Novas

Há quem não goste de partilha ou parceria o que eles querem é o domínio
Aonde estão os que aonde estavam?
Tudo é uma malha que se vai tecendo
Mas me diga o que já sabe
Ah! As discordâncias! Ah! As divergências
Não posso estar onde não estou
Isso foi lá ou aqui?
Super na minha super na dela
Um pequeno monte uma grande caverna
Quando esquecer de tudo não lembrarei de mais nada
Quantas vezes o alvoroço regride
Mexi mas não comi
Comi sem mexer
O que pede não é o que dá
Depressa não é bom
Se correr fico cansado
Também já passei por horrores mas foram horrores fantásticos
De quem é a propriedade das águas sem fim
É só pra quem vive a ventura
A gente se acostuma a viver depois não quer mais largar
Quem sabe faz em casa
Não se pode dar o que não se tem
Um outro não vale mais do que você
É bom pra quem tá bem, é ruim pra quem não tá
Quem me quer não quer você
Bota aqui que eu boto aí
As autoridades tem visivelmente um problema comigo
Se quiseres demais podes ficar com menos
Melhor sua careta que sua falta
O chão que eu piso não há de me fazer falseta
Estar seguro é ser feliz
O dia pela noite a noite pelo dia e estamos conversados
Desista não insista
O que eu tenho a dizer ninguém quer escutar
A parceira jaz de boca aberta
Uma força abala o vestido de madame
Não pergunte descubra
Se a sereia não vier é que o sereio não deixou
O que vale a pena é o que não deixa marca
Botar o eixo no fio da navalha

Comments are closed.