Archive for maio, 2016

Más

terça-feira, maio 31st, 2016

Ilustrìssimo? Ó cultura faça-me o favor! Chamaram o tirano de ilustrìssimo?
Precisamos ir pensando ao longo do caminho
A primeira missão da cultura é não ser subserviente
Basta a corrida digital pra ver como alimentamos o império
Não é só a cultura não se pode transigir com o golpe fascista
Então já sabe
A hora é da rapaziada
Com a palavra os secundaristas
Todas as condições propícias para a revolução socialista só nos falta a liderança
O povo contra a burguesia
Em 64 o revide burguês triunfou
E foram longos anos de tortura
O maior pecado dos govêrnos é não desmontar o aparelho de repressão do estado
Essa canalha não vai cassar 54 milhões de votos
Não se iluda com a verdade
É possível ganhar no senado há de ser o julgamento da história
Não sou chutador de baldes
O que não dá é negociar com golpista
O problema da vida é que tu vai incorporando os que se vão
Aposto na vitória de Dilma no senado internetada para o mundo inteiro como testemunha o meio será a mensagem
A palavra insiste no que dizer
Até parece que o fundamental é o uso e não a natureza
Não falta filme bom no Brasil o que falta é espaço ocupado pelo imperialismo
Atocha a tocha
Velho não sai no frio
O tempo fechou de novo
Não sei o que me é estranho
O que eu publico é da semana passada
A ambição
Não basta é pouco ser o vice-presidente legítimo desta potência que é o Brasil
Vencendo com justiça social o imperialismo
Prefere entrar quebrando a louça
De legítimo será consagrado ilegítimo
Ao invés de fiel ao juramento ao rompê-lo perde as estribeiras
Quer destruir o tanto que viu partícipe ser construido
A ambição desmede a consciência
Pensa-se e acha-se e manda-se a degola
Melhor faria se devolvesse o direito a quem de direito e pedisse desculpas
Nem precisaria puní-los
Bastaria deixá-los à mercê do voto

Magias

terça-feira, maio 24th, 2016

Sempre iremos indo
Seremos o que fomos
Quando gastar o gasto nada mais terei a gastar
Sôlta no ar a palavra vai com o vento
Amarrada não se aguenta
O pouco não o muito
Pra barrar o fascismo em todas as suas frentes vamos ter que trabalhar dobrado
Acabou o recreio
Na minha casa faz-se pão
Na minha casa mando brasa
Imagina se um financista privado quer atender à demanda publica?
Atacar o governo legitimo liderado pelo PT é coisa de covarde e golpista
Sò de ter as melhores gatas da comunidade dà para entender abraçar o crime
Se não concordo com o que penso então não concordo comigo mesmo?
Boa hora para uma gelada abrir
Se uma célula se divide em duas essas duas poderão se multiplicar ao infinito
O poder emana do povo e em seu nome serà exercido tà errado
Tem que ser o poder emana do povo e por ele serà exercido
Por que a burguesia ficou insatisfeita?
Não banquetearam-se à vontade?
A sociedade é uma pirâmide quem a sustenta sua base o povo não pode ser atacada
Por que não devo preocupar-me com o quadrado?
Porque então terei preocupação ao quadrado
A distancia é longa para vencê-la nos apressamos e cansamos
Se andarmos a passos mais lentos chegaremos à meta mais descansados
E aì dobramos a meta
Não entendo este paìs
Tivemos um vertiginoso progresso nos ùltimos anos
E incorporando milhões pela inclusão social
Um usuàrio de celular chega a ter três aparelhos alternadamente
E os de baixa renda além dos malabarismos dos crediàrios e dos expedientes extras manipulam cartões e senhas como ninguém
Mas a burguesia nacional nem se incomoda de ser assujeitada pelo estrangeiro
A bôlsa cai e o dòlar sobe
Aì o dolar compra ações a bolsa sobe o dolar cai
Dolar em queda prejudica a produção quebra

Fôrças

terça-feira, maio 17th, 2016

A vida brasileira pulsa em toda parte não dà pra tolerar o fascismo
Jogada na cama você é mansinha fora é que é problema
Vivemos e viveremos
Se concordam com as acusações golpistas os nomeados por eles deviam renunciar
Depois de muita labuta com escasso sucesso reconheço està de bom tamanho
No alto da montanha se vê o horizonte mas tem que subir
Escrever para que todos entendam
Se possìvel
Se jà não tivesse teria orgulho de mim mesmo
Não posso corrigir o que escrevo
Seria falso
O trapezista quando larga o trapézio
A sempre corda ao pescoço
Não parece?
Nenhum governo me favoreceu
Nenhum governo é ou foi de esquerda
Vivemos um pré-capitalismo predatòrio
Um pouco de bem estar social e comemoramos
E aì retrocede
Nunca pensei viver dois golpes de direita
E ainda por cima imperialistas
O imperialismo é o mal na terra
E vem de longe na emergência do capitalismo nascem juntos
E morrerão juntos?
Vou viver pra ver?
Cada terra cada povo tem direito à pròpria vida
Nenhum povo pode mandar no outro
Senão é o que se vê terror e miséria
Opressor e oprimido
Acho estranho quando morre alguém mais novo do que eu
Se a vida não flui a vida não flui
A vida não tem mistério é sò um passo a cada vez
Um dia a gente acerta um dia a gente erra
Meu sentimento do mundo às vezes me deixa mal como agora
Não se deve levar as coisas tão a sério ha ha ha
Peça asilo não se deixe prender
Eu me sinto mal eu não me sinto bem
E nem sei por que
Uma sucessão de insucessos é uma insucessão?
Se durmo mal tenho pesadelo

As Mães de Maio

quinta-feira, maio 12th, 2016

Acabo de assistir no canal Futura um grande exemplo do cinema atual brasileiro: “Não Saia Hoje”, de Susanna Lira (2016) militante, denso, atuante sôbre o nascimento e o crescimento do movimento das mães que tiveram seus filhos assassinados hà dez anos em Santos pela policia militar.

Os relatos das mães e do pai os inùmeros eventos suas iniciativas de partilharem umas com as outras a sua dôr e a sua busca de justiça como todos nòs sabemos impunemente escondida pela repressão do poder de estado.

Abatidas mas sem se deixarem abater incansàveis exemplares em despertar em nòs nossos mais preciosos sentimentos de comoção quando as vemos dia apòs dia seguirem todos os passos para não permitirem o esquecimento e abandono de seus filhos mortos a tiros pela brutalidade oficial ainda mais terrìvel porque armada autorizada e acobertada pelo estado.

Fique a mensagem não se pode tolerar a existência de tais tragédias em lugar algum a pretexto algum no convìvio de sociedade alguma. Um filme de profunda tristeza mas que nos obriga a seguir o sentimento destas mães guerreiras. È sò um filme mas que cumpre o que melhor pode o nosso cinema.

A danação da nação

quarta-feira, maio 11th, 2016

Nomeà-los ao Supremo vitalìcios é magna distinção na carreira jurìdica.

Como podem comportar-se como moleques permitindo o mais estùpido e venal golpe contra o paìs.

Apegam-se a quê para permitir que o malfeitor denunciado nacional e até internacionalmente promova a bestial destruição do paìs acumpliciados com a escòria no legislativo que não gera e sequer vota as mensagens necessàrias não para o governo mas para o enfrentamento da crise mundial do capitalismo.

Acasalam-se com o imperialismo à espreita de mais ainda rapinar a pàtria mãe gentil.

E ficam todos os lacaios esmerando-se nas futricas acanalhados Judiciàrio e Legislativo desde a inacreditàvel AP 470.

È desde là é desde então que permitiu-se a escandalosa perseguição pela tevê das delações que até entre bandidos são condenàveis abjeções.

Assistimos o massacre promovido por um sò dos nossos magistrados supremos com a complacência dos seus demais pares a atropelar relatar julgar e condenar a seu arbitràrio talante escorado na absurda acusação igualmente televisiva do réu confesso contra o legitimo governo democraticamente eleito pela maioria dos eleitores nacionais.

E foi daì que a desgraça repete-se e desde a provìncia a todos dominou e agora não se pode esperar que as patéticas e sucessivas votações da escòria legislativa afastem a tragédia do fascismo que a todos os brasileiros abate.

E pelo visto tampouco pode-se esperar que a suprema toga honre a honraria que lhe foi conferida.

Chafurdem todos na lama lacaios do imperialismo e serão como em 64 amaldiçoados para todo o sempre.

Noites

terça-feira, maio 10th, 2016

Tocou-me o coração
Por que?
Estilhaços espalham-se
Mergulhos sôbre a mesa
Fiquem firmes poupem-se não se deixem atingir pela repressão vamos mais tarde precisar de todos para a reconstrução
Cuidado com a poesia incendiària ela incendeia
O atual estàgio do golpe burguês imperialista é o ressurgimento do fascismo resista-se
Não mando recado não dou exemplo apenas penso
A pobre trincheira apesar de pobre é trincheira
Agora não hà mais duvida é o fascismo
Ir é não voltar
Quando a violência se alastra é perigo
A vida não se esconde
Revoga o golpe
A vida cada uma é uma sò
Ninguém vive mais que uma
Então por que hà fulanos que acumulam mais do que jamais poderão gastar
E com isto privam outras vidas até de viver
Têm medo do amanhã?
Que lhes falte o minimo?
E a grande maioria dos humanos mal tem o minimo pra viver
Direis que é a ganância
Sim que é apenas um sentimento abstrato
Como tantos outros menos perigosos
E não devia ser socialmente tolerado
Que direito pode   ter o meu viver
Se o meu viver prejudica o viver alheio
Tive e tenho amigos de um lado e do outro da vida
Sou medianeiro mas se bobear caio pra baixo
Não tenho como cair pra cima
Tenho pouca ou nenhuma ambição
Pode haver ambição maior?
Vejo os muito pobres nas ruas
Que posso fazer?
Voto nos meus candidatos de fé
Mas como acreditar na politica?
Como acreditar no poder?
A esta altura da vida que nunca imaginei atingir
Resta-me o consolo de encher pàginas
E acho que isto é o meu melhor

Matos

terça-feira, maio 3rd, 2016

A cada um sua sina
A lua traz o frio
A gata suspira
Não se deixe tomar por aquilo
Quando a noite chegar  não lhe dê mais ouvido
Antecipar não é bom
Não deve a  crença rejeitar o fato
O que me dizem não supera o que penso
Não devo ser menos do que posso
Ou mais do que devo
Se não fôr agora serà jamais
Quero ver quem vai sambar
Morrer é natural melhor que seja dormindo
Nem a mais nem a menos
Olha a rã
Boto tudo naquilo
Falta-nos a liderança que lidere a revolução popular socialista
O mundo inteiro denuncia o golpe imperialista no Brasil agora nas mãos do Senado e do Supremo e o que serà?
A essa altura sò acredito no estado de sìtio destituindo o Congresso e o Supremo
Se alegam que o golpe é constitucional o estado de sìtio também é
O mais incrìvel é que ao fim o voto de um sò senador possa cassar o de 54 milhões  de eleitores
E se fôr assim que então se faça um plebiscito para que a maioria do paìs confirme
Como se viu não é possìvel levar a  sério a farra da Câmara
O problema é que o golpe imperialista como em 64 faz ressurgir o fascismo inerente à crise do capitalismo
O que seria um governo do povo para o povo?
Não hà povo hà povos
Pelo menos 3 negro, ìndio, branco e os mestiços em cada qual
Como o estado nacional permite milìcias a mando de fazendeiros massacrando camponeses e indìgenas
Dispersos perderemos
Como se vê não é possìvel levar a sério a farra do Senado
Pode ser que não haja outro jeito
Pode ser que estejamos condenados a repetir sempre o mesmo drama
Nunca atravessaremos a grande àgua
Patinando patinando sempre às beiradas
Hà quem reaja
Hà quem combata
Em mim uma tristeza profunda
Quando o absurdo da Història achata a humanidade
A menos que
Rebrilhe o sol da liberdade