Amassos

Não quero a tua poesia quero a tua carnesia
Eu menos
Não é só a carne é o espírito nessa ordem
Como não ter tesão pelas meninas
Sem repressão na compreensão
Muito me custa carregar a minha caótica personalidade
A favor de tudo pra clarear
O que é bom pode ser melhor o que não é pode ser pior
Viver além da conta e nem precisar pagar
Passar uma semana morando nas tuas pernas
Ao menos eu sirvo para evitar roubada
Minha mãe não é p… porque tem padrasto
Como todo mundo eu sou um ser complexo
Coisas que não entendo nem tento explicar
Tudo virá a seu tempo
Não dou por amor dou por prazer
Um pagão como eu se encanta com as maravilhas da natureza
Do jeito que me lisonjeias eu confio
Sempre te darei a justa medida que mereces
É preciso juntar o de menos com o demais
E quando surge uma curiosidade?
Eu sei me curvar à vida
Nada faço no projeto rabisco faço muito
Até chegar onde cheguei muitos os caminhos que passei
Nada que atravanca é bom
Quando eu penso nas meninas ah o que eu penso das meninas
Capitães do mato são uma desgraça
Rever o sistema presidiário talvez privatizá-lo
Ou tudo ou nada?
As prisões podem virar cooperativas de trabalho
É o 1o. de abril do Supremo
Não fui mas sinto como se tivesse ido
Nunca vi uma pessoa com tanta decisão
Se não for pra escrever o pensamento pra que pensar
As plantas brotam
Se for junto e misturado é melhor mas se não der não deu
Elas só querem o que elas querem
Não dá esmola pra ninguém
Vou dar uma força pra moçada que acha que eu sirvo pra alguma coisa
A casa está cá

Comments are closed.