Archive for maio, 2014

Outras

quarta-feira, maio 28th, 2014

Não sei se o sabor do saber sabe melhor que o sabor da sede
Mais uma vez perdi mas não me emendo quem sabe na próxima
Ao chegar à minha gloriosa idade descobri o óbvio: não complica simplifica
Há coisas que são atraentes mas não devem ser confessadas
Resta-me a saborosa sabedoria nos meus lábios
Todo mundo tem que saber se divertir e se proteger
Um urubu sozinho não faz verão
Quem foi nunca perde
Por um cinema popular socialista
Propaganda nem comercial nem política nem religiosa
A minha estratégia quase nunca deu certo
Povos não coincidem com os limites
Não sigo muito esse papo de tecnologia o que me interessa é o que se lhe bota
Já que não resolve o estado devia ao menos oferecer os prédios públicos para abrigar o povo das ruas cujo abandono é inaceitável
O que não for bom rejeite
Tudo meu carece de organização
De boca em Baco
Eu queria você quando eu queria você agora quero mais não
Vida boa é a do marqueteiro esbanja um dinheiro que não é o dele
Gasta uma fábula só pra contar outra fábula
É incrível como as figuras de desenho são sempre auto-retratos
Você não serve pra tudo
Acho que o estado devia pagar um salário mínimo a todos que não tem e limitar o resto a dois salários mínimos
Os eleitores precisam chamar os eleitos à responsabilidade
É difícil pensar o complexo por isso prefiro o simplexo
É difícil pra mim fingir que não te quero mesmo assim eu finjo
Vejo o desejo estampado nela
Ao longe a meta
O destino não me deixa ficar só
O que se chama de corrupção é indissociável do que se chama de capitalismo
Somos uns rebeldes solitários
Se ela brinca com o meu brinco
Se eu excluir quem eu comi só vou deixar quem me comeu
Pensar que seríamos como imaginei
Ninguém é total vivemos fragmentos
Algum dia as pessoas do mundo saberão viver com as pessoas do mundo
Imaginar-se o comprometimento do poder publico com as negociatas da burguesia e vê-lo blindado pela polícia contra a massa proletária é a maior traição à democracia que tanto se lutou para conquistar
Que nem xuxú na relva
Direi uma palavra final
Fim

Prazeres

quarta-feira, maio 21st, 2014

Para azares procurar o próximo
Antiguidade é posto
Cronologia é tudo
As certezas não são melhores que as dúvidas
Não sou de cair em arapucas teóricas já as práticas
As pessoas se encantam ou não com os filmes sem perceber a incrível engenharia que os faz viver
A Embrafilme foi uma vitória contra a inesperada ditadura
Permitiu a continuidade do cinema político brasileiro que todo ele o é
É o libelo do ocupado contra o ocupante
O problema não é explicar o problema é entender
Se sair depois de falar não é conversa é monólogo
Quem abaixa só faz uma coisa que preste
Chegou o distraído
Se não der pra comprar em Copa compra no Lins
Acho que deviam ter feito as eleições antes da Copa
Quem ainda não conhece os candidatos não conhecerá jamais
Às vezes imagino que estou a fritar-lhe o rabo
É porque nem todos fazemos e nunca fizemos parte do todo
Pra qualquer governo todo artista é suspeito
Falamos aos milhares mas falamos sozinhos
Erótico é o que a gente faz pornográfico é o que fazem os outros
Uma questão complexa: a maioria da polícia militar é negra assim como a população brasileira só o comando é branco
E pra complicar: alegar a condição de negro é racismo
Até que se descobre que o problema não é a cor branca preta amarela ou vermelha o problema é a permanência de uma minoria de exploradores que explora uma imensa maioria de explorados
Se você não votar em quem você quer você pode eleger quem você não quer
Acho que a presidenta equilibra a correlação de forças como ninguém
Ninguém faz o que quer cada um só faz o que pode
Marqueteiro é fácil o diabo é ser artista
A única saída pro Brasil é socializar o clientelismo
Você não sabe que eu gosto de gelatina de morango?
Segundo a minha mãe de santo Vera de Ogum a minha vida será maravilhosa desde que eu não almeje vitórias
Se eu fizesse isso não ia poder fazer aquilo
O que seria da vida sem o mistério
Um feijão com farinha e esse teu lombo dão um almoço espetacular
Você não merece o meu amor você só merece o meu tesão
Eu e ele somos irresistíveis
Você quer uma rapidinha agora?
Fracas frágeis e carentes
Precisas de alguém que te brutalize pra gastar a fêmea que tu és
Quem não faz assiste.

Viva a Greve

sexta-feira, maio 16th, 2014

Ordeira e pacífica é um direito imexível de qualquer trabalhador
É preciso parar com essa desconfiança face a quem trabalha
As pessoas trabalham para garantir o sustento dos seus e para ser
Mas nunca podem ir além de suas capacidades físicas e mentais
Um salário justo e condições dignas e todo mundo ficará satisfeito
É impressionante a oferta de mão de obra gratuita pelas ruas desde cedo e até tarde vendendo todo tipo de badulaques para ganhar a vida
Quanto ao lucro o lucro é iníquo o capital não é hermafrodita que se reproduza sozinho
Vocês acham que alguém tem a obrigação de alimentar o ócio dos burgueses?
Pessoas desesperadas pelas ruas para atender aos patrões que as exploram
O cara não sequestrou num tapa a poupança por que não sequestrar-lhes desta vez aos patrões dois dias de trabalho
Devemos todos apoiar os grevistas não podemos lhes criar problemas
Qualquer repressão aos trabalhadores é ilegítima
O Estado a nível federal estadual e municipal sempre recebe propinas eleitorais
Já que não consegue impor-se às máfias concessionárias o estado devia preocupar-se mais com os usuários do que com os usurários
O Estado devia sugerir à população que se locomova apenas no limite de suas pernas enquanto os patrões conferem suas planilhas de lucro
Na greve todos deviam ter sua jornada de trabalho abonada pelo Estado
Os que puderem atender ao trabalho a pé certamente o farão por sua própria opção
Só acho complicado greve na saúde e no ensino pode causar danos irreparáveis aos doentes e estudantes
No mais tudo o que não é indispensável não existe
No sistema capitalista que tanto apreciam o que não for rentável não existe
Se as concessões publicas são um estorvo para os capitalistas que o Estado as retome e administre
Administradores de estado que não consigam gerí-las peçam pra sair
Venham juntar-se a bater prego sem estopa
A incompetência e o desemprego são crimes político-administrativos
Leis como as que obriguem mais que seis horas diárias de trabalho melhor seria quatro são ilegais
Juízes prepotentes e arbitrários como o Supremo são cúmplices domesticados na exploração do homem pelo homem
Condenar sem provas e inventá-las é traição ao contrato social que os emprega
É preciso rever e enxugar essa constituição inútil que só protege os verdadeiros criminosos que são os que perturbam o progresso social
O que é o progresso social? É a melhor vida para todos
É escorraçar os predadores da vida nativa
Cada um só tem direito à terra em que nasceu
O resto é este maldito colonialismo imperialista a massacrar os povos do planeta
Gasolina só o mínimo ninguém bebe essa droga
O óleo é sujo a soja é suja não se espeta a esmo a mãe terra sem exaurir-lhe os dons
O que não puder ser pra todos não deve ser pra ninguéns
A miséria do mundo não pode ser adiada nem por um minuto
Cessem as guerras o povo é maioria não pode ser sacrificado pela estupidez de minorias reinantes
A questão não é de raça é de classe
O futuro da humanidade aos humanos pertence
Não aprendemos com os minerais com as plantas com os inumanos a sobreviver na medida estrita da necessidade
Inventamos a acumulação sem ter como gastá-la além de esperdiçar o que nem fomos nós que fizemos
Ares terras mares que sobreviverão depois que nos matarmos
O último a sair que apague a luz do túnel
Avisa lá que não vou solidário 4a. feira a Niterói dar aula

Melenas

quarta-feira, maio 7th, 2014

Este é o melhor rincão do mundo só que pelo visto seremos os últimos a descobri-lo
Se não enxerga o que está perto imagina o que está longe
Até quando o imperialismo ianque continuará passando por cima de nossos cadáveres
Todo poder é autoritário
Acha que pode mais que os outros e pode
Todo poder emana do povo e em seu nome é exercido até contra o próprio povo?
Ir pra urna é melhor que ir pra rua
Senão morre gente
Papinho é bom e papinha também
Quem merece não pede
Parece que o capitalismo no Brasil está a caminho de sua primeira crise endógena
O que pode ser uma condição pré-revolucionária
Sonho nunca é o possível
Quem não gostar de bla bla bla não deve deixar a mosca entrar
A mosca entrou e subiu pra cabeça
É preciso viver porque a vida vale a pena
O difícil é lidar com o voluntarismo de direita nos tempos atuais
Eu te evito e tu me evitas e é melhor assim
Ela só precisa de algo que a conforte
Multidão é sinal de desastre
Muitos dão e poucos recebem
Essa bala eu como até o caroço
O oportunismo é a cova da democracia
Malhando onde não se sabe não se chega onde se quer
A soja é suja
Se cada um cuidasse do seu a vida seria uma maravilha
Sei falar a língua de toda a gente desde a dama ao rufião
Não aborrecerei a dama
Vem um e me ataca da direita vem outro e ataca pela esquerda espremido ultrapasso tais problemas
Toda geração tem uma identidade de propósitos mas nem sempre a mesma estratégia se alguma
A minha não teve e não tem
Simplesmente resiste e resistiu a ser varrida do mapa
Estamos muitos aí dispersos mas sobreviventes
Se não atrapalhar a vida se reinventa sozinha
É complexo
Seria ótimo se a vida fosse fácil mas não é
Tá cheio de criança birrenta
Você diz que não vá por aí porque já fomos
É por aí mesmo que querem ir
Fazer o quê?