Apupos

É desconcertar ou é desconsertar
Não arredo se me pisam o pé
A primeira é a que pica
Nós tambem é laços
Adoro coxa de galinha
Quando ouvi fingi que não vi
Ao esquecer o tanto nem pensei no quanto
Não sou corajoso eu sou é folgado
O problema é a carona
Nunca ouço vozes
Os meios massacram
Não se tem a menor noção de justeza
Atacadores atacam
A memória segreda
Faço pouco mas acho que faço muito
Que nem chuchu na serra
Não se preocupe comigo eu não me preocupo com você
A mina dá o que a mina tem
Talvez não exatamente mas de repente também
A tirania da vida é burguesa
Esquecer é melhor do que não ver
As coisas vão se somando até não darem em nada
Se for pra perder fingir é o melhor que se tem a fazer
Meia dúzia é pouco pra quem bebe dúzia e meia
Não cobiço o que não tenho
Pra frente ou pra trás depende do problema
O pesado é o que afunda o mais leve é o que flutua
Se esquecer não lembre
Quem nunca morreu por amor
Se esquentar não esfrie
Se fui de mais não seja de menos
O que é assado não vai bem de fritura
Quero dizer o que me vem à cabeça
Antes de passar do meio não é possível chegar ao fim
Mentiras nem sempre ajudam mas nem sempre atrapalham
Não sei onde essa estrada vai dar
Essa não: pra saber se é bom ou ruim tem que provar?
Meu tempo não cabe no tempo do tempo
Se não for fique.

Comments are closed.