Pedaços

E se eu importasse uma neguinha da Martinica
Não deixe que ninguem te deixe mal
Admiro as mulheres em corpo e alma
Minha escritura provém de muita leitura
Não sou eu que afirmo eu apenas escrevo
Escrever é inscrever-se
Quem lerá? Quem saberá?
Quem se importa? Quem se importará?
Se a cabocla não caboclar eu tambem me descaboclizarei
As palavras são o que elas dizem o diabo é quem as manipula
O desejo é dispensado de ser politicamente correto
Não tô afim de ficar em familia
Saiam os colchões mas fiquem os coxões
A minha quer
Não é pra perguntar
Quem repete quer de novo
Não mando nem em mim
Bom ou ruim o dia já passou
O belo é o que se faz belo
Descobri que minha é só a minha vida
O que precisa é fazer história
Todo mundo é normal
Não pedi pra sair pedi para entrar
Não queira pra ninguém o que não quiser pra si
Erros ensinam mais que acertos
Deixei a tropa passar senão ela me atropela
Não rebarbo na rebarba
O fomento é quando a fome aumenta
Não insista persista
Não invente descubra
Não chateia dorme
Pra começar vamos começar
É bom é rápido é fácil
Vai ter que vir buscar
Se soubesse não diria
Há coisas que não se faz sozinho
Só não somos o que não somos
Ninguem vive o sonho dos outros
Não sei se quero mais ou quero menos
Pensar o inesperado porque o esperado já foi pensado

Comments are closed.