Archive for fevereiro, 2012

Porquês

segunda-feira, fevereiro 27th, 2012

Por que falar de Oscar no país de Oscarito?
Por que falar de Otelo no país de Grande Otelo?
Por que falar de um no país de todos nós?
Por que falar de deus em países de ateus?
Por que falar inglês se não foi ele quem nos fêz?
Por que cantar vitória se ainda não é a hora?
Por que saber demais se a história é o de menos?
Por que sentar na trolha se a trolha não é pequena?
Por que amar a todos se em todos não cabemos?
Por que dar-se ao trabalho se a vida não é amena?
Por que você me olha se eu não estou no seu esquema?
Por que um mafagafo e não os mafagafinhos?
Por que dormir de touca se eu não sou o seu problema?
Por que buscar a rima se o meu barco é sem remo?
Por que sair a êsmo se o mundo é sempre o mesmo?
Por que alugar vocês se eu não pago as minhas contas?
Por que esfregar menos se é preciso esfregar mais?
Por que viver assim e não viver assado?
Por que me perguntar se não sei responder?
Por que falar de amor se a mina não te quer?
Por que gostar de ti se não gostar de mim?
Por que vai ser no meu o que não fôr no teu?
Por que no carnaval e não no ano inteiro?
Por que só pra você e não pro mundo todo?
Por que dizer que sim se puder dizer que não?
Por que zombar de mim se não zombo de ti?
Por que lembrar de ti se não lembras de mim?
Por que jogar à vera se ninguém quer saber?
Por que pagar o pato na festa em que não fui?
Por que vou dar procê se não sobrou pra mim?
Por que sair de perto se nem me aproximei?
Por que chutar o balde com a água que eu bebi?
Por que perder meu tempo com o que eu já perdi?
Por que você me chama se eu finjo que nem vi?
Por que correr atrás se a frente é logo ali?
Por que finalizar antes de começar?
Por que sair da cama sem nem se despedir?
Por que gostar do mar se nele eu me afoguei?
Por que não ser quem sou se assim foi que eu nasci?
Por que, por que, por que? Porque, porque, porque.

Ordens

quarta-feira, fevereiro 22nd, 2012

O sucesso deles se faz às custas do nosso insucesso
As mulheres grudam espetacularmente enquanto querem. Quem resiste?
Você sabe como conseguir tudo de mim
Na verdade eu só queria estar aqui dividindo as tarefas com você
Não se pode dar sorte ao azar nem sequer mencioná-lo
Todos precisam de todos
Escolhido o caminho só nos falta segui-lo
Você diz que sim e tudo bem
Eu dou o que você quiser quantas vezes quiser e isso não atrapalha nem um pouco a minha vida
Você me surpreende eu fico encantado eu fico seduzido
E aí ela te mostra o quanto você perde se ficar parado
É uma equação simples: mais por menos
Por que o estado patrão insiste em maltratar seus trabalhadores?
A minha opinião pode rolar pra onde for já o afeto
O pé deve ou não deve sair do chão?
Ela arrematou no grito e sem leilão um pobre coração
Guardei a couve pra comer mais tarde ela amarelou
Nem tudo é você
Você pode não ser só você pode ser geral
Nem meio nem metade a taça boa é a cheia
Terra à vista ou a prazo?
À poesia tudo é permitido
Lobo uiva a lua
Eu até posso ser o que você quer mas aí não seria eu
Muito se fala pouco se compreende
Você não vai dar pra mim tudo que já deu pros outros?
A volúpia de um instante não pode incomodar a quem a tem por inteiro
O que mais me atrai na arte é a liberdade
Se eu disser que vou é bem possível que eu vá
O último nunca será o primeiro a menos que inverta a conta
Fomentar sempre me dá a ideia de aumentar a fome
O equilíbrio precisa de contrários
Tive a sorte de nunca precisar mais do que mereço
Quem faz as leis: os legisladores
Quem ajuíza as leis: os juízes
Quem executa as leis: o executivo
Quem sofre com as leis: o resto
Não converso o que não foi conversado comigo

Lembranças

quarta-feira, fevereiro 15th, 2012

A questão fundiária precisa ser alocada e realocada
Abaixo o latifundio
Ninguém deve ter em pé mais que o que vai ter deitado
Ninguém deve ter mais do que possa comer
Ninguém deve ter mais do que possa vestir
O que a uns sobeja a quase todos falta
A polícia é o braço armado da população não pode ser usada contra ela
Governo é pra promover a concórdia e não a discórdia
A terra não tem dono é patrimonio ancestral
É preciso acabar com o país cartorial
A juventude é um elixir
Você não quer dormir nua comigo?
O brasileiro é uma lingua do cacete o que pode ser definido também pode ser indefinido como você por exemplo
Tem sempre um mais esperto que bota os outros a trabalhar pra si
Só a dialética constrói
A Semana de Arte Moderna era internacionalista. Parece que a guinada brasileira se deu com a descoberta do Aleijadinho e das cidades mineiras
Meus componentes negróides são mais que evidentes os indianóides também e os brancóides também
O bom caboclo suspira
Cota pra nós?
Se o estado perder o controle vira anarquia se exagerar vira ditadura
O amor são dois quereres
O confronto com governos é ótimo com a população é péssimo
Você não é mais a menina que eu penso que é
Eu preciso andar aqui e ali e ali
Cria-se uma fantasia a teu respeito e ficas refém da imagem que te fizeram
A tua vida oscila arbitràriamente
Sabe por que as elites não fazem greves? Porque vai se descobrir que não precisamos delas
Não há nada que não se possa dizer
O meu dever é impedir que esses meninos acreditem na força das idéias
Acho que podemos e devemos acreditar no conceito de policia pacificadora
O problema do regime capitalista é que ele só é bom para o patrão e aí todo mundo quer ser patrão
Viver é fazer o bem
Os governos estão errados: na marra não resolve, piora.
Mais importante é o que acontece e não o que você pensa
Reclamar da vida é bobagem ela nem liga
Nóis não dança valsa nóis requebra é no passinho

Firulas

terça-feira, fevereiro 7th, 2012

Quem faz propaganda é porque não acredita no produto
Na prisão do Cosme procurei o velho Diegues que me indicou o Adonias que me indicou o Scliar quando cheguei lá ele me disse que a Niomar já tinha resolvido
O artista é um passageiro do sentimento
Sou contra greves de fome e acho que greves na área de segurança publica são um desastre. É preciso descobrir formas de protesto que não agridam a população
Quem gruda não desgruda
Quem desgruda quer sair
Não pode ser mas foi
O que não melhora piora
Sem saber, o que fazer?
Nenhuma vida vale uma morte
É como se precisasse que o mundo parasse e recomeçasse de novo
A reflexão é tudo
Como se constroi a consciência
Sabemos mais sobre quem nos domina do que sabemos sobre nós mesmos
Meu viver é pensar
Tudo é conjuntura
Tudo é conjectura
Abre para eu entrar
Tô contigo e não abro
Você mantem o mesmo jeito de andar
Ela achou que eu estava nu
Só porque mostrei um nada das minhas nádegas
A vanguarda rejeita o rótulo de vanguarda
A minha amante é tão secreta que nem eu sei quem é
A lua ficou no teu lugar
Eu quero você estendida pra mim
É engraçado. Reconhecemos nas sombras da lua o mito de São Jorge que é o anseio universal de todos os povos do mundo
Casal de iguais foi o que sempre vivi
De fato é lindo ver a mulher dormindo
É o que você faz comigo
A ficção é de carater extrovertido
Não se fale nela, não se brinque com ela, não se a atraia nem se a convoque
Flores caíam como antes só que não na minha mesa
Sempre torço pelo melhor
Bom é de graça pagando não tem graça
Lindo é ver a mulher acompanhando seu homem
Você se acomoda comigo?
Os nossos mortos vos seduzem os nossos vivos não?
Palavras não bastam
Agora você pode dizer só casando
Como na época o moderno é o de todo dia

Manhas

quarta-feira, fevereiro 1st, 2012

Voltou pra lá mas diz que vai voltar pra cá
Já fiz o meu melhor só falta o meu pior
Será que você consegue?
Aprecio mas não sou de samba nem de futebol só cinema
Só o novo salva o velho
O melhor é o que está à frente
Espero que você não depile nunca
Não podes te submeter a meus caprichos?
A qualquer hora
Cheio de grilos eu não o mato
Ai eu não acredito ou melhor acredito
Sem você fiquei meio sem assunto
A vida é muito cara pra se deixar barato
A melhor hora do casamento é quando ela diz: tá bom, vai logo que eu quero dormir
Não se deve desconhecer o próximo
Quem mais fêz é quem mais faz
Se você quer eu dou
Paletó e gravata devia ser crime ambiental
Quem gosta se diverte quem não gosta não se diverte
Ela quer casar e agora?
Será que eu não sou capaz de viver sózinho?
A que eu quero é a maracujá
Eu não sei viver grudado em ninguém
A banana é gênio amadurece fora do pé
Todo mundo fala disso por que eu não posso falar também
Essa mente delicada e esse corpo vigoroso prefiro êle
Eu quero você mas não quero a armadilha
Você quer mudar a minha vida
Sempre você a me devorar com as tuas pernas
Pensas que passei e voltei
Pode ser ou você acha ruim
Melhor não
De repente é simultâneo eu em você você em mim
Você acha que eu não tenho direito aos devaneios da minha mente
Me lembro de ti deitada de costas que era do jeito que eu gosto de ver
Acho que você não vai me dizer não
O direito de uns não prevalece sobre o de todos
É preciso abrir as prisões que só existem pela incapacidade dos governos lidarem com a sociedade que os sustenta
Quem não se omite é massa
Salve Rita!