 de Agosto de 2009.

JORGE LUIZ CARDOZO
Prefeito Municipal

Registre e publique-se.

Julio Luis Quevedo Rodrigues
Secretário Municipal de Administração.

REGIMENTO INTERNO DA I CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA

CAPITULO I

DOS OBJETIVOS

Art. 1º- A I Conferência Municipal de Cultura, terá os seguintes objetivos:
I- Mobilizar cidadãos – artistas da cultura popular, intelectuais, grupos e entidades culturais, estudantes, professores e representantes de diversos setores da sociedade.
II- Eleger delegados municipais para a participação na  Conferência Estadual preparatória da II CNC 2010.
III- Valorizar a cultura da nossa Terra.
IV-  Elaborar coletivamente o Plano Municipal de Cultura.
V- Discutir os eixos  da II CNC 2010 “Produção Simbólica e Diversidade Cultural, Cultura, Cidade e Cidadania, Cultura e Desenvolvimento Sustentável, Cultura e Economia Criativa, Gestão e Institucionalidade da Cultura”, e suas implicações para o município.
VI- Elaborar o relatório municipal a ser envido a Conferência Estadual e Nacional.
VII- Debater a criação do Conselho Municipal de Cultura, O Fundo Municipal de Cultura, Plano Municipal de Cultura e o Sistema Municipal de Cultura.
VIII- Discutir a cultura brasileira e local nos seus aspectos da memória, de produção simbólica, da gestão, da participação social e da plena cidadania;
IX – Propor estratégias para o fortalecimento da cultura como centro dinâmico do desenvolvimento sustentável;
X – Promover o debate entre artistas, produtores, conselheiros, gestores, investidores e demais protagonistas da cultura, valorizando a diversidade das expressões e o pluralismo das opiniões, no município;
XI – Propor estratégias para universalizar o acesso dos arroio-grandenses à produção e à fruição dos bens e serviços culturais;
XII – Propor estratégias para a consolidação dos sistemas de participação e controle social na gestão das políticas públicas municipais de cultura;
XIII – Aprimorar e propor mecanismos de articulação e cooperação institucional entre o município e deste com a sociedade civil;
XIV – Fortalecer e facilitar a formação e funcionamento de fóruns e redes de artistas, agentes, gestores, investidores e ativistas culturais;
XV – Propor estratégias para a implantação do Sistema Municipal de Cultura e do Sistema de Informações e Indicadores Culturais Municipal;
XVI – Propor estratégias para a implementação, acompanhamento e avaliação do Plano Nacional de Cultura e recomendar metodologias de participação, diretrizes e conceitos para subsidiar a elaboração do Plano Municipal.
XVII- Avaliar os resultados obtidos a partir da I Conferência Municipal de Cultura.

CAPÍTULO II

DO TEMÁRIO

Art. 2º- I Conferência Municipal de Cultura terá como tema geral “Qual a representação de cultura no Município?”,
Art. 3º Constituirão eixos e sub-eixos temáticos da II Conferência Nacional de Cultura e em conseqüência da I Conferência Municipal de Cultura:

I- PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL

Foco: produção de arte e de bens simbólicos, promoção de diálogos interculturais, formação no campo da cultura e democratização da informação.
– Produção de Arte e Bens Simbólicos
– Convenção da Diversidade e Diálogos Interculturais
– Cultura, Educação e Criatividade
– Cultura, Comunicação e Democracia

II – CULTURA, CIDADE E CIDADANIA

Foco: cidade como espaço de produção, intervenção e trocas culturais, garantia de direitos e acesso a bens culturais.
– Cidade como Fenômeno Cultural
– Memória e Transformação Social
– Acesso, Acessibilidade e Direitos Culturais

III – CULTURA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Foco: a importância estratégica da cultura no processo de desenvolvimento
– Centralidade e Transversalidade da Cultura
– Cultura, Território e Desenvolvimento Local
– Patrimônio Cultural, Meio Ambiente e Turismo

IV – CULTURA E ECONOMIA CRIATIVA

Foco: economia criativa como estratégia de desenvolvimento
– Financiamento da Cultura
– Sustentabilidade das Cadeias Produtivas da Cultura
– Geração de Trabalho e Renda

V – GESTÃO E INSTITUCIONALIDADE DA CULTURA

Foco: fortalecimento da ação do Estado e da participação social no campo da cultura
– Sistemas Nacional, Estaduais e Municipais de Cultura.
– Planos Nacional, Estaduais, Municipais, Regionais e Setoriais de Cultura.
– Sistemas de Informações e Indicadores Culturais

CAPÍTULO III

DA REALIZAÇÃO

Art. 4° A I Conferência Municipal de Cultura, que será integrada por representantes democraticamente escolhidos, na forma prevista neste Regimento Interno, terá abrangência municipal e sua Plenária será realizada em Arroio Grande, no dia 02 de outubro de 2009.
.
CAPÍTULO IV

DA ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO

Art. 5º A I Conferência Municipal de Cultura será presidida pelo Secretário Municipal de Cultura e na sua ausência ou impedimento eventual pela Assessora Cultural da Secretaria Municipal de Cultura.
§1º A Coordenação Geral da I Conferência Nacional de Cultura será exercida pelo titular da Secretaria juntamente com o Comitê Executivo Municipal.
§ 2º A Conferência Municipal poderá ser antecedida por pré-conferências de caráter mobilizador, propositivo e eletivo, que seguirão os critérios e proporcionalidade indicados no anexo II deste Regimento.
Art. 6º Para a organização e desenvolvimento de suas atividades, a I Conferência Municipal de Cultura contará com a Comissão Organizadora Municipal e o Comitê Executivo Municipal.
Art. 7°. A Comissão Organizadora Municipal será composta por 06 (seis) membros no mínimo, dentre os representantes da Secretaria Municipal da Cultura, indicados pelo Secretário Municipal da Cultura e membros de Instituições convidadas, conforme anexo I.
Parágrafo único. A Coordenação Geral da Comissão Organizadora Municipal será exercida pelo titular da Secretaria Municipal de Cultura.
Art. 8º. O Comitê Executivo Municipal será composto por 10 (dez) membros no mínimo dentre os representantes da Secretaria Municipal da Cultura e representantes de Instituições e ou ONGs, conforme anexo I.
Art. 9º. Compete à Comissão Organizadora Municipal:
I – coordenar, supervisionar e promover a realização da I Conferência Municipal de Cultura;
II – aprovar a proposta de programação da I Conferência Municipal de Cultura elaborada pelo Comitê Executivo Municipal;
III – assegurar a lisura e a veracidade de todos os atos e procedimentos relacionados à realização da I Conferência Municipal de Cultura;
IV – atuar junto ao Comitê Executivo Municipal, formulando, discutindo e propondo as iniciativas referentes à organização da I Conferência Municipal de Cultura;
V – mobilizar parceiros e entidades, no âmbito de sua atuação no município, para preparação e participação nas Conferências locais e estaduais;
VI – acompanhar o processo de sistematização das diretrizes e proposições da I Conferência Municipal de Cultura;
VII – definir os critérios para a escolha dos convidados e observadores para participação na etapa municipal da I Conferência Municipal;
VIII – deliberar sobre os demais casos, omissos ou conflitantes, deste Regimento.
Art. 10. Ao Comitê Executivo Municipal compete:
I- definir metodologia e elaborar a proposta de programação da I Conferência Municipal de Cultura a ser aprovada pela Comissão Organizadora Municipal;
II- elaborar o calendário e a pauta de reuniões da Comissão Organizadora Municipal;
III – dar cumprimento às deliberações da Comissão Organizadora Municipal;
IV- apoiar e acompanhar a realização da Conferência do Município;
V- receber e sistematizar o Relatório da Conferência Municipal no(s) caso(s) previstos neste Regimento;
VI- coordenar a divulgação da I Conferência Municipal de Cultura;
VII- coordenar a elaboração do documento sobre o temário central, do relatório final e anais da I Conferência Municipal de Cultura;
VIII- proceder à escolha e indicação dos convidados e observadores que participarão na etapa municipal da I Conferência Municipal de Cultura, de acordo com critérios definidos pela Comissão Organizadora Municipal.

CAPÍTULO V

DOS PARTICIPANTES

Art. 11. A I Conferência Municipal de Cultura terá assegurada, em todas as suas etapas, a ampla participação de representantes do poder público e da sociedade civil.
Art. 12. Na etapa municipal da I Conferência Municipal de Cultura, os participantes serão constituídos em duas categorias:
I – Delegados com direito a voz e voto;
II – Convidados e observadores com direito a voz;
Art. 13. A categoria de Delegados da etapa municipal será composta por 25 Delegados Natos no mínimo.
Parágrafo único- São considerados Delegados natos todos os cidadãos do município que se credenciarem no dia da plenária municipal da I CNC.

CAPÍTULO VI

DOS RECURSOS FINANCEIROS

Art. 14. As despesas com a organização e realização da etapa municipal da I Conferência Municipal de Cultura, no que tange às responsabilidades expressas neste Regimento, correrão à conta de recursos orçamentários da Secretaria Municipal de Cultura.

CAPÍTULO VII

DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL

Art 15. A realização da Conferência Municipal é condição indispensável para participação de delegados na Conferência Estadual.
§ 1º O Poder Executivo Municipal deve convocar a respectiva Conferência por meio de Decreto próprio e dar publicidade ao ato, obedecendo às diretrizes estabelecidas neste Regimento.
§ 2º A convocação da Conferência Municipal e a publicidade oficial que se der à mesma deverá explicitar sua condição de etapa integrante da II Conferência Nacional de Cultura.
Art. 16. Cada Conferência Municipal terá direito ao máximo de 25 (vinte e cinco) delegados para a Conferência Estadual.
Art. 17. Para que a Conferência Municipal seja válida para a etapa estadual e perante a II Conferência Nacional de Cultura será necessária à comprovação de quorum mínimo de 25 (vinte e cinco) participantes, com representação da sociedade civil e da área governamental.
§ 1º A Conferência Municipal será realizada em uma única etapa – com a realização da Plenária Municipal.
§ 2º Com o objetivo de uniformizar os critérios para a eleição de delegados na conferência municipal para as conferências estaduais, é obrigatória a aplicação do percentual indicado no anexo II.
Art. 18. A Conferência Municipal será coordenada por comissões organizadoras própria, com a participação do poder público municipal e entidades não governamentais, que deverão ter as seguintes atribuições:
– definir Regulamento Municipal, contendo critérios de participação da sociedade civil, respeitadas as definições do Regimento Nacional;
– definir data, local, pauta e programação da Conferência, respeitadas as datas e definições do Regimento Nacional;
– organizar a Conferência Municipal.
§ 1° A Comissão Organizadora Municipal enviará ao Comitê Executivo Nacional as informações relacionadas aos incisos I e II deste artigo, até 10 dias após a data da publicação da convocação.
§ 2° Os Eixos Temáticos da Conferência Municipal deverá contemplar o temário nacional, sem prejuízo das questões locais.
§ 3º A Comissão Organizadora Municipal deverá enviar à Comissão Organizadora Estadual o Relatório Final, bem como a relação dos delegados que serão inscritos para etapa estadual, obedecendo ao prazo e critérios estabelecidos neste Regimento.
Art. 19. As despesas relacionadas à realização da Conferência Municipal, bem como o deslocamento e hospedagem dos delegados eleitos para a etapa estadual são de responsabilidade do município.
Art. 20. Os casos omissos e conflitantes deverão ser decididos pela Comissão Organizadora Municipal, cabendo recurso à Comissão Organizadora Estadual.

CAPÍTULO VIII

DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

Art. 21. Os casos omissos e conflitantes deste Regimento Interno serão resolvidos pelo Comitê Executivo Municipal, cabendo recurso à Comissão Organizadora Nacional.
Art. 22. O presente Regimento Interno entra em vigor na data de sua publicação.

ANEXO I

COMISSÃO ORGANIZADORA MUNICIPAL

REPRESENTANTES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA PARTICIPANTES
Ricardo Freitas da Silva
Secretário Municipal de Cultura
Madelaine Andreuchete Mendes
Assessora Cultural
José Inácio de Freitas Corrêa
Coordenador de Cultura
Cristopher Santos da Silva
Coordenador da Banda Musical Municipal
Fábio Duarte da Cunha
Coordenador Setor Informática
TOTAL: 05

INSTITUIÇÃO CONVIDADA E REPRESENTADA OFICIALMENTE PARTICIPANTES
Icson Prestes
Secretaria Municipal de Turismo
Maicon Souza
Liga das Escolas de Samba
Marília Kosby-
Representando a Antropologia da UFPEL
TOTAL: 04

COMITÊ EXECUTIVO MUNICIPAL

Verônica da Conceição Corrêa
Dança
Eliane da Silva Araújo
APAE
Sibele Monteiro Moura
FAGE
Letícia Christ
Sociedade Cultural Quixote
José Darci Gonçalves
Artista Plástico
Flávia da Conceição Correa
Pesquisadora
Jussara Beatriz Pereira
Comitê da Lagoa Mirim
Cláudio Pereira
Historiador
Lisandro Araújo
Tradicionalista
Lair Soares Corrêa
GEAN
Denise Camacho
Associação Arroio-grandense de Artesãos e EMATER
TOTAL: 11

ANEXO II.

TABELA PARA CÁLCULO DO NÚMERO DE DELEGADOS
Pré-Conferência Municipal
Quantitativo de Participantes Número de Delegados para a Conferência
Municipal
De 25 a 500 5% do número de participantes
Acima de 500 25 Delegados
Conferência Municipal/Intermunicipal
Quantitativo de Participantes Número de Delegados para a Conferência Estadual
De 25 a 500 5% do número de participantes
Acima de 500 25 Delegados
OBS: Nos Municípios em que se realizarem as Pré-Conferências será considerada a soma total dos participantes dessas Pré-Conferências para a definição do número de delegados a serem eleitos para a Conferência Estadual, sendo vedada à participação em mais de uma Pré-Conferência.
Conferência Estadual
Quantitativo de Delegados Número de Delegados para a Conferência Nacional
De 50 a 500 10% do número de Delegados presentes
Acima de 500 50 Delegados
OBS GERAL: Em todas as etapas 2ª Conferência Nacional de Cultura, no cálculo do número de delegados não será considerada as frações.

ANEXO III

RESPONSÁVEIS PELA APRESENTAÇÃO DOS EIXOS

EIXO I:  Verônica, Sibele, José Darci, Verônica, Eliane e Marília.

EIXO II- Letícia Christ e Quixote

EIXO III: Flávia, Lair, Jussara, Cláudio e Lisandro

EIXO IV: Denise, EMATER e artesas

EIXO V: Madelaine e SECULT

Prefeitura Municipal de Arroio Grande
Secretaria Municipal de Cultura

I CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA

“Qual a representação de Cultura no Município?”

ARROIO GRANDE – RS

“Transformar Pensamentos em ações.
Sonhos em realidades.Vontade em fazer.
Construir.  Caminhos que se abrem, possibilidades…
… tecendo uma rede de ação conjunta.
Incluir.

Cultura é primeira necessidade.
Cultura é direito de todos.

E por isso descentralizar, buscar a força que vem das raízes. De diferentes raízes.
Valorizar a diversidade.

Diversificar.
Integrar.

Dialogar e unir forças.
Compor novas redes.
Interagir.

É cultura ao alcance de todos.
E com a participação de cada um.”

Ricardo Freitas da Silva
Secretário Municipal de Cultura

I – DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

“Cultura é gente, diversa, plural, multifacetada, que na identidade de cada um forma o caldo coletivo que alimenta a história.
( Sergio Mamberti )

1.1. Município: Arroio Grande
1.2. Prefeito: Jorge Luiz Cardozo
1.3. Secretário Municipal de Cultura: Ricardo Freitas da Silva
1.2. Título do evento: I Conferência Municipal de Cultura “Qual a representação de cultura no Município?”
1.3. Proponente: Secretaria Municipal de Cultura
1.4. Participantes: Cidadãos arroio-grandenses e representantes das diversas manifestações culturais do município.
1.5. Comissão Organizadora: Equipe da SECULT, representantes da sociedade e Comitê Executivo Municipal.
1.5. Data de realização: 02 de outubro de 2009
1.6. Local: Centro de Cultura Basílio Conceição
1.7. Localidade: Arroio Grande
1.7.Apoio: UFPel
UNIPAMPA
1.8. Patrocínio: Banco do Brasil
Emilice Calçados

II – JUSTIFICATIVA

A cultura é o espaço de realização da plena cidadania, de superação da exclusão social e de incremento significativo da atividade econômica.  Neste sentido, a construção de uma política pública de cultura legitimada pela sociedade é o desafio que se nos apresenta no processo de construção de políticas públicas para a cultura em nosso município.
A conferência municipal de Arroio Grande tem por objetivo, captar as demandas e contribuições da sociedade e, do ponto de vista qualitativo gerando uma teia de compromissos e um legado de expectativas.

A cultura precisa de musculatura, e não de um mecenas esporádico, nem dos antigos e comumente renovados paternalismos oficiais, permeados estes, pela incrível falta de continuidade das ações públicas com as mudanças de gestão. Essa musculatura não é a cultura efêmera dos eventos, mas a estruturação de uma sólida base organizacional necessária ao desenvolvimento do setor cultural, capaz de oferecer as futuras gerações um legado criativo, sólido e pró-ativo.
Urge a necessidade de valorização da cultura e do respeito à pluralidade cultural e às suas diversas manifestações, através de políticas públicas construídas com a participação de todos os cidadãos.

III – OBJETIVOS

3.1 GERAL
Promover o encontro entre cidadãos e os representantes do Governo Municipal para que possam, coletivamente, construir propostas de políticas públicas de cultura.

3.2 ESPECÍFICOS

– Mobilizar cidadãos – artistas da cultura popular, intelectuais, grupos e entidades culturais, estudantes, professores e representantes de diversos setores da sociedade.
-Eleger delegados municipais para a participarem da Conferência Estadual preparatória da II CNC 2010.
– Valorizar a cultura da nossa Terra.
– Elaborar coletivamente o Plano Municipal de Cultura.
-Discutir os eixos a “Produção Simbólica e Diversidade Cultural, Cultura, Cidade e Cidadania, Cultura e Desenvolvimento Sustentável, Cultura e Economia Criativa, Gestão e Institucionalidade da Cultura” da II CNC e suas implicações para o município, através de grupos.
-Elaborar o relatório municipal a ser envido a Conferência Estadual e Nacional.
– Criar a Comissão Organizadora e Comitê Executivo Municipal.
– Elaborar o regimento  interno.
– Realizar a convocação da I CMC, através de decreto.

IV – ESPECIFICAÇÃO

4.1 Público – alvo: Cidadãos arroio-grandenses – estudantes, professores, poetas, músicos, artistas plásticos, artesãos…
4.4.1. Programa da Conferência (anexo 1)

V – SISTEMATIZAÇÃO DA CONFERÊNCIA

A Secretaria Municipal de Cultura realizará a I Conferência Municipal de Cultura “Qual a representação de Cultura no Município?”, com a finalidade de promover o encontro entre cidadãos e os representantes do Governo Municipal para que possam, coletivamente, construir propostas de políticas públicas de cultura.
A Conferência será realizada no dia 02 de outubro, das 8h às 18h
O evento será divulgado através dos meios de comunicação local, internet, cartazes e folderes.
À Comissão organizadora caberá:
– coordenar, supervisionar e promover a realização da I Conferência Municipal de Cultura;
– aprovar a proposta de programação da I Conferência Municipal de Cultura elaborada pelo Comitê Executivo Municipal;
– assegurar a lisura e a veracidade de todos os atos e procedimentos relacionados à realização da I Conferência Municipal de Cultura;
– atuar junto ao Comitê Executivo Municipal, formulando, discutindo e propondo as iniciativas referentes à organização da I Conferência Municipal de Cultura;
– mobilizar parceiros e entidades, no âmbito de sua atuação no município, para preparação e participação nas Conferências locais e estaduais;
– acompanhar o processo de sistematização das diretrizes e proposições da I Conferência Municipal de Cultura;
– definir os critérios para a escolha dos convidados e observadores para participação na etapa municipal da I Conferência Municipal;
Ao Comitê Executivo Municipal compete:
– definir metodologia e elaborar a proposta de programação da I Conferência Municipal de Cultura a ser aprovada pela Comissão Organizadora Municipal;
– elaborar o calendário e a pauta de reuniões da Comissão Organizadora Municipal;
– dar cumprimento às deliberações da Comissão Organizadora Municipal;
– apoiar e acompanhar a realização da Conferência do Município;
– receber e sistematizar o Relatório da Conferência Municipal.
– coordenar a divulgação da I Conferência Municipal de Cultura;
– coordenar a elaboração do documento sobre o temário central, do relatório final e anais da I Conferência Municipal de Cultura;
– proceder à escolha e indicação dos convidados e observadores que participarão na etapa municipal da I Conferência Municipal de Cultura, de acordo com critérios definidos pela Comissão Organizadora Municipal.

VI _ RECURSOS

6.1. Recursos Humanos

FUNÇÃO
NÚMERO DE PESSOAS
ATRIBUIÇÕES
Coordenador do evento
01
Coordenar as atividades da Conferência, avaliar e realizar relatórios.
Conferencista
01
Responsável pela abertura da Conferência, palestrando sobre o tema
Coordenadores Grupos
06
Sistematizar as ideias de cada temática abordada nos grupos
Digitador
e
Design gráfico
01

01
Digitar e reproduzir material
Confeccionar material da Conferência (folder, cartazes, faixas).
Credenciadores
04
Responsáveis pelo credenciamento
Auxiliar de limpeza
01
Organizar intervalo,  limpar e organizar as dependências físicas

6.2. Recursos Materiais Físicos

ESPECIFICAÇÃO
QUANTIDADE
FONTE
Auditório Equipado
01
Centro de Cultura
Sala para a Coordenação
01
Centro de Cultura
Sala para grupos
06
Centro de Cultura

6.3 Recursos Materiais de Consumo

ESPECIFICAÇÃO
QUANTIDADE
FONTE
Pastas de Cartolina
200
Banco do Brasil
Folhas de Ofício
2000
SECULT
Banner
01
Banco do Brasil
Folders e Mosquitos
300
SECULT
Copos de cafezinho
500
SECULT
Bolachinhas
10K
Bolachas Zezé
canetas
200
Tchê Farmácias
Café e suco
2K
Bolachas Zezé

6.4. Recursos Materiais Permanentes
ESPECIFICAÇÃO
QUANTIDADE
FONTE
Data show
01
SME
Equipamento de som
01
Prefeitura Municipal
Note book
01
Prefeitura Municipal

VII – AVALIAÇÃO

7.2. Do desempenho dos participantes
A Conferência será considerada satisfatória se 85% dos inscritos participarem com 100% de freqüência, contribuindo na construção de ações para o desenvolvimento de políticas públicas de cultura para Arroio Grande e possa se elaborar coletivamente um documento sobre os eixos nacionais a ser encaminhado para a Conferência Nacional.

7.3. Do desempenho geral da Conferência:
A avaliação da Conferência será feita através de instrumento (ficha anexo).

ANEXO 1

PROGRAMAÇÃO

Dia – 02/10- sexta-feira

8h– Credenciamento

8h30min – Abertura oficial
Jorge Luiz Cardozo – Prefeito Municipal de Arroio Grande
Ricardo Freitas – Secretário Municipal de Cultura

9h – Apresentação Cultural
Academia Camerini

9h30min – Conferência:
“Qual a representação de cultura no Município?”
Palestrante: Edgar Barbosa Neto- antropólogo e prof. UFPEL

10h30min – Intervalo

10h50min – Questionamentos

13h30min às 14h45min-Apresentação dos eixos nacionais e suas implicações para o município:
Eixo 1- Produção simbólica e diversidade cultural
Eixo 2-  Cultura, Cidade e Cidadania
Eixo 3- Cultura e Desenvolvimento Sustentável
Eixo 4- Cultura e Economia Criativa
Eixo 5- Gestão e Institucionalidade da cultura

14h45min às 15h- coffee break

15h às 17h- Oficinas:
a) Dividir os participantes por categoria e levantar duas questões:
1.Quais são as cinco prioridades do município em termos de cultura?
2.Quais são as potencialidades em relação as principais prioridades identificadas?
Apresentação dos grupos e redistribuir os elementos dos grupos para responder o último questionamento:
1.Apontar de 3 a 5 estratégias ou ações relacionadas as prioridades e potencialidades apresentadas anteriormente.

17h às 18h- Plenária para  sistematização e votação do documento de Arroio Grande para a Conferência Nacional e escolha dos delegados para a Conferência Estadual.

ANEXO II

I CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA

Ficha de Avaliação

Prezado (a) Participante:
Esta ficha objetiva coletar dados sobre a I CONFERÊNCIA MUNICPAL DE CULTURA
Procura expressar a tua opinião com clareza e sinceridade, pois os depoimentos recolhidos serão de grande valia para posteriores trabalhos promovidos pelo SMC.

1.Assinala nas quadrículas, tua opinião aos itens especificados, considerando os critérios:

Organização

Alcance dos objetivos

Modalidade de trabalho

2. Registra, abaixo, as conclusões que consideras importantes:

Deixe um Comentário

*

Pular para a barra de ferramentas