A primeira vez

fevereiro 20th, 2018

A primeira vez que vi o Nelson não lembro em que ano foi nem quantos anos eu tinha talvez uns 14.
Nasci e morava em Copacabana na ida e vinda do colégio passava em frente aos cinemas mais de um naquela época uns cinco ou seis ou mais.
O cinema era dominado como ainda agora pelo filme estrangeiro. Era ver coisas e gentes que não se via. Tinha as nossas chanchadas tôscas ingênuas o filmusical brasileiro era um veio nosso nossos palhaços nossas trapalhadas mas era um cinema faz de conta enxaixotado no estúdio entre um numero musical e a jocosidade que também era nossa o teatro de variedades o teatro revista filmado.
E de repente na marquise do cinema se não me engano era o Copacabana o letreiro anunciava Rio 40 Graus. Foi um impacto. Entrei para ver. Não era o corre corre dos filmes que passavam sorrateiros a divertir platéias.
Era a vida nossa de todos os dias a iniciar-se majestosa com a maravilhosa visão da grande cidade o Rio de Janeiro a capital do Brasil pouco antes assombrada com a tragédia getulista e agora renascendo como uma ópera prima uma primeira construção grandiosa.
Eu sou o samba de seu compadre Zé Keti orquestrado na Rádio Nacional que o país inteiro ouvia.
Era um mosaico de alegrias e tristezas que narrava da favela à praia do subúrbio à política. Os pivetes, o malandro, o trabalhador, o algoz, o fuzileiro, a noivinha, o deputado, a gatinha, o pilantra, o futebol, a escola de samba entremeados o que víamos na tela era o que víamos nas ruas em que vivíamos. E ao fim do filme no alto do morro a mãe espera o filho que não vai voltar a Mater Dolorosa.
Emocionado ao sair do cinema como filme corri a pegar o bonde que passava na avenida Nossa Senhora de Copacabana. Felizmente não caí.
Sómente depois muitos anos depois quando resolvi seguir-lhe os passos é que vim a ver não só seus outros tantos filmes a cada um uma nova visão
a construir um cinema popular socialista. Vim a ver o engenho e arte que articulava não só os filmes mas seu plantio nas escolas a de Brasília e a nossa em Niterói e na política de cinema no grupo de trabalho que criou o tripé para a ação do estado: a Embrafilme, o Concine e o Centrocine. Não basta fazer filmes tem que fazer política para assegurar-nos a presença na tela manipulada pelo imperialismo.
Há de ser desde o seu início com o seu primeiro o “Juventude” em 1950 sôbre os jovens de São Paulo como ele mas de que não ficou cópia e nem o original. E ainda em 52 apresenta ao Congresso do Cinema Brasileiro uma tese que é um marco no cinema brasileiro de antes e de depois: O modo de produção independente.
Insisto em que não precisa ancorá-lo é um êrro no neo realismo italiano seu cinema é o elo de ligação do cinema de autor no Brasil desde sempre notadamente Mário Peixoto e Humberto Mauro. Além de seus próprios viabilizou filmes dos outros como “O Grande Momento” do Roberto Santos, montou o “Menino da Calça Branca” do Sergio Ricardo, “Barravento” de Glauber Rocha, e o “Pedreira de São Diogo” do Leon Hirzsmam. E foi o grande animador do Cinema Novo e de todo o cinema que desde então se fêz no Brasil.

Tuítes

fevereiro 20th, 2018

Esquecer a mão que entorta
Apertar a estendida
Nem é o que mas o por que
Carnaval é o Brasil que dá certo
Primeiro o embargador depois o desembargador
O que embarga e o que desembarga
Tuiumim tuiutú tuiutá tuiutí
Se o supremo fôr supremo vai deixar o país votar em quem quiser
Velho não gosta que se tome intimidade com ele
É difícil pensar origináriamente
Ser original é buscar a origem
Eleições no Rio sob estado de sítio decretado pelo impostor
Vampirão quer sangue
Tudo que golpista faz é golpe
Imagina as famílias dos militares quando atacarem e forem atacados
Nem todo militar é golpista
Nem todo juiz é canalha
Só os da ribalta
Recusa exército
Não manda seus jovens soldados matar ou morrer a mando dos ladrões fascistas do planalto
Na caia na armadilha da mídia golpista e dos vendilhões da pátria
General: Não exploda o Gasômetro
General: Não exploda o Riocentro
À diferença de 64 é que não fomos pegos de surpresa e o país reage
Vampirão pirado vá pirar na transilvânia
O carnaval é uma explosão de vida não dá pros fascistas segurarem
A luta armada não foi a solução
A desarmada é o que nos resta
Neguinho não aprende vai mandar os soldados como bucha de canhão
General não entrega a tropa ao inimigo
Entrega?
A lei e a ordem é uma consigna fascista
A que não é é a justiça e paz
Apesar de golpeada a democracia tem o dom de renascer
Não queiramos a guerra mas não se pode chacinar a paz
Estapafurdeia-se a realidade
Por óbvio as pessoas devem votar em quem elas acreditam
O judiciário acata a farra indigente do judiciário no país
Os humanos são todos diferentes mas iguais
Vale pouco a vida?

Páginas

fevereiro 13th, 2018

E de novo o domínio do fato esses rábulas não aprendem
Ninguém deve se deixar prender
Condenado pelo que poderia ter havido mas não houve
A luta sempre é a luta de classes
Somos todos e cada um filhos de nossas épocas
Seria melhor um pouco mais de compreensão entre elas
O que é difícil
Ao invés de somarem-se opõem-se
E a todos atropela-nos a época
A geração dos 40 anos quer banir a dos 70
Os legítimos governos do PT foram o ponto mais alto da democracia brasileira o resto é golpe
O criminoso arbítrio de meia dúzia de janotas não pode prevalecer sôbre a vontade da maioria da população brasileira
Quem viveu 64 não tem como festejar golpes
Dispam-se os pré-conceitos
É preciso entender a real realidade sempre original
Terei que pensar que a minha geração é golpista?
Seduzida pelo imperialismo
Não estivemos juntos nas ruas pela democracia?
Nas urnas venceremos
Como pode um único juiz de província condenar no grito a voz de mais de 50 milhões de brasileiros?
Como pode o supremo permitir tal lambança jurídica instalada no país na perseguição a quem os colocou lá sem interesses partidários?
Anula o golpe!
Como o supremo não anula a sessão legislativa pérfidamente conduzida por um criminoso mês depois aprisionado?
Como pode isto ter valor jurídico politico social ou simplesmente humano?
E o supremo é o único cargo vitalício na república
Se ficar a pátria armada morreremos no Brasil
Meu barato é lápis e papel
Sou pré-moderno
Antes de aconselhar aos outros fico a aconselhar-me a mim mesmo
Em 18 Lulearei vou lulear
Meio verso é melhor que verso inteiro
O leitor completa
Quer dizer que quem promove o desenvolvimento e o progresso social do país é suspeito de corrupção?
Digam-me o que lhes não digo
Penso que frente à ofensiva fascista desde antes
E coroada com o golpe de 2016 que segue e prossegue inacreditàvelmente
Cabe-nos cerrar fileiras em torno a uma das mais importantes lideranças populares de nossa história
E aguardar sua decisão até o minuto final
O resto se discute depois
É um erro não confiar na história

Novas

fevereiro 7th, 2018

O que esse merda tanto quer com a previdência se já está com o pé na cova
Na melhor errei o tom
Na pior acertei
Anula tudo supremo
Quem não faz sofre
Eleição sem Lula é fraude eleição sem fraude é Lula
O pior nem sempre está por vir
Já descemos aos infernos agora é subirmos aos céus
A solução é botar a cebolinha no cebolão
Ou botar o cebolão na cebolinha
O que seria de mim se não fôsse a juana
A juana me sossega
A juana me apazigua
Olhos pra ver coração para entender
Se achasse que deliro não seria delírio
E quem ajuiza o juiz?
É só passar um paninho
A personalidade é como o DNA
Não há iguais
A vida é infindável
A menos que nos chacinem a todos
24 tinha que ter sido a queda da bastilha
O negócio é encher o bucho
E afogar o ganso
Vai ficar a pátria presa ao complexo de vira-lata dessa elite de merda?
Só o teu faro é que te orienta
Fui caminhar e já volto
A ilusão de ótica promove a ilusão da consciência
Frases não as cultivo elas pintam
Sonhos não os cultivo
E us otru penhoraro o Supremo o Legislativo o Judiciário e o Executivo
Como em 64 e agora em 16 a mídia se esculhamba sòzinha
E cadê a vacina contra a epidemia golpista?
Eu também acho é a eleição
É preciso varrer nas eleições de 18 toda a canalha golpista
Hoje o mundo é melhor
Mas não para todos
E reina o selvagem instinto de sobrevivência
Que nos faz tolerar o império do mal
Para não sermos exterminados e aos poucos sendo

Longes

janeiro 30th, 2018

Quem imaginou que os rábulas de província iriam destruir o país
Há corrupção?
Sim deve haver
Desde que o mundo é mundo
Ainda mais capitalista
E aí vem um mané se junta com os doleiros
E começa a farra
É praxe no mercado negociadores ficarem com 10% é o dízimo
Não é o que se paga ao garçom no restaurante?
Propina
O banquete dos medíocres
Isto é suborno pro político votar assim ou assado?
Só pode ser pro ordenador da despesa
Graças à delação cúmplice dos doleiros descobre-se um esquema de pedágio empresarial
Na estatal e dependentes é coisa na área comercial que deita e rola
É malfeito não há dúvida há que coibir
Mas é nem um arranhão na maior empresa brasileira
Por que rifá-la a preço vil?
Por que entregá-la aos gringos lá fora?
E submeter o consumo interno ao comércio internacional
O impostor nomeia quem quiser e os nomeados são de sua mesma cêpa
Corrupto é quem embolsa a grana
Lambe o lombo e molha no molho
E o risoto ri dos outros
Cadê o tutú
O biscoito roubou
E nem deu troco
O ôco caiu no ôco
O mais sacrifica o menos
O que eu não vi não posso contar
Não sou desses que aumentam um ponto
Só pra dizer que estavam lá
Pra julgar alguém tem-se no mínimo que ter uma biografia à altura
Uns cara que diz que é esquerda decide cada um marcar o seu no primeiro turno ao invés de resolver logo o futuro
Arte é tudo aquilo que seu autor professa que é
O inefável o indizível o incompreensível
A vida procura o horizonte
Artista é o que sente a ausência
Não sou um daqueles sou um desses
Meia dúzia de janotas não podem no grito cassar o voto de mais de 50 milhões de brasileiros

Sacos

janeiro 23rd, 2018

Essa tal que diz que lava é uma deslavada intervenção estrangeira
Seus marionetes togados a dizimar o capitalismo nativo
Para melhor servirem a seus patrões ianques
Fui e sou na vida nada mais que um peão
E tá bom
Bom demais
Que não se provoque a insensatez do regime
Ela é cruel demais
Driblo a palavra
Ela tem muitos sentidos
O bom chuta com os dois pés
E a cabeça
Nem sempre dois são mais que um
A natureza humana é natural
A convivência humana não
O que fizer faça com graça
O jurídico reclama do síndico que validou
Como é que o supremo permite essa deslavada perseguição a quem os botou lá?
A esquerda é progressista a direita é conservadora
Conservadora dos privilégios da elite dominante
Progressista na mudança das condições sociais
Que de repente pode ser de repente
Ou levar décadas
Depois vem a bonança
Se achar que falta aí mesmo é que não vem
Agradeço a quem encontrei
Agradeço a quem me encontrou
Agradeço ter-nos encontrado
Quando o dia raiá vamu relá
Agora é hora da fartura
Vou comer a massa e a moça só não sei em que ordem
Detesto alegria com hora marcada
Não é possível que a soldadesca explorada e mal paga vá atacar a mando dos sicários da elite o povo de que faz parte
Golpe sem povo é golpe
Com o povo é revolução
Candidatem-se todos o mais votado leva
Ninguém faz nada a partir do zero
A não ser algum louco
Sempre há uma militância prévia mais ou menos aplicada
Desde as salas corredores e aos deus dará

Xôxos

janeiro 16th, 2018

É preciso viver cada dia o novo dia
Evite o turbilhão
O vendaval
A multidão
Evite a onipotência
Evite a submissão
Foca no foco
Disfarça o resto
Nuvens negras nem sempre desabam
Às vezes desabam
Nem chore perdas
Acontecem
Se tiver calma o que não está bom pode ficar
A pior coisa do mundo é querer agradar aos outros
Seja egoista
Chute com os dois pés
Não preveja derrotas
E não se importe com elas
Os ventos se atraem os bons e os maus
Não pare na pista ou o trem te atropela
Não queira ser outrem
Mira no espelho
A vida é cordial se encrencar ela não te favorece
Não sou cristão sou pagão
Quem sabe os que mais falam são os que menos entendem
Não sei o que tanto comemoram
Não tenho como reter o pensamento
Não retenha
Só acredito na energia cósmica que nos criou e nos sustenta
Se sim sim senão não
Os deuses já são antropomorfizados pra que mais
Querem que seja humano?
Cada um chuta como quer ou pode
Sou não quero não ligo não
Em casa nossa ou vencem os americanos do norte ou vencem os americanos do sul
Ninguém pode impor sua vontade a outrem
O que manda na vida é o acaso
A vida não é um tapa mas se faz aos tapas
Até parece que o barato da política é suicidar-se
Idiota é quem acha que tem que ser rico

Anódinos

janeiro 9th, 2018

Há tensões nas intenções
O paradigma foi ali e volta já
Deixou o paletó
Saiu catando cavaco
Ninguém viu pra onde foi
Ninguém sabe onde ele anda
O paradigma cansou de sê-lo
Não devia haver guerra
Não pode haver guerra
Não reclame da sorte
Perguntou mas não esperou resposta
O que foi nem parece o que é
Não importa o que digam sois ilegítimos golpistas
Precisa um basta à ditadura do jurídico
O que não é não pode ser
O que não é objetivo é subjetivo
A direita provoca
Vamos lhe dar troco?
Querer que o mais votado não se candidate é coisa de louco
A burrice da televisão é quando o locutor descreve as cenas que todos estamos vendo
Só é pior quando fingem que opinam sobre as pautas previamente determinadas pelos donos que os empregam
Só é pior quando o repórter fica na frente do fato impedindo-nos de vê-lo
Guarde-me as boas
E poupe-me as más
Um país de tênues ilusões
Não é bom augúrio o ódio de classe
Aliás ódio algum
Não é bom augúrio o justiçamento público
Aliás justiçamento algum
Todo mundo ri da própria desgraça
O meu olhar me diz mais do que eu vejo
Enquanto tá do lado tem sempre o amanhã
A velha burguesia a serviço da CIA e do imperialismo radicaliza é eles ou nós
O pais de 4 pro imperialismo ninguém merece
Imagina meia dúzia de janotas a prender 50 milhões de eleitores
E se prender o outro terão prendido todo o eleitorado do país
Meteoro se bater explode o mundo
Diga o que pensa
Digo o que penso
Parabéns aos radicais mas se não for o povo com Lula lá quem é que vocês vão botar

Ciclos

dezembro 26th, 2017

O maior prazer da vida é dormir
Estou ficando desnorteado
Prefiro ficar sulificado
Os mais velhos não entendem a juventude
Os mais novos não querem entender os mais velhos
Nada contra
Assim o mundo se renova
E tanto eles quanto nós somos e tendemos ao anonimato
Mas ao destacarem-se os mais velhos trazem um peso de autoritarismo
Enquanto os mais jovens tendem à rebeldia
A rebeldia não é só e nem tanto a manifesta
Tem a sublimada
Que gera o impulso ao destaque
Que gera a construção da identidade
Em todas as áreas economia politica cultura esporte
Aprecio o conceito de geração
Acredito que aos de mesma época a despeito de origens ergue-se um universo comum que persiste apesar de todas as diversidades
Não inventei é o espirito de época
E a cada época alguns mais velhos conseguem atrair alguns mais novos
Para o bem e para o mal
Pior é que sempre acabam perdendo sua consciência de geração
Jovens não podem ser golpistas
A menos que adiram aos golpistas mais velhos
E claro não é um problema de idade
Não são os quantos anos
É a submissão ao autoritarismo
A geração de 64 emerge no mesmo ano do golpe
Teve seus mais destacados combatentes massacrados
A maioria silenciosa também tem sua forma de combate
A resistência felizmente para a maioria é a pacífica
A de guerra mesmo a da minoria esclarecida não é viável
Morre muita gente
Gente é pra viver não é pra morrer
E a dominação dos mais velhos do mal foi terrível
E a dominação dos mais velhos do mal é terrível
O golpe civil de 2016 improvável e tôsco como é que se mantem até hoje
E descarrega o seu inacreditável baú de maldades sôbre a população
A geração dos mais velhos do mal ataca agora até os jovens do futuro
Autoritários aqui
Servís ao maior mal do mundo em todas as épocas: o imperialismo

Manchas

dezembro 12th, 2017

A quadrilha no executivo no legislativo e no judiciário
Como uma espiral arrasa o país
É como um furacão
Logo aqui onde não os temos
Quantas perguntas estão a perguntar-se
Quantas respondidas
Nada que o humano faça pode ser estranho ao humano
Quando prevemos um temporal corremos a nos abrigar
Quando não … somos devastados
A dor não é a minha praia
Que nem escravos vendendo bugigangas importadas pela rua afora
E as trazem como grilhões penduradas ao pescoço
Os avanços dos humanos sobre a natureza são notáveis
Só se esquecem que eles e ela são um só
É melhor fazer antes pra não ter que fazer na hora
Se não és a lagoa pelo menos não me afogarei
Se não és a torrente pelo menos não me arrastarás
Se não sou um gigante pelo menos não te amassarei
E como não sou perfeito não insistirei
Pega o bagulho
Fuma o bagulho
E num recrama
O importante é começar bem depois piora
Quem bebeu quem fumou tem que agradecer por isso
O mundo em chamas é o que o imperialismo deseja
O macarrão tem que estar no ponto
Nem pra mais nem pra menos
Cuidado com o sal
E o problema não é dos saltimbancos
E sim dos bancos o assalto
A nós por eles infligido
Não se deve cogitar o incogitável
Vai que atrai
O congresso o supremo e o juiz acanalharam a republica
O que os governantes fazem é governar
O que os usurpadores fazem é usurpar
É preciso viver com menos
Para viver melhor
E vivermos todos
Ninguém precisa ter mais que ninguém