Manchas

O que eu penso que é não é
Muito olhar não é problema
Nem tudo é amor
E aí sou eterno aprendiz
E muito tudo pra nós!
Quando aniversario é como se fosse eu
É de menino que se esfrega o pepino se chupar sossega
O negócio é ir com muita sede ao pote
Quando morrer não me quero ver
O que caracteriza uma geração é o fato de estarem expostos aos mesmos estímulos de tempo o que os faz contemporâneos entre si
Como ele sempre quis e cada um de nós também consigo
Por via das dúvidas ou por dúvida das vias
A vida é um problema difícil de ter solução
Se eu desligar desliga?
Se deixar entro num carrossel de recordações
Meio desconfiados no funeral quem de nós seria o próximo
Posso ser cáustico comigo mesmo
Às vezes as coisas me escapam
1/3 menos como em tudo era melhor
O importante não é reproduzir a multidão é nela ver as pessoas
Quem tem medo do indivíduo
Tem gente que diz coisas pra frente e depois cai pra trás
Você não pode ser tudo isso
Todo mundo é galinha menos quem não é
Saímos de onde estávamos para chegar onde queríamos
Sempre queremos mais mas não precisamos
Agora não posso tô com a franga na panela
E de olho na janela
Tá tudo bem e de repente as pessoas morrem ainda não eu
Se eu não fosse tão velho e você não fosse tão chatinha até podia rolar algum interesse
A facilidade com que te dizem isso assim não dá
Bando de moleques perdidos na vida
O que é nosso é bom
Eu ainda curto o bode das minhas impossibilidades
Há quem julgue melhor há quem julgue pior mas a coisa já está feita
Cada gole uma sentença
Cada fumo uma promessa
A droga não te exime de nada ela apenas te joga no que você quer
Se não quiser seja abstêmio
Quando aprender ensino.

Comments are closed.