Archive for novembro, 2015

Fuxicos

terça-feira, novembro 24th, 2015

Você não soube mamar
Nem tudo faz sentido
O caidor caiu-se
O papel da mídia é só o de aterrorizar seletivamente a população
O cara cai sozinho mas a governabilidade que a esquerda sonega continua
Garantir o governo eleito é obrigação de todo eleitor
Cabe ao Supremo destituir a mesa da Câmara e chamar novas eleições
O que não é difícil não vale a pena
O engraçado é que os comerciais destinam-se a uma parcela ínfima dos espectadores
Por que será?
Quem pode comprar o carro do ano!
Vou dar atenção pra vagabundo?
Ela precisa de um homem de peso
As coisas que fazemos
Se o cidadão fosse atuante o poder publico também seria
E o que fazer para prevenir as próximas?
Os eleitos pelo povo se acham eleitos de deus
Até eu gosto de mim
O relator relata o que o delator delata e o juiz condena
A Terra é vulcânica e nós os humanos também
Confisca e expulsa todas as multinacionais no mundo inteiro
Sem produzir não há o que preservar e preservar é da responsabilidade de quem produziu
E quando ao juiz falta juízo?
Devia-se transformar as rodovias em ferrovias
E faz como com a ignorância?
Umazinha já tá bom!
Cuidado pra não cair em roubada
Olha o nível
Morô?
Ao prefeito de Niterói: Libera aí o cilindro negro
Quem julga político é o eleitor
Revanche da guerra da Argélia motivada pela aliança da França com os USA contra o Estado Islâmico
Sejam complexos
Aqui é o terrorismo de estado que massacra a juventude e sua população nativa
Solidário com genocídio imperialista é otário
É cruel: o mal do mundo é o imperialismo ou acaba ou não adianta chorar
Quem diz o que é bom e o que não é
Quem atira bomba colhe atentado
Se o terrorismo é endógeno a coisa complica
Estado islâmico ou o congresso evangélico o que pra nós é pior?

Regalias

terça-feira, novembro 17th, 2015

Disse o gato pra coroa
Qualquer criação humana é um diálogo com seu tempo
Se a vida quer tirar-me o sono viro pro outro lado e durmo
Sòmente ao imperialismo interessa destruir o capitalismo nativo e parar o país
O país consentiu na transição pacífica para o socialismo
Se pedir jejuo até você chegar
No meio da encrenca entra um pivete saltitante
“Por que as multinacionais brasileiras têm conta no exterior?”
E as estrangeiras aqui barbarizando o país
O pior canalha é o complacente
As turbulências favorecem a direita
Delação só prova o interêsse de quem delata
Delação é abominável é coisa de fascista
Nunca tive mulheres minhas parceiras são papa fina
O que move o capitalismo é o espírito de guerra
Permanente
Tô cheio de si
Não sei
Não quero saltos nem sobressaltos
Comigo até o chão
Viva os pré-cabralinos
Acaba não durante
Faz tudo bunitinho
Geralmente acatam você esperneia
Mas dá o que importa
É belo vê-la sair toda lindinha
A esquerda desunida elege a direita
Desativa as urgências
A fazeres
Abespinhou-se
Fiz alguns percursos
Vou se espalhanu
Especialistas em fazer perguntas irrespondíveis
A esquerda devia unir-se em torno de seus candidatos mais votados
Não entrega meu segredo
Agora é só passado
Com mais ou menos puta dor
Ao meu carinho respondes com raiva?
O mundo precisa de uma revolução humanista
Ou acaba.

Mumunhas

quarta-feira, novembro 4th, 2015

Não reclame antecipadamente
Estrangeiros não podem interferir na vida dos povos
Em nenhum lugar do mundo
Os grupos vizinhos guerreavam-se
Porisso surge o estado para representá-los e os conflitos mediar
Até que o estado passou a criá-los
E outros grupos criaram outros estados e guerrearam-se
A meu ver o mais extraordinário dos conceitos é a autodeterminação dos povos
Entenda-se que é dos povos e não dos estados ou países
O progresso da humanidade pode e deve garantir a sobrevivência para todos
Guerra não Paz
Se ninguém tiver mais que o outro não haverá conflito
Ás vêzes disparo às vêzes paro
As palavras buscam-se e encontram-se
Se não é porque não foi escrito
Mete lá dentro
Não me venha com beiradas
Apenas opino
Ainda somos selvagens
É o tempo
Dispenso a opinião alheia
Quem rola as minhas dívidas sou eu
Quem me critica não critico
Deve de estar querendo mais
Veja o que é a vida e veja o que faz da tua
Limoeiro no vaso não dá fruto mas dá flores
Nem que você vire a boca eu vou me dar por vencido
Não economizar a droga é erro meu
As coisas se perdem
Recebo
Cada um tem seu ponto de vista
Poeira não é sujeira
Não ouso nem comentar quem vive mais duramente do que eu
Não se deve dar mole ao destino
Construa-se
Tanta coisa acontece
Não acredite no pior
Porque piora
Acredite no melhor
Porque virá.