Archive for março, 2013

Novas

quarta-feira, março 27th, 2013

Há quem não goste de partilha ou parceria o que eles querem é o domínio
Aonde estão os que aonde estavam?
Tudo é uma malha que se vai tecendo
Mas me diga o que já sabe
Ah! As discordâncias! Ah! As divergências
Não posso estar onde não estou
Isso foi lá ou aqui?
Super na minha super na dela
Um pequeno monte uma grande caverna
Quando esquecer de tudo não lembrarei de mais nada
Quantas vezes o alvoroço regride
Mexi mas não comi
Comi sem mexer
O que pede não é o que dá
Depressa não é bom
Se correr fico cansado
Também já passei por horrores mas foram horrores fantásticos
De quem é a propriedade das águas sem fim
É só pra quem vive a ventura
A gente se acostuma a viver depois não quer mais largar
Quem sabe faz em casa
Não se pode dar o que não se tem
Um outro não vale mais do que você
É bom pra quem tá bem, é ruim pra quem não tá
Quem me quer não quer você
Bota aqui que eu boto aí
As autoridades tem visivelmente um problema comigo
Se quiseres demais podes ficar com menos
Melhor sua careta que sua falta
O chão que eu piso não há de me fazer falseta
Estar seguro é ser feliz
O dia pela noite a noite pelo dia e estamos conversados
Desista não insista
O que eu tenho a dizer ninguém quer escutar
A parceira jaz de boca aberta
Uma força abala o vestido de madame
Não pergunte descubra
Se a sereia não vier é que o sereio não deixou
O que vale a pena é o que não deixa marca
Botar o eixo no fio da navalha

Velharias

quarta-feira, março 20th, 2013

Cavalo velho não cai no buraco
Ou burro se preferirem
Quando começa nunca sabe quando acaba
Quem vem antes precede
Ele é mais antigo que eu
Jamais reprovo ninguém
O Estado só existe para garantir a sobrevivência de seu povo
Os governos aliam-se aos poderosos para hostilizar a população
Não se preocupe esqueço
É com carinho ou com força
Nem o máximo nem o mínimo
Eu não eu também
Todo o esforço de ontem será prejudicado pela preguiça de hoje
Alguém que morre a gente pensa que podia ser a gente
Não sou da de lá sou da de cá
Isto significa o que isto significa
Sem mais nem menos é igual a zero
Ainda que ande é preciso empurrar
Se quiser não dou
Não sou contra sou a favor
Não pela metade comece pelo fim
Não falo sem pensar
Não venda o que não puder comprar
Não tolerar o intolerável é ser intolerante?
Não sei se é só comigo mas que acontece, acontece
Ser assistente é barra
Cerceio nada não sou de cercear
O cinema é ilusão de ótica
Só não quero ser o que não sou
Não quero mais do que possa carregar
A erva me dá a liberdade de ser quem eu sou
A vida é compromisso mas de vez em quando é bom mandar o compromisso à merda
Se estranhas o que eu digo é porque não ouves direito
Quantas vezes a palavra não atrapalha o pensamento
Gosto de fazer ao gosto de quem gosto
Dias acabam noites acabam vidas acabam
Gosto de você torço por você mas você precisa torcer também
A primeira virtude é a liberdade
Não peço mais do que mereço também não peço menos
Dias que vem sonhos que revem

Centros

quarta-feira, março 13th, 2013

Era uma vez um centro
que não era bem no centro
esta parte da cidade ruinosa
mas de casario e sobrados que me apraz
A mim também me apraz o mais moderno
Um cilindro negro cortado que se desenrola no lado do mar como um filme
Ali se podia fazer de tudo como num filme
salas de cinema, de estudos, de pesquisas
quem sabe lojas para encubadoras, pontos de cultura
Salas de cinema sim mas à medida que se viabilizem
Num bairro pobre à beira de uma universidade pública pobre
próximo ao novo Plaza e o Cinemark
quem haveria de pensar que cabe tanta oferta
E mais que salas
Tanto espaço deve abrigar uma TV-Educativa de Niterói
no cabo segundo a lei e na rede
que expanda nossas mensagens de Niterói para o mundo
Sons e imagens de nossa cidade
Hoje em dia não é só levar o público às telas do cinema
é preciso levar o cinema às telinhas do público
Como se fosse um projetor um só computador projeta no éter o que se comandar
Nossas coisas coisas nossas
Sinceramente nem pense em mercadejar o espaço nem um tanto nem um pouco
Basta um ponto pra se romper um dique
As necessidades serão organicamente atendidas mas não se trata de ver filmes comendo
Não se deve comer em bibliotecas e tampouco em quartos e outros ambientes além da sujeira inerente
Espaços como estes tem algo de sagrado
O que não falta é gastronomia variada no entorno
Um centro de convivência audiovisual com tudo o que for possível
Filmes infantis de graça nas manhãs
e quando for mais tarde ingresso no valor de uma garrafa d’água
Fácil de fazer? Nem um pouco
É preciso recolher donativos incentivados ou não na iniciativa pública ou privada na cidade
Sucursais ou empresas que moram aqui
Não se devia remeter lucros pra fora do município
Expandir um centro municipal de cinema para o mundo na escala do possível deve-se tentar
Deem-me um ano de gestão
E eu vos respondo

Fantasmas

quarta-feira, março 6th, 2013

Amulher
Mulher é pra dar trabalho
Legal é só quando interessa
Mulher é indispensável pra pagar o chope no fim do mês
O macio engana
Facilidades dão prejuízo
A palavra pra ser exata não nos deixa sonhar
Se você não quer nem eu
Pedir nunca é demais
O que eu queria agora não quero mais
Mesmo quem não tem pode ter um pau entre as pernas
Melhor a espera que o adeus
Cansado cansa
O amor é de quem ama pra quem ama
Deixe para amanhã o que pode fazer hoje
Pode-se reverter o adverso
Só não pode é virar mercadinho
Fusos confusos se fundem
Tem uma coisa quentinha esperando você
Nem sempre uma vez é o bastante
Não sou senão o escravo da tua vontade. Mentira!
Sem ver não tenho como provar
Andar não correr
Se a grana é curta curta a grana
Se botar em português essas bobagens de inglês morreríamos de rir
A última gota não pode ser a primeira
A primeira não pode ser a última
Só se vem a saber mais se se sabe menos
O tempo não nos dá tempo de curtir o tempo
Quando dei por mim já tava no chão
Só curto não venero o passado
Se me deixar falar não vai querer me escutar
Entre o que se põe e o que se tira às vezes não sobra nada
A vida nos leva o que a gente não entrega
Mais queria um querer tranquilo
Naquele dia gastei tudo o que tinha
A pena que corre não alcança o pensamento
Se sonhasse saberia sonhar
De uma vêz só se fôr a metade
Escorregar só é bom quando se cai de pé
Só atravesso no sinal e de olho no chão