Archive for maio, 2012

Nódoas

quarta-feira, maio 30th, 2012

Quem come môsca logo descobre o que lhe falta
A poesia não existe se escondida
Vocês acham que eu sou autoritário? Vocês não acham, acham?
Quem tem razão não abusa dela
Não sou xamã é assim que me chamam
Sou contra a exclusão
Até tem mas não tô afim
O amor fugaz ameaça de felicidade
Há desejos imperscrutáveis
Rola na boca rola nas bocas rola
Tem não gosto pra tudo
É bom chupar uma fruta saborosa
Não pede pra não gerar cobrança
Divertido é divertir-se consigo mesmo
O que é sério encareta o possível
Leviano é o que é leve?
Não espere o último momento pule no penúltimo
Não adianta conter a vida ela supera
Se você não me acordar você pode dizer que não quis me incomodar
Não é mole ela quer alho
O que está feito já está feito o problema é o que há de vir
Não é possível amarrar a vida ao compasso de vocês
O mal não é bom conselheiro
Se cansar avisa
Não esqueço o que devia esqueço o que não devia
Até que meus ais são pequenos frente aos ais de todo mundo
Passei uma semana sem esquecer de você
Quem manda e desmanda vai ter que encarar
A que eu vi não é a mesma que me viu
Não sou muito bom de interação se der pra ser já tá muito bom
É bom fazer o que se gosta
O que será o que ainda não foi
Se não concorda não precisa afrontar
Ela vai dizer que não lembra mas por um momento olhos olharam-se densamente
Você é uma menina e eu quero barbarizar
Sempre fui aos trancos e barrancos levado para outros caminhos
Quem se acha tá perdido
Não sair é fundamental para sair de mim
E se eu pedir pra ela chegar mais
Não me queiram mal são flôres do estilo

Banalidades

quarta-feira, maio 23rd, 2012

Nada pode ser melhor que o estado
A poesia não deve ser elusiva
O que é meu não é teu
As mulheres não são salientes no que têm de melhor
O artista é o que se emite no que emite
Não se deve confundir u com unda
Só nado na minha praia
Não sou de aspirar mas aspiro ao poder
Se você deixar eu vou deixar você me deixar como quiser
Quem é bom sempre foi bom
Jamais deixamos a peteca cair
Saques sacadas sacanas
Antes só que acompanhado
Às vezes não rio
Eu acho que você se vira muito bem
Não dou conta dos recados
Esqueci a minha sanha
Se ligou é porque quer se ligar
Eu não sei lidar com o poder foi o recado que me fêz romper com ele
Bêbado, chapado e incréu
Ela me faz comer e beber além do que preciso
Presto-lhe a maior homenagem a uma mulher cortejo-a
Como me sinto poderoso dormindo à noite
Alimentar vários fogos pra que não te falte comida
Tem coisas que você diz que faz e que eu ainda não fiz
Encher você de mim
Nem sempre cabe mais um
Se até as pedras se movem
O que é meu eu não divido
Difícil é o que não é fácil
Não queira que eu queira o que eu não quero
Tudo se passa entre o 0 e o 1
Ah os meus defeitos
Como somos muitos temos que ser plurais
Foi-se o resto mas ficaram os dentes
Isso não pode dar certo
O que dizemos dos outros é o que vemos em nós mesmos
Não caibo nas tuas artimanhas
Todo mundo quer que o mundo caiba no seu bolso mas não cabe
Os males a todos afligem

Fagulhas

quarta-feira, maio 16th, 2012

Como não vou mais te ver preciso aproveitar ao máximo
Não deixe que nada mande no teu corpo
Os teus subindo os meus sumindo
Não se pode viver de ausências
Pra você dizer pros outros que tô pegando no teu pé?
Concordar ou discordar tem a ver com o coração?
O bem que dormir me faz
Pra não fazer o que se devia faz-se o que não se devia
A vida é de quem se solta
Já que ninguém curte curto eu
Nem ser e nem deixar de ser quem se é
Lei é lei mas o no entanto é que vigora
Não sufrago o falso moralismo de ninguém
É preciso não dar mole pras circunstancias
Tem a sumidade e tem o sumidouro
Você pode dar o que quiser pra quem quiser só não quero saber
Você devia acabar o que começou
Se posso estar com por que ficaria sem?
Antes cedo que mais tarde
E nós não leva vantagem alguma
O que você quer só casando
Você mantém minha tensão acesa
Qualquer um sempre quer qualquer outro
Pra quem não gosta de gostar tem coisa melhor que gostar?
É chato procurar a palavra exata melhor é pegar a que passa
Você acha que eu não sei que você tá doido para me ter?
Você nunca vai deixar eu te fazer feliz?
Dormi com o teu chulé no meu peito
Estreantes ganham mais que estreados?
Perguntas merecem resposta
Quem não mora no inferno gosta é de rosetar
Se espremer o tubo espirra
Se não faz pelo menos não desfaz
Assim se erige uma tôrre de dizeres
O bem apessoado não era boa pessoa
Não se perde a esperança perde-se a vida
Não se importe com o que se comporta
O tempo é uma dimensão do espaço
Talvez até faça sentido
A moça é pau pra toda obra

Palrares

quarta-feira, maio 9th, 2012

Ela disse que tudo isso aqui é só para o meu gáudio
A maciez de tua curva até a anca
A medida do teu sucesso é quanto a gata goza
A realidade é melhor que o sonho
Isto não é amor isto é pecado
Deixa o que vier vir e o que não vier passar
Eu quero ser liberado do que é formal
Dizer o que é pra dizer sem retoques
É bom e é ruim você não ter aquela mesma mulher toda noite
Não sei se o fazer precede o querer
A borra do teu gôzo serve de leniente
A burocracia é a arte de resolver problemas não de criá-los
Se para uns é bom para todos será muito melhor
O que ela não sabe é que não se pode atrair o outro e depois sumir
É preciso viver com intensidade os bons e os maus momentos
É ruim querer o que não se tem
Antes ou depois mas que seja
Dá uma sensação de poder ver a gata prostrada
Depois de feito tá feito o jeito é não fazer de novo
Um homem que te trata assim merecia o teu melhor tratamento
Eu quero que você venha dormir nús comigo
Não pode em baixo mas pode em cima
Um bom dia a dia dispensa os eventos
A luta sexual é como se fôsse uma curra consentida
Ninguem deve possuir mais do que possa consumir
Ela pensa que é oráculo
O repouso é o que nos faz repousar
Equilibrar-se não é talento é necessidade
Não sei fazer o que não sei fazer
Não posso ensinar o que não aprendi
Não posso lembrar o que esqueci
Não se pode sair sem ter entrado
É preciso toda a liberdade para a criação das formas
Pensar nos obriga a ponderar
É mais legal deixar ao léu que pegar à garra
Não obstante é preciso obstar
Falar mal é melhor que não falar
Convencer é vencer junto
Se não complicar não precisa explicar
O ócio é a negação do negócio