Lembranças

Nóis atravessa mas num queima a ponte pode ter que vortá por ela
Sou de opinião que ninguém deve trabalhar para ninguém
Repetir é parte do aprendizado
Porta aberta a gata fugiu
Não adianta alegar inocência
Quase sempre explícito de quando em vêz implícito
O de antes não garante o de depois
Vejo a curva amenizar-se quando chega ao fim
Toda pergunta vaga no vácuo
Será que eu posso comer a visita?
Não sou mais nem menos louco do que qualquer um que eu conheça
Você sabe fazer a alegria de um homem?
O azar às vêzes dá sorte
Mais vale a minha mão na minha mão do que as duas voando
Se apertar o pensamento ele fica apertado
Se concentrar na pergunta vai ganhar na resposta
É preciso deixar as partes se reconhecerem
Não basta a caneta é preciso o estilo
Deformadas as formas não se formam
Não pergunte responda
Ninguém pode poder mais que o outro
A vida é uma só
Uma enorme sensação de potência só falta o objeto encarnar
A vigília te permite ver o dia
Não é o sentido das palavras é em que sentido elas vão
O vento traz e leva as melhores e as piores notícias
Quantas vêzes por dia os erros e quantas os acertos
Eu gostava do teu jeito estabanado
Eu sou a memória
Essa coisa assexuada não me faz bem
Arrenego a estratégia do drama
Melhor se eu ficasse com você?
Meu tempo passou
Minto mas não omito
O que é prazeroso não pode ser desagradável
A carne é fraca mas o espírito é livre
O que mais vale é o que custa menos
Depois que arejou melhorou
Teus préstimos cairam em desuso
Mais queria menos podia

Comments are closed.