Toleimas

Prefiro as coisas casuais

Você reluta em enrolar-se no meu rolo

A gente começa com jeito depois perde a paciência

Desandei a  falar quando dei por mim o último parceiro virava a esquina sem olhar pra trás

Está agendado na minha pele

Estou me deixando levar mui prazerosamente por tua mão

Cortesã é a que sabe cortejar e ser cortejada

De como a verdade prevalece

As meninas podiam ser mais boazinhas

Faz cara feia mas é lindinha

Fosse comigo também fazia

A cavalo dado é de lamber-se os beiços

Levo na bolsa tudo o que não pode faltar

Ama-te a ti mesmo mais que ao próximo

Não sou candidato a nada mas gostaria de ter você por perto

Por onde anda toda aquela ternura

O pior é não saber perder

Ela vai pintar pra mim

Quem mais quer menos faz

É fácil levantar bandeiras difícil é  sustentá-las

Em qualquer lugar do mundo o que é estrangeiro é maléfico entrava o que é local

Estou adorando cortejar e ela adorando ser cortejada

Tudo precisa ser discutido os prós e os contra da liberdade

É preciso pensar de dentro pra fora e não de fora pra dentro

Ela é sapeca mas joga na retranca

Ela(s) sabe(m) o que faz(em)

Você é oral é o sem escrito

Ela tem a lingua enorme ela é linguaruda

Não! Mudei de idéia! Vou embora!

É a menina do rio bonita

Fui o primeiro a pedir ela não quis

Só as mulheres não podem achar chato porque se acharem é porque tem

A dona da festa achou que era a dona da festa

Você me quer mas eu não dou pra você

Um belo quarto uma bela cama e com chave por dentro

Tá difícil não, é difícil

Não se mexe em jogo que está perdendo pode ficar pior

Todo mundo me pergunta se eu ainda não transei com você

Não hás de querer-me mal

Então vem com tudo

Ao que me lembre era uma delícia

Um alguém procura outro alguém

Quando eu sanguessugo eu sugo sangue

Desculpe mas eu vou-me já

Comments are closed.