Vidas

outubro 9th, 2018

Gosto de ver os passantes na rua
Cumprimentá-los responder cumprimentos
Os meninos no cangote do pai
As meninas correndo à frente das mães
Os meninos também
Quem já viveu sabe que não há depois à direita
Quem recua não avança
Quem avança não recua
O Brasil tão grande não pode deixar o povo pra trás
Povos honrados trabalhadores e da paz
A tudo resistem
Este país o único autossustentável do mundo
Apesar de violentamente atacado e despojado
Ainda detém forças da natureza capazes de alimentar e abrigar todos os seus habitantes
Todos são donos 1/208 milhões de avos do produto interno bruto nacional
Não se pode roubá-los
O estado o poder não pode mais ser o que tem sido
Não se pode andar nas ruas com sua população maltratada
Não por desprezo mas por vergonha
O abrir das urnas revela o retrato do país
É isto o que queremos?
Sim queremos um retrato do país
Para corrigí-lo acertá-lo não permitir desastres
Não permitir nenhuma violência onde quer que se esteja
Violência armada violência desarmada qualquer tipo de violência
Violência da omissão
Violência do silencio
Os 208 milhões de brasileiros cabemos com folga nos 8 milhões e meio de quilômetros quadrados em que vivemos
E sabendo usar não vai faltar
Não precisa sair devastando tudo por míseros dinheiros
Não precisa de corporações explorando a todos
Precisa como sempre precisou de uma simples reforma agrária
A terra para quem produz
A agricultura familiar sem envenenar o chão
Sem envenenar as águas
Sem envenenar as comidas
Sem envenenar as pessoas
Não se dê chance a quem sabota o povo
A quem sonegue sua liberdade
L sim

Furdunços

outubro 2nd, 2018

Pergunto porque não sei a resposta
É 13 no 1o. pra não haver 2o.
E às vezes nem sei a pergunta
Atiça o nosso não o deles
A arte é um reduto do humanismo cada um constrói o seu
Ainda não se entendeu que esta eleição é um plebiscito
Plebiscito é o voto da plebe
É quando a plebe vota
É 13 no 1o. pra não a ver no 2o.
As pés-quisas nos levam às urnas
Mas são as mãos-quisas que apertam o voto
Evite nomear o cujo
Prefira nomear o qual
Esquece os adivinhos vote 13 com fé no 1o.
Quem não se convence do que é pior não vai se convencer do que é melhor
Há de dar Fernando e Manu no 1o. vote sem medo dos infelizes
Cisca aqui não
Cisca ali
Não se sabe antes o que vem depois
O sonho é ver a pátria livre
Tem o balanço tem a gangorra e tem a enxada
O impulso pra fora
Não gostaria de um país masoquista
É um erro criminalizar a política
Qual seja o resultado a vitória é do L
Não entregue de bandeja
Não se confunda um militar com os militares
Delação é quando o criminoso quer livrar a cara
E empurra todo o mundo pro patíbulo
E os paspalhos da lei saem a catar coquinhos
Alardeados pela mídia golpista
Levou propina e mais caixa 2
A plebe média ulula
O voto no Brasil não é mais de todos
Quem opina não é pró
Só é réu quem pró-opina?
E a dúvida é pró-réu
Acima da república e por toda parte infiltra-se o imperialismo
Liberdade para L

Votos

setembro 29th, 2018

O Brasil vai mostrar sua cara para os anos que vêm
Capricha na pose
Em todo o mundo o pêndulo já pendeu bastante pra direita
O velho imperialismo não dá repouso a ninguém
Exposto e derrotado em muitas frentes ressurge a cada turno mais violento
Ninguém se engane
Vivemos uma guerra mundial permanente não declarada
Biombos e mais biombos são erguidos a ocultar os milhões e milhões de vítimas do genocídio imperialista
Mas o pêndulo já pendeu demais pra direita
É hora de retomar o prumo antes de mais formidáveis desastres
Inacreditavelmente tem a direita em tantos países chegado ao poder democraticamente pelo voto
Não se permita que isso possa acontecer entre nós
E meio que desavisadamente em meio à crise emerge o bufão em cena aqui e alhures
Tôsco e abusado como as jurisprudências cúmplices quer aproveitar-se da fragorosa derrota do golpe de 16 em todas as frentes
O país uma das grandes potências emergentes e autossuficiente em seus recursos não pode entregar-se à entrega às multinacionais dominantes no mundo
O golpe de 16 inspirado e alimentado desde sempre pelo imperialismo não pode ser perpetuado na destruição de nossa vida com o país rifado de alto a baixo pela ilegitimidade do poder golpista
Para todos os brasileiros o xadrez está posto
Ou a vitória ou a degola dos interesses populares que são a enorme maioria do país
A burguesia local quer suicidar-se
Não se pode permitir que leve a população junto
Esta eleição virou um plebiscito
Não se negue os méritos de alguns candidatos mas reneguem águas turvas
O jogo está posto
Não se adie mais a decisão
Será muito custoso em tempo dinheiro suor e lágrimas
Resolve no 1o.
Ponham a mão na consciência
É eles ou nós
As elites ou o povo
E que melhor seja em todas as frentes de governo os executivos e os legislativos
O país precisa respirar melhores ares para todos melhores dias
O povo unido não pode ser vencido

Vácuos

setembro 25th, 2018

Vai-se a farsa acaba a farra
Como é de seu costume a Lobo fabrica golpes
O estado é uma organização da sociedade para o bem estar comum a todos
O pior nem é só o fascismo é o burrismo
O passado a deus pertence
Mal dou conta do presente
Não há o que enfrentar
Senão as agruras do destino
Só a paz muda
Quando não é muda
Quando é ativa
Só os movimentos pela paz podem salvar a humanidade
Tem gente pra todo gosto e pra todo desgosto
Todos trinam mas alguns latrinam
Ruim é quando os capitalistas sabotam a democracia
Quando aliciam as juventudes
Quando subornam as midiáticas
Quando especulam nas bolsas
Onde o vil metal idolatra-se
Devagar nas estradas cheias de curvas previne acidentes
Não é recomendável acelerar
Gasta mais energia
Aumenta o consumo
Esquenta a máquina
Desgasta a engrenagem
Polui o ambiente
Fomenta a fome
Alastra a crise
Explora o trabalhador e a trabalhadora
Insufla a violência
É bom se precaver
Porque depois de eleito
Não dá pra desmanchar
Vota certo e confiante de que fazes o melhor que podes
Se o país eleger os pilantras o que se há de fazer
Quanto custou e custa que o voto é soberano
Todos os que são candidatos tem a obrigação de defender o voto
As mesmas águas não passam nas mesmas pontes
Já os mesmos rios desaguam nos mesmos mares
Às urnas cidadãos!

Pés-quisas

setembro 20th, 2018

No creo em pés-quisas
fossem boas seriam feitas com as mãos como o voto
Mas é assustador as propaladas intenções de voto às direitas
Não é só uma direita são diversas num leque que vai do mal a pior
E as pés-quisas meia dúzia de telefonemas avulsos desde que existem viram uma corrida sem fim
Não retratam nada mas induzem vergonhosamente os públicos
Direi uma bobagem: os públicos adoram apostar
E pior não querem perder
Bombardeados a torto e a direita os públicos tangidos transformam-se em auditórios
Quem nos bombardeia?
Os capitalistas locais pela mídia pela publicidade e pela formação de grupos e associações mantidos financeiramente por eles
E tem candidatos
E conseguem o prodígio de produzir uma juventude pró-imperialista
Desde o ranger das trombetas na 470 não se imaginava o estrago que viria
Mundo afora e américa latina adentro vão os capitalistas avassalando tudo
É uma horda bárbara
Tão nem aí pra nada que não seja o acumular de seus privilégios
Exploda-se o planeta
Maltrate-se a população
Que em sua maioria a maioria da população mundial sobrevive o quanto pode com o mínimo de gasto
O sucessivo e insistente empilhamento de moedas dos ricos vêz por outra desaba
Gostaria de uma pés-quisa que nos dissesse quando

Pétalas

setembro 18th, 2018

Não dê trela pra direita ela se engole sozinha
Atacaram o atacante
O país ansioso aguarda ouvir a voz da solitária
Governos personalistas não são democráticos
Alçados à magistratura o que fizeram?
A data é vênia
A data é falha
A falha é falha
Hostilizado fujo para dentro de mim mesmo
A dívida?
No capitalismo dívida é poupança é investimento
A escrita é o lugar em que o escritor fala com o leitor
Não há como responder
Quando os violentos se encontram
A burguesia brasileira é burra
É 13 no 1o.
Não haverá segundo é 13 no 1o.
E não é só ele tem a vice que é de primeira
O país doidin pra sair do precipício e ôceis brincando na beirada
Não se pode aceitar a guerra
É preciso construir a paz
Não se pode conviver com a violência
A violência é a morte
A revolução é sempre mais lenta que os golpes?
Depois de um trauma ou de uma perda serei o mesmo?
Serei eu mesmo?
Serei
Nascemos pra ser quem somos
E somos
E de repente a esquerda e a direita atacadas pela patologia de indivíduos
Vidas ameaçadas ou perdidas
Para avançar é preciso saber recuar
Resolve logo no 1o.
Porque o segundo vai ser guerra
O morro subiu
A pesquisa manipula os pesquisados
A mídia manipula os midiotas
O delator manipula as delações
Não se deixe manipular
Lula vai a plenário

Potocas

setembro 11th, 2018

Não adianta ficar querendo coisas
A máquina é que tem que andar
O golpe foi muito criativo
Invés do toma lá dá cá
Inventou o tomou cá deu lá
Eleições sob tutela de nomeados em governos legítimos por que se tornam seus e nossos algozes
Afinal democrático é o governo do demo?
Ganharam a batalha?
Então devolve a bandeira
Solta o véio
Uma montanha de lixo audiovisual estrangeiro inunda o país
O problema com os caras do mal é que eles acham todo mundo igual a eles
Só restou o que menos importa: o prédio
Infelizmente resta-nos aprender a lição
Talvez a Luzia tenha vindo resgatar sua alma aprisionada pela colonização
Talvez Tiradentes tenha vindo vingar-se de terem queimado e salgado suas terras
Quem manda querer comemorar a farsa da independência
Os jovens levam a vantagem de viver mais do que nós velhos
A julgar por nós o que foi que aprendemos?
Não sei por que temos que preservar às nossas custas essa arquitetura senhorial portuguesa no país
Nunca se viu coisa mais feia
Só se ainda somos colônia deles
À presidência não se pode imputar a gestão de cada uma de suas centenas de elos de governo
Pra que entrevista se não deixam o entrevistado falar
Mais parece como o outro um tribunal de exceção
As banalizações dos males
Apara a aspereza
Lula vence no 1o.
Condenar sem provas pode?
O feitiço contra o feiticeiro
Chamou a violência?
Avisa lá a independência será no dia 11
Qual?
Como pode alguém prender alguém?
Liberta o país
Privar a escolha de milhões
Com a fraude aberta e escancarada
Que cada um vote em quem quiser
E então saberemos a cara do país
Se azul se vermelha sempre verde e amarela

Bens

setembro 4th, 2018

Bem …
Parece que nunca acaba
E vai desdobrando desdobrando
É um mal alastra-se insaciável
Antes em 64 foi a burguesia civil que empurrou a militar para o golpe
E aí tomaram gosto e ficaram a chacinar o país por muito tempo
Não são as forças armadas
Graças a um regime de disciplina e hierarquia
O que vigora é a voz de comando
O comando manda a tropa obedece
Milhares e milhares de formigas a cumprir a função
Formigas não são do mal são necessárias
E sobre os milhares e milhares de militares proletários ergue-se a pirâmide que vai dar no comando
Agora em 16 o que vimos?
A burguesia civil insufla a jurídica
E enrola-se nela
Não são as forças jurídicas
É só um vindo do nada que fabrica processos indícios provas delações
Mas uma frota de semelhantes logo se agita
E vão ganhar seus tempos nas tevês
Quem sabe fãs-clubes
E imperam contra a maioria das forças jurídicas
E nem servem à burguesia fabril a tal que seria líder no crescimento
Servem aos financistas
Surgidos no bojo da ditadura anterior nas especulações da bolsa
A nossa a burguesia brasileira é servil
Quer servir aos interesses do imperialismo
Infiltra-se e dissemina-se na sociedade
Planeja e executa golpes financeiros e jurídicos
E inverte o que é justo o ônus da prova é do acusado
O acusador desdobra-se
Inclui notas fiscais fabricadas a induzir sentenças
Dispara e afunda para o gáudio das corporações estrangeiras as nossas maiores corporações nacionais
Bem sei há um fluxo de capitais
Quem vai domá-los?
A batalha é agora
Ou vigoram os golpes ou vamos derrotá-los nas urnas
O que é decisivo é a inclusão social
Que foi o que fizeram os últimos governos legítimos
Ponto saudações

Mundos

agosto 28th, 2018

Às urnas cidadãos!
Alguma autoridade se alguma resta tem que tirar o futuro presidente de lá
Um processo infame processos infames para emprisionar os milhões mais da metade do eleitorado brasileiro
Delação sob coação vale nada só prova a crueldade do processo
Precisa quebrar a pessoa para confessar o que quiserem
O tribunal de Curitiba é um covil de exceção
Denunciado em cena aberta no Supremo ao vivo para o Brasil e o mundo
Que reage com centenas de marchas protestos e denúncias em toda a terra
Nunca se viu embate tão desigual
De um lado uns chicaneiros atrelados ao dólar
Do outro a imensa maioria do imenso país
Não podem tribunais sequestrar a vontade popular
Se insistirem em mantê-lo preso vai de lá eleito presidir o país
É caso de revolta popular
É caso de incitamento à violência
E em nossos dias o que será?
É um absurdo insistir na farsa de Curitiba
KGB lá e CIA aqui?
A questão não são os outros
A questão é eleger os nossos
A melhor estratégia de campanha é nem reconhecer adversários
Não há melhor enxadrista que o véio
Aproveita as eleições não reclama faz politica
Os minoritários deviam era concorrer ao congresso
E torná-lo decente formando bancadas do bem
Esforço-me por ser razoável
Esforço-me por ser coerente
Mas se não fôr
Meia dúzia de jurídicos cassar o voto de no mínimo 39% do eleitorado é um abuso
Quer dizer que um processo desde o início fraudado pelo cúmplice do doleiro delator vale mais que a maioria do eleitorado?
Tás brincando!
Não tem pra ninguém o voto do povo é Lula e o meu também
Não entendo como minoritários arriscam ficar sem mandato
Político sem mandato não manda
Os minoritários deviam realinhar-se
E liquidar a fatura no 1o.
Pra que gastar em 2o. turno?
Economiza pra que agravar o déficit fiscal
Só o voto salva
Vote em quem te representa

Prévias

agosto 25th, 2018

Aos jovens conclamo
Fica esperto estás vivendo tua primeira ditadura
E é mais leve
Não dispersa
Em todo o mundo o imperialismo ataca a emergência social dos povos
Vão-se os dentes ficam as gengivas dentadure-se
Aprendi com o imperador da Cantareira
O meu prazer é ver o senhor por aí
A quem dediquei o meu filme Antigamente
Não gosto das mazelas prefiro as procelas
O meu computador anda como eu
Eu ando muito bem
Desde que não seja longe
Besteira a orgia dazelite melhor seria o bem comum
O Brasil anseia por nove dedos
O vendedor me encheu de banana
O que eu faço? Um doce de banana
A vida é maior do que pensamos
Então deixa viver
Adoro encostar no teu lombo
Odeio encostar na tua bronca
Um país com tantas frutas não pode ser infeliz
O Brasil que vivíamos não era tão mal
Tanto que despertou a fúria da direita
Que é muito pior
Cumpadi firme na trincheira que é chumbo grosso
Ao que tudo indica o eleito é o velho meia dúzia do jurídico vai mantê-lo refém?
Ninguém tem que pedir licença pra se manifestar
A maioria vote feliz o resto não se apoquente ainda não é a revolução
Quanto mais demorardes maior será vossa culpa
Nascemos da troca de gases no universo
Água vira pedra vira água
Quem veio primeiro o homem ou a pedra?
Quem vai primeiro o homem ou a pedra?
Quem vai ficar o homem ou a pedra?
A nuvem de gases no universo
Não me lembro de tudo
E nem quero
Só me lembro
Do que quero