Re-ontens

O que passou passou abre alas pro que virá
Quase nunca é sempre fácil
O fim não determina os meios
Quero que você me dê o que só você pode me dar
Qualquer um exerce sobre qualquer outro um inegável fascínio
Diz o vulgo: a gatinha estranha veio se chegando se levar uma porrada não reclama
Posso olhar você sem nenhuma intenção mais funda
Uma menina boazinha assim merece um tratamento completo
Venci a tentação
Pode ser que eu durma ou que não deixe você  dormir
Quem vai me aguentar mais profano do que já sou
Nunca vou dizer vem agora só digo vem amanhã
Vem me visitar ou era tudo mentira
Perdi o bacalhau e a bacalhoa
Ela tinha horror do cheiro de cerveja
Se não se incomoda gostaria de passar um tempo  com você
Sem vulgaridade não há paixão
Só sei o que convivemos
Sou aquele babaca que acha que não tem nada de errado comigo
Pra que tanto papo uma trepada se resolve em meia hora
Eu gosto de ver essa coisa melosa e agradecida que é uma mulher
Eu olho a menina ela vê que eu a olho isso pode durar uma eternidade
Isto é a libertação
Nós a natureza as estrelas
E aí pode ser ou tá difícil
Ah, deixa passar o ano
Depois de Reis
Depois do carnaval
e da semana santa
e São Pedro e as férias
e vem a primavera
deixa passar o verão
ah, e deixa o ano passar

Comments are closed.