Xuxús

Nasci para servir e me servir
Ou me subestimas ou super
Eu nem assoviei e ela já está cá
Colonizado tem que ser relativo
O chato da posteridade é que tu morre antes
Acho o máximo ter uma gata como você agendada para amanhã
Hoje já estou bêbado e chapado não vou conseguir grande coisa
Não vou te dar o que eu mereço
Tenho uma namorada que não dá somos platônicos
Homem é que precisa fazer comida boa porque pra ele comida boa é ela
Nada me acontece de pior às vezes tem uns baratos doidos
Água e pasto não tem burro que não babe
Não vais escancarar a minha intimidade em publico
Você sabe muito bem a que me refiro
E quando você acha que a mulher é uma potência
Vi você falando aí desbundei
Desde que incendiaram Uruçumirim por mim pode botar fogo no resto
Nem você nem eu podemos passear nossa alegria em publico
O que não pode são as manhas do imperialismo para alienar a população
Não coma a maçã coma a serpente
Há dez anos não era mole não
Muito assunto é pouca solução
Quem vende ganha comissão quem compra paga
Ela é das pessoas mais próprias para tal assédio
Capricha no capricho
É indevido e impossível parar o país o que houver vamos em frente
Já viveste o bastante para saber o que é isso
A cultura não precisa de ministério basta uma carteira de fomento na Caixa
Por que responder-me se não me dás bola
Nem bem capitalistas e já chegamos à superprodução de automóveis e seus derivados por exemplo
Não sei como reverter de pronto esse regime predatório capitalista mas é bom pensar nisso
Mais uma genial criação: “mas podemos tirar se achar melhor”
Não levo nada só quem me leva é eu
Quando perder não perca por pouco
Eu procuro nem fazer barulho
Quero ver um filme que eu não tenha que pensar
Hoje é fácil amanhã é que são elas
O curta brasileiro é o antídoto para o veneno do longa imperialista que o segue
O que é comercial vive do mercado o que não é precisa vir a ser
Brigar pelo mercado

Comments are closed.