Nunquices

Ideias fogem como átomos
A vida só acaba na morte
Leio penso anoto
Esse enorme continente que é em forma de ampulheta
Na hora de mirar é que eu mais tusso
A gente fala sem pensar e a gente pensa sem falar
Não me digam o que fazer já sei fazer sozinho
Não brinque com a sorte ela é que brinca com você
Não sei como lidar com essas coisas
Sem perder o gosto pelo bate-boca
Neguinho às vêzes pega pesado
Não faço sacrifício por ninguém
É inútil discutir com quem vive a vida por dinheiro
As precárias máquinas me deixam tonto
Se beber não esqueça
Conheço minhas limitações mais que meus talentos
Nem sempre me lembro quem vi passar
Martelando não vai
Se não puder caprichar esquece
Depois da meia noite vem a noite inteira?
O que não é da tua conta não é da tua conta
Tudo é uma questão de método
Prezo muito a pessoa mas não sou individualista
O Rio era lindo antes do cimento e cal
Vejo com alegria a turma que fez a longa estrada
O poder é coisa com a qual não se pode brincar
Se souber o preço desisto da compra
A vida surpreende
Em todos os sentidos
Como é que faz pra tirar a mancha do tira-mancha?
O que não funciona talvez não funcionará
Um erro é causa de muitos outros
Quem acha que sabe tudo não consegue aprender nada
Se o que eu espero não vier vou ter que correr atrás
Quem anda não perde a vez
Julgar quanto menos melhor
A coligação que dirige o país joga o exército e a polícia contra o povo para garantir a dominação do país por empreiteiras e empreiteiros
Pra que eletrificar a Amazônia? É pra afogar e eletrocutar o povo?
Com tanto espaço no país por que é que não cabe o povo?
Sou-o

Comments are closed.