Meiotas

O amor nada tem a ver com terceiros é um a um
O que define a condição humana é o ousar
Não ter calma é querer perder
A soja é suja o óleo é sujo não se deve sujar a água
A coisa boa em coisa ruim
Fí-los porque sófo-os
O que aqui não tem não é bom
Quem ulula não dura
O que é bom é pra bombar
Acompanhei as agruras do meu tempo sem lamentos
Melhor é poder ser pequeno
Não me jacto de meus excessos
Até pra perder é preciso estar na luta
Disputa em casa todo mundo perde
O que?
Não se meta no que não sabe
Guardo as minhas guarda as tuas
Quem atira perde a mira
Quem fofoca perde o foco
Sou a favor de viver a vida numa minimalista
O nosso cinema de 68 equivale na arte à luta armada
Espero que as autoridades de esquerda do país intervenham na defesa do povo em todo o território nacional está na constituição não é para negociar negócios é para defender o povo
O cinema é uma arte quem acha que é negócio que se vire
Armas sempre foram de ataque
Ferramentas viram armas ou armas viram ferramentas
Não se pode permitir ao estado massacrar os que estão sob sua proteção
Isto é políticamente imperdoável
Como fica uma pessoa que sabe ser alvo de outra pessoa
Se não quiser que diga não me pergunte
Pede pra diminuir a velocidade
Ela é como uma ânfora
É preciso que os artistas tomem tenência pra não ser manobra dos políticos
A minha sanha é não perder a gana
Quando eu penso o mundo me desfaz mas me refaz com o que posso pensar
Levar meu pobre verbo além do que ele é é duro de levar
Ninguém quer saber do outro
Ou de outra
Não é possível ter alguém sem problemas além dos meus?
Antes não dá depois já deu
O que dizes é só o que sabes

Comments are closed.