Rescaldos

A poesia não se abandona
Sofrer é melhor não
Os velhos vão descansar os novos têm que ralar
Quando quiser te aviso
Quando a vaca tossir eu cuspo o leite
Não se deve unir os inimigos
Quem dança conforme a dança acaba dançando
Alguém acha que se deve deixar o povo à mercê da bandidagem?
Direita é o que impede esquerda é o que avança
Se não houver resistência ao que parece não haverá abusos
Nasci pro bem o mal não me contagia
Reclamar de tudo não resolve nada
Protesta mas não abusa
Quem arrisca pode se dar mal
São poucos os meus mais velhos e tantos os meus mais novos
Seja sincero não precisa ser original
O bom da vida é partilhar
A primeira nunca se esquece
Se precisa não hostiliza
Comemorar ou descomemorar o passado é irrelevante o que importa é ter motivos para comemorar o presente
Se tantos tens não precisas de mais um
Não posso ser quem queres que eu seja
Se posso agradar pra que desagradar
Pra palhaço palhaço e meio
Não estás juntando o nome à pessoa
Junta b com p
Quem me conhece não me chama pra duelo
Viado! Vadia!
Sei que é machista e escroto mas Deus foi cruel com o que fez com a costela haja disciplina
Se explicar complica
Apesar do nome não sou santo
O que eu não entendo é por que policiais e militares arriscam-se a morrer e à invalidez pra defender o lucro dos patrões e seus herdeiros
A sociedade precisa descobrir e construir formas pacíficas de convivência social
Acho que deviam deixar os proprietários eles mesmos defenderem suas propriedades
A mando do poder burguês brancos negros e mestiços perseguem brancos negros e mestiços
A história não se mostra instantânea ela demora a fazer sentido
Conhecer o seu mercado de trabalho é essencial o dos outros é supérfluo
Só peça o possível
Não se negocia com o inimigo
Morrer é o último pedaço da vida melhor que demore a chegar ou acabe rápido

Comments are closed.