Archive for abril, 2012

Princípios

quarta-feira, abril 25th, 2012

O que é bom para o invasor não pode ser bom para o invadido

O amor brinca quando ama

Não sei se despretencioso é sem pretensão

A casa velha respinga por todo lado

Se queres que te fale direito não me podes ouvir torto

Eu quero até a tua orelha

Mesmo sem querermos eu como mesmo assim

Ela é minha sereia não sei o que fazer com ela

Não pode ser tão fácil mas também nem tão difícil

Não a vejo como santa e nem como megera vejo-a como um barco sem espera

Qualquer coisa que não me permite alimentar-me pra mim é merda

A vida exige uma certa malemolência de corpo e alma

Gozar é bom não importa com quem

Sinto tesão por quem não devo

Eu sou o que tu engole

Cada um vai querendo entrar em cada outro

Nada acontece entre mentes

Às vêzes sinto-me estranhamente estranho

A receita pra vida é viver muito

A sobrevivência é algo extraordinário

O dizer é fraco sem o fazer

Melhor trazer alguma água pra cá

Chupar o caroço é um bom esporte pra eles e pra elas

O dito pelo bendito

Não dá pra arriar tudo de uma vêz

Mais seis pra ficar freguês

Não me dás essa pele pra um lobo faminto saciar sua sede?

São frases soltas sem nenhum endereço a não ser o seu

Seu, de quem? De quem me lê!

Penso logo falo

À noite veio pra ficar

3, 2, 1

Achismos

quarta-feira, abril 18th, 2012

A felicidade de cada um fica mais feliz com a felicidade do outro

Quanto custa um barato de baixo custo?

Nem tudo é não

A existência precede a palavra

Mais com menos não é mais

Não quero quem não me quer

As filas andam

O ser telúrico

Mais pro fundo é mais profundo

Segundo o Obama mauboro pode maconha não pode

Ela não tem coração mas em compensação

Lá os catadores de algodão aqui os do lixão

Mulher boa dá mesmo sem querer

Acho que se deve ser meticulosamente cronológico

Pra lembrar é preciso esquecer

Nunca fomos tão pujantes não precisamos ser pungentes

Não peco por excesso

Temos que perder os criadores para só então salvar suas criações?

O cinema é um retrato só do que está a sua frente

Ninguém gosta de mim eles me acham arrogante

Mas se lhes dou enjoo que tomem um purgante

Voltar a cavalgar na tarde

Que pena que ela acorde

Um pouco mais e dormiria melhor

O que é redondo rola

Eu como você como você nunca vai esquecer

As mina precisa gozá

O artista liberta-nos a mente

Pensei que era uma profissional

Rebuscado é o de novo buscado

Quanto de vida e do mundo não silenciamos

Tem mais quem menos dá

Não se preocupe com o morcego preocupe-se com o meu desejo

Ela disse que eu já era

Ela pediu pra eu não levar a sério

Ela pediu pra eu reconsiderar

Ela pediu pra eu não levar a mal

Ela pediu pra eu ser compreensivo

Ela pediu pra eu esquecer

Ela pediu pra eu não ligar

Momentos

quarta-feira, abril 11th, 2012

Enquanto um não vai outro não vem
Não existe o depois sem o antes
Andar na noite é demais
Não queria que você me quisesse quanto quero você
Um na multidão
Eu merecia ter uma gata nova a cada noite
Essas meninas de hoje em dia se dão dão por que não dão pra mim?
Seria melhor se eu tivesse o que vou ter
E em casa continuo o passeio da noite mesmo sem ela
Por que escolher?
O que qualquer homem quer é aquela coisa
Mas aí o outro precisa interagir
É hora de desligar o mundo
O cara que planta bosta no caminho merecia nela atolar
As casadas me maternalizam as solteiras eu paternalizo
Eu queria desfolhar o teu recato
Saudade das tuas pernas e do que ainda não tive
Sem maiores pretensões vamos trilhando os futuros
É fácil execrar o execrável difícil é descobrí-lo
Talvez ninguém perceba mas estamos às vésperas de melhores momentos
Reprimo-os não dou vazão a meus instintos
Avançar sempre ou recuar até o infinito
Nada que se demore a resolver vale a pena
Às vezes é uma grata surpresa às vezes ingrata
Não pode ser só cansar é preciso descansar
Entre o que entra e o que sai fica um gostinho de quero mais
És esnobe ou és sapeca?
Meteoros não convém
Não sou romântico se demorar eu mudo o foco
O querer não sabe se pode
O olhar arrevesado pode dizer que sim
Se eu esquecer quem eu sou não saberei quem tu és
Você sabe o que quer dizer tudo?
Se não for pra virar pelo avesso não adianta caprichar na aparência
Prefiro as portas do que as janelas abertas
Entre o sorriso e o suspiro a moça sumiu
O remédio além de amargo não fez efeito
A noite esconde o barato do dia
Nenhum sacrifício é tolerável
Melhor que o mundo se arrumasse

Gostos

quarta-feira, abril 4th, 2012

Às vêzes da artista sugerem contratar um motorista
Trocar os de exclamação ! pelos de interrogação ? não faz bem aos pontos
Prefiro cansada na volta
É fácil elogiar o elogiado difícil é descobrí-lo
Até quero mas não faço questão
A poesia é tudo que se afirme ser
Não asso meu bolo na beirada de ninguém
Daqui a pouco já é amanhã
Tão chata e burguesa que até dá pena
Não ter o que dizer é melhor que não dizer o que se tem
Você não se vê quem te vê é o outro
Perdi a piada mas salvei o amigo
De que vale a vida se há uma bala perdida
Estou justamente pensando isso agora
No kuduro não entra môsca
Não se pode esquecer o inesquecível
A palavra esconde
Nada é assim tudo é contínuo
Não nos aborreçamos
Tem solução pra tudo menos pra hipocrisia
Não me ufano de quem me afana
O diabo é a teia de relações sociais que sustenta a repressão
Nem vou lembrar de quem me esquecer
Quem tem só tem privilégios
Se eu comer com a mão é porque faltou-me o garfo
O princípio é o começo do fim
A paz estrangulada nem emitiu um som
A memória é mais que a lembrança
Se eu te contar um conto tu não me aumenta um ponto?
Quem tudo sabe não aprende
Olhar prum lado olhar pro outro e só então atravessar
Nem mais e nem menos desfaz o sabor
O que é caro não vale a pena
Nem se eu acreditar eu vou deixar barato
Meu é o que não me tiram
Sou inegociável ninguém vai querer pagar
Meus cuidados não impedem meus fracassos
A diferença entre tudo ou nada é mais ou menos
Adiantar-se é melhor que atrasar-se
O apressado morre mais cedo