Conformes

Já guardei a imagem dela
Continue querendo o que sempre quis
Não é que não goste de doce mas doce é muito doce
Vivemos ordenadamente contidos nas ordens em que vivemos
Não sei resolver problemas
E ainda caio nos contos do vigário
O casamento é a permanência do coito consentido
Tudo que é vivo um dia morre
Tudo é como é possível ser
Menino e a pipa empinada
Eles infiltra em nós e nós infiltra neles
Quase chorei preferi rir
Cuidado pra não rotinizar o carisma
Pode ser que eu mude de ideia ou pode ser que a ideia me mude
Pós-industrial é bom
O futuro um dia chega
Ninguém ouve todos querem ser ouvidos
Apesar há pesares
Não existe andar pra trás
Trabalho ensina mais que aula
É bom cheiro de cozinha em casa
E outros cheiros também
Perco a conta se contar o que almejei
Tenho medo de que?
Prefiro os peitões e os peitinhos
Não acredito em nenhuma forma de violência
É tão bom viver sozinho
Já fui mais ativo
Além de mim os malucos daqui já me cansaram
Não convém entrar na jaula com o leão
Eu tenho e não tenho
Já fui não sou mais
Tô com pena de comer os tomates que eu plantei
Tô com medo de atrair a vingança da terra
Neste grande país as pedras de 70 viraram vidraças
Quem vai pedir prestação de contas num país em que os impostos são fragorosamente fraudados pelas corporações nacionais e estrangeiras?
Já imaginaram o valor comercial da cobertura ninja? Isso é que é modelo de negócios
Não é mais valia é vale mais
Quando me lembrar eu te digo
Se não não posso

Comments are closed.