Relatos

Balanço mas não vergo
Se não procurar não vai achar
Bordões são bordoadas
Mais uma é bom
Se disser que vem eu não vou
Louco pra comer e louca pra dar
Difícil é fazer mais fácil é pretender
Outros colhe o que nóis pranta
Faz por nada só por vaidade
A louca vida não é louca é quem acha que ela é
Supremo: tribunal vira novela
Se disser que eu disse eu direi que não disse
Uma é contra a outra
O que vai vem ou não vem
Outros talvez façam o que não fiz
Vocês chamam de deus eu chamo de pecado
Incendiar a plateia pode incendiar um país
Não peço o que não quero
Cresce o rumor aumenta a desordem
Se eu pedir que você fique eu vou querer mandar embora
Os que são como eu não são como os outros
Não estou a fim é um bom começo
Não existe crime se não houver flagrante
Até o apagado pode ser legível
Não me sinto bem quando tudo está mal não me sinto mal quando tudo está bem
O refinado perde pro integral
Os que cobram acabam pagando
Não duvido da minha memória
Escondo o que consigo
Descarregar é melhor que carregar
Esqueci porque não quis lembrar
O que é bom não é mau
Perdi o que não quis
Com você eu só penso putaria
Quando teu corpo me deixar ainda guardarei sua aura
O que o vento trouxe a calmaria não vai levar
A lua ou a luz do sol
A minha ou a têz da sua
Mil e um caminhos a perder-se
Não tive não tenho não terei

Comments are closed.