Bonversos

Eu sou hedonista o mundo que se vire
O dia em que eu fizer meu frango pra você comer você vai entender o que é tesão
Pensei em você fiz um frango e deixei queimar
Não jogo fora o que ainda como
Voto não se despreza voto se valoriza
Não digo o que dizes digo o que digo
Faz tudo pra mim como eu faço pra você?
Gosto do teu corpo é sólido como um trator
Coitado de mim entregue à fantasia e ela diz que ama
Tratemo-nos como iguais
Não se deve querer o que os outros têm
A vida nos dá mais do que podemos tirar
O sucesso de poucos esconde a miséria de muitos
Para entender basta querer
A qualquer coisa que se fale você dispara um tiro de canhão
Eu tenho que pensar vários assuntos e tenho que ser honesto em todos eles
Vagões soltos em diferentes trilhos
Precisa libertar o trabalho da opressão
Lamento quem não briga por seu mercado de trabalho
Não sinto a tua falta porque tenho a tua pulseira no meu braço
Não queira mais do que lhe posso dar
Pra que dizer o óbvio
Bota o teu atrevimento na tua vida pra ver se melhora
Estar bem independe com quem
Não queiram me alugar a manutenção não compensa
O senhor quer que acenda a luz não eu prefiro sem luz obrigado
A busca dispensa o acerto
Lânguida ou estouvada tanto faz
Se menos é mais é mais mais ou menos
O capital vem depois do trabalho
O lucro é iníquo
O burocrata é inepto
O poder oprime
A sociedade é ignara
O político é esperto
O salário avilta
A água suja é nossa
A água limpa é deles
A confusão é tamanha
Os povos resistem

Comments are closed.