Fôrças

A vida brasileira pulsa em toda parte não dà pra tolerar o fascismo
Jogada na cama você é mansinha fora é que é problema
Vivemos e viveremos
Se concordam com as acusações golpistas os nomeados por eles deviam renunciar
Depois de muita labuta com escasso sucesso reconheço està de bom tamanho
No alto da montanha se vê o horizonte mas tem que subir
Escrever para que todos entendam
Se possìvel
Se jà não tivesse teria orgulho de mim mesmo
Não posso corrigir o que escrevo
Seria falso
O trapezista quando larga o trapézio
A sempre corda ao pescoço
Não parece?
Nenhum governo me favoreceu
Nenhum governo é ou foi de esquerda
Vivemos um pré-capitalismo predatòrio
Um pouco de bem estar social e comemoramos
E aì retrocede
Nunca pensei viver dois golpes de direita
E ainda por cima imperialistas
O imperialismo é o mal na terra
E vem de longe na emergência do capitalismo nascem juntos
E morrerão juntos?
Vou viver pra ver?
Cada terra cada povo tem direito à pròpria vida
Nenhum povo pode mandar no outro
Senão é o que se vê terror e miséria
Opressor e oprimido
Acho estranho quando morre alguém mais novo do que eu
Se a vida não flui a vida não flui
A vida não tem mistério é sò um passo a cada vez
Um dia a gente acerta um dia a gente erra
Meu sentimento do mundo às vezes me deixa mal como agora
Não se deve levar as coisas tão a sério ha ha ha
Peça asilo não se deixe prender
Eu me sinto mal eu não me sinto bem
E nem sei por que
Uma sucessão de insucessos é uma insucessão?
Se durmo mal tenho pesadelo

Comments are closed.