Primícias

Diz que o alemão resolveu parar na minha mas eu não acredito
Agora é 13
Infelizmente o retrovisor não ensina muita coisa pra quem não está parado
Se não tomar cuidado aumenta-se a cagada
O boca livre ganha a boca livre
Ir com tudo
Você não tem o que eu tenho
A lua me enche
Por onde por a porra
A menina violina
Mulher só uma a uma
Aonde se esconde a poesia
Ao ver uma mulher logo pensamos em que?
O futuro a nós pertence
Gozar com o alheio só é bom para o alheio
O poder não é coisa que se recomende
Quem tá no trampo não tá guentando o tranco
Pô o coco vem ou só no ano que vem?
Não demora que o bonde não espera
Quando o dia acabar vou lembrar de você
Porrada não resolve agrava
Quando for eu serei
Não deixa o mundo montar em ti
Evidência não se nega nem tampouco se acredita
Ser tradicional não é ser conservador
Incerto bizarro esdrúxulo improvável
O mundo acaba todo dia pra quem não sabe viver
Antes ele do que eu
A sorte sorri pra muitos mas não pra todos
Prefiro correr do que ficar parado prefiro parar do que ficar correndo
O casual o natural o espontâneo o demais
Quando esquecer é um favor
O sol e a água nasce a vida
E sem quebras nas quebradas
Meu espírito me contou que eu sou materialista
Custo a desacreditar mas desacredito
Não dê pra esquecer
Menos mal se for com chuva
Ele vai ter um futuro tão negro quanto o dele
De nada adianta vingar-se o pobre no oprimido

Comments are closed.