Entregas

Entregas (de Sergio Santeiro).

Quando dei por mim já tinha dançado

Histórias não comovem os derrotados

Antes a vida que a morte

Ninguém tem o direito de pautar a vida de ninguém

O que dá trabalho dá prazer

Rebolei procê ver cê não viu

Viajei passeei achei que dava não deu

Logo mais saberei se perdi ou se ganhei

É preciso apreciar a beleza onde ela quer que esteja

Meninas encantadoras escapam do meu assédio

Não quero atrapalhar ninguém ainda que me atrapalhe

Antigamente as meninas se entregavam ou estou errando as meninas

Eu só ataco se ficar na minha área de competência

Elas fazem tanta coisa nas prévias que nem precisa chegar às eliminares

Agora é a tua vez

As vocais são como se fossem cordas

Por que eu vou dar pra você qualquer menino dá dois de você mas você não precisa de mais de um de mim

Quis o destino me devolver aonde eu me fiz pessoa

Vi que do lado tinha coisa

Onde eu ando não atolo

Mal faz quem não pede pior quem não dá

Comments are closed.