Centros

Era uma vez um centro
que não era bem no centro
esta parte da cidade ruinosa
mas de casario e sobrados que me apraz
A mim também me apraz o mais moderno
Um cilindro negro cortado que se desenrola no lado do mar como um filme
Ali se podia fazer de tudo como num filme
salas de cinema, de estudos, de pesquisas
quem sabe lojas para encubadoras, pontos de cultura
Salas de cinema sim mas à medida que se viabilizem
Num bairro pobre à beira de uma universidade pública pobre
próximo ao novo Plaza e o Cinemark
quem haveria de pensar que cabe tanta oferta
E mais que salas
Tanto espaço deve abrigar uma TV-Educativa de Niterói
no cabo segundo a lei e na rede
que expanda nossas mensagens de Niterói para o mundo
Sons e imagens de nossa cidade
Hoje em dia não é só levar o público às telas do cinema
é preciso levar o cinema às telinhas do público
Como se fosse um projetor um só computador projeta no éter o que se comandar
Nossas coisas coisas nossas
Sinceramente nem pense em mercadejar o espaço nem um tanto nem um pouco
Basta um ponto pra se romper um dique
As necessidades serão organicamente atendidas mas não se trata de ver filmes comendo
Não se deve comer em bibliotecas e tampouco em quartos e outros ambientes além da sujeira inerente
Espaços como estes tem algo de sagrado
O que não falta é gastronomia variada no entorno
Um centro de convivência audiovisual com tudo o que for possível
Filmes infantis de graça nas manhãs
e quando for mais tarde ingresso no valor de uma garrafa d’água
Fácil de fazer? Nem um pouco
É preciso recolher donativos incentivados ou não na iniciativa pública ou privada na cidade
Sucursais ou empresas que moram aqui
Não se devia remeter lucros pra fora do município
Expandir um centro municipal de cinema para o mundo na escala do possível deve-se tentar
Deem-me um ano de gestão
E eu vos respondo

Comments are closed.