Malversos

Eu queria pegar uma frutinha como você e só mastigar
Não adianta xingar o adversário é preciso vencê-lo
Se não fosse boa tava nem aí
Nas equações em que vivemos você mulher eu homem o que se há de esperar
Tomei um sorvete tremendo barato mora
Homens e mulheres querem a mesma coisa nem sempre uns com os outros
Se disser que é brava aí mesmo é que embravece
Não se pede a um poeta que abandone a lira ele não vai atender
Mulher é uma coisa da ordem do insuportável
Estamos todos indo uns avisam outros não
Prefiro você com a tua boca tapada pela minha
Se você achar alguém mais interessante boa viagem
Você não me acalma me deixa aflito
Não me enlouqueça por pouco
Nem a dos outros
Não faço juras de amor prefiro vivê-lo
Não se entende o que não se conhece
Não se conhece o que não se vive
Viver é deixar viver
Quando não quiser avisa
O esquisito sou eu
Ela sapeca ele tranquilo
Comi bebi e posso até me lembrar de você
Não insista desista
Se é capacho é pra pisar em cima
Do jeito que você me deu ainda vai me dar muito tempo
Para o seu próprio bem
Todos dirão maravilha eu direi porcaria
Quando a gata vai dormir o gato se espalha
Todo mundo no barato da mídia então tá
Mais pareço um peixe agarrado no oceano
Quando um não quer dois não ficam
A coisa errada no lugar errado só pode dar errado
A vida é muito rápida para não ser vivida
Burro quando vê cenoura fica esperto
Não se vai dizer de mim que fui omisso
Mais pra mais que pra menos
A humanidade precisa sempre corrigir seu rumo
Você sabia que o teu rabo balança que nem o de um cavalo
Tem uma coisa entre nós que nunca vai dar certo

Comments are closed.