Archive for junho, 2013

Improváveis

quarta-feira, junho 26th, 2013

Pra fazer é de dentro pra fora mas pra ver é de fora pra dentro
Todos os governos do Brasil federais estaduais e municipais são colonizados querem viver como os invasores
Não se deve acirrar a questão racial
Cada dia entendo menos e aproveito mais
É bom ver o que as pessoas não viram
Não é possível que o governo não saiba lidar com a questão indígena e jamais mande o exército
Minha mãe dizia meu filho eu sei que você é muito inteligente mas de que serve tanta inteligência se você não consegue resolver nada direito
Coitado do bofe que chegar perto
Nunca se sabe pra onde sopra o vento
É tudo latifundiário e cúmplice de terras ares e mares
As próximas eleições têm que garantir o direito de todos
Não acho que possa haver profissionalismo na política mas há a dedicação
Não me dão confiança pra dizer o que penso
Quereis que passe pela minha casa e vire reclame de anorexia?
Estou sendo acusado de engordar a franguinha
Feliz de estar em casa
Sobreviver já é bom demais
O artista é o que interpreta o sentimento de seu tempo
Não tô aqui pra dar mole pra sirigaita
Ser abandonado não é assim tão ruim
Castigar uma coroa também não é nada mal
Branco preto ou mulato tanto faz o problema é ser pobre
Fracassei! Saí pra comprar jornal e acabei no bar
Se for pior que seja pior o que não pode é ser meio melhor
Errei a palavra pensei que tinha errado a ideia
Os cabelos femininos crescem mais que os masculinos
Negros se enganam mulheres se enganam não somos minorias somos maiorias
O jeito dela é parecido com o da mãe: fartura
Princesas são rainhas
Pra que ir longe se o que eu quero está na esquina
Por que as meninas mais louras têm a bunda caída
Um tiro a todos mata
Melhor que entrar é saber sair
Que fazer se ela não namora
Que fazer se não me dá bola
Que fazer se ela te engana
A mina namora a mina dá bola só que não é com você
Esta é talvez a mais grave questão do país neste momento
A presidenta não pode autorizar a repressão armada contra o povo muito menos ela
Vidas valem igual a dele a minha a tua a dela

Impossíveis

quarta-feira, junho 19th, 2013

A questão não é de raça é de classe
Aliás nunca foi raça não existe
Às vezes eu quero às vezes eu fico cansado
Se for o caso eu até explico
Se for verdade é melhor nem saber
Não sei viver com prefiro viver sem
A História segue seu imprevisível curso
Não sei se alguém sabe quem inventou o fogo
Feliz ou infelizmente a história é soberana só quem viver verá
Te cutuco me cutuca te cutuco
Não tenho mais tempo a perder com essa coisa estrangeira
A droga não é uma droga é um barato
Só conto se chegar perto
Governar não é fácil é como navegar num avião
Acho que a disputa racial enfraquece a luta contra o preconceito
Ele foi nóis é vós sereis
As outras partes de outros povos pulam dentro de mim
Ela tem bons hábitos mas tem maus modos quase gosto dela
Ela tem maus hábitos mas tem bons modos quase gosto dela
Um dia de diabo outro de santo
Refazer é estratégia perdida melhor é fazer de novo
Não me obrigue a ser vulgar
Se ela não der o que eu quero eu não dou o que ela quer
A mulher é o que ela toma o homem é o que ele dá
Ela se acha ela é cineasta
O que a nós tanto custa a outros custa nada
Somos surpresa para mim e para você
Depois de feito o que fazer
É uma pena que não se veja curtas como se ouve canções
Mania de aterrar senão era maravilha
“Minha casa minha vida é onde eu moro”
Tu precisa de um viagra não pode ser dois?
Arte é fazer o que ainda não é
A humanidade é plural
É bonito ver o povo passando na rua quartos mexendo
As coisas sempre foram vindo é preciso ficarem ficando
Quando pudeste escolher curtiste o que tinhas e o que não tinhas
Esquecer ontem pra lembrar depois
Não temos 3D 4D 5D pra nós 1D basta

Serenas

terça-feira, junho 11th, 2013

Mais com mais dá mais
Onde foi que eu perdi meu esquecimento
Não fico bravo com você por quase nada neste mundo
O teu problema é que você quis me dar e eu não quis
Ninguém pode acumular mais que o outro
Traz a tua goma que eu sei tirar até babar em todas as três bocas tuas
Tudo que é grande desmancha no mar
Curiosamente quem nos explora é o estado que nos tira direitos e posa de bacana
O capitalismo no Brasil é uma dádiva do estado
Tiroteio a esmo atinge parceiros injustamente
De tanto dizer sim acabas não sabendo dizer não
Você ainda vai saber o tanto que eu vivi
Lindíssimo o violão de aço e a voz só dele
Mexa-se com graça desvia do obstáculo e se preciso for pule a cerca
Qualquer é-de-tal faz mal exclui mais que inclui
É-vento vem e passa
Criação é o que não havia antes
Fila como no ônibus você sabe o que quer dizer ônibus?
Dormindo não sonho só sonho acordado
Bem bem bom ou quase bem bom bom
Poucas mas às vezes erro
O fato de ser excluído não nos exclui
Tendencioso todo mundo é ou pró ou contra como você
Não defumeis pra não ser defumado
Dirigente é sempre um só que é responsável por juntar tanta gente boa a seu redor
O negócio é bola pro alto pra ver se ela vai quicando até o gol
Eu convido mas você não aceita tá?
Não mexo com mulher dos outros não gosto que mexam com a minha
O problema não é a polícia é quem manda nela
A vida é militância sou mais radicalismo que racionalismo
Só vou se for de tanga
Vou gastando o que não posso levar comigo
A missão do poeta é forçar a métrica e não buscar a rima
Quem nasceu primeiro o dia ou a noite?
Não faça birra não faça manha encosta no meu pelo e seja feliz
A lambisgoia achou que estava ali só pra lamber-lhe o couro mas era pra tirá-lo
Não se consuma no passado consuma-se no presente
E a onda vai ao infinito como é próprio da onda
Cinema é cachoeira água em movimento como em movimento é a água do mar
Incessante é sem cessar.

Soltices

quarta-feira, junho 5th, 2013

Sempre brota o que brota sempre
Não nos preocupemos em ser os melhores basta ser o que somos
Bela atitude precisamos de coisas assim país afora
A sinceridade é o meu melhor defeito
De quantas derrotas se faz uma vitória
Cansei dos ignorantes prefiro os ignorados
Ela faz uma bagunça na minha cabeça
Não falo da minha vida pessoal em público
Cada um a seu tempo
Não acerto todas mas miro no alvo
Não creio que me queiram mal
Palavras são necessárias para o bem viver
Não me empurre suas carências eu tenho as minhas
Ouvi dizer que o barato é o pranto da planta
Saí da fase heróica e entrei na fase egóica
Eu não estou mais com essa bola toda
Eu vou provar pra mim mesmo que ainda bato um bolão
Ela quer que eu seja ignorante que é pra ela mandar na minha vida
Falo de mim e de um hipotético ser que penso que sou eu
Se eu te chamar de meu bem você vai ter que sê-lo
Você é romântica não guenta o tranco
Insisto na cessão da área cultural, o cilindro, do Centro Museu de Cinema de Niterói para nós e façam o que quiserem da área comercial, o paralelepípedo
A vida é fruto da correlação de fôrças se nóis é fraco nóis perde
Não me lembre do que eu não me ufano
Prestes a viver momentos de grande prazer
Amo o limão mais que a pimenta
Comer é demais não é a tôa que gerou o sentido bíblico
A menos que você me sirva e não me peça nada em troca
Não sei como a menina aquecida virou uma senhora fria
Assédio não é remédio
Sou testemunha do que vale a perna de uma mulher na vida de um homem
Amor não é compassivo é implosivo
No céu da boca ou na boca do seu
Secos ou molhados doces ou salgados
Arrebatador foi cedo arrebatado
Por mais que eu sobreviva chega a hora em que adormeço
Não me pise que eu saio
De longe é muito folguedo de perto é que o bicho pega
Estou esperando que você me queira
Senão eu não quero você.