Archive for junho, 2016

Panelas

segunda-feira, junho 27th, 2016

O provisório edita medida provisória
Veja a lua
O que nos permite um certo respiro
O nome dele é erário
O pessoal do helicoca ficou a propinar navios
Mira-se um ponto e segue-se atrás
Estou a temer o Nero
Estou a temer que o cara revogue a segunda feira
Como é gostoso o nosso brasileiro
Quem é mané nunca perde a manéjice
Cuidado com as milícias principalmente as legais
Nem mais um dia o país aguenta o impostor
Vai dar trabalho arrumar a lambança
E retomar o crescimento com inclusão social
Quem não gostar protesta nas urnas em 18
A questão no Rio é como enfrentar o senador golpista: só com a unidade de esquerda já!
O brasileiro ou o ser humano certamente gosta de levar vantagem
Nem sempre pecuniária pode ser social
Contar vantagem no bar na paquera quem não …!
Aqui a direita no momento no poder nem é populista é fascista
Escreverei sempre que souber o quê
Sem Dilma até 18 é golpe
Uma frente nacional de esquerda arrasa em qualquer eleição
E vão deixar os municípios com a direita
É nos municípios que as pessoas moram estados são geografia aleatória
E a União … Quem dera!
Brasileiro é teimoso custa a aprender
Ademais há demais amanhã há Dilmais!
É preciso aprender com a bancada comunista em 46
Outubro ou nada
As mina decepciona
Não sou esperto não sou sabido sou candidato a otário
É o da defesa imagina se fôsse o do ataque
Se é inelegível por fraude em seu domicilio eleitoral como pode ocupar a Presidência da Republica
Vai ser muito grave se o temporário corromper o senado
Duas esperanças vacilam o cara chama pra jantar
E aí vem um gerente de banco dizer que tem que mudar a constituição para cabê-la nos seus escusos propósitos
Nem tudo que vem vai
Provisórios são transações golpistas
O golpe se avoluma.

Calmarias

segunda-feira, junho 20th, 2016

Não se sabe de onde veio não se sabe pra onde vai
A classe média jurídica descobre que a classe média governamental está se fartando
A classe média social investe na inveja da burguesia e anseia seus favores
A classe média politica manobra
As classes médias rebelam-se
Talvez não saibam mas o inimigo é o imperialismo
Povo é quem vive de minimos salários ou menos
Depois de 64 veio 68
E então emergem as classes médias mundiais emergentes
Não se omeleteia sem a quebra de ovos
Mané endoidou
É a chicana da pequena burguesia cabocla pró-imperialista
O problema nem é o machismo é a violência
São todas muito mal agradecidas
Ficam com raiva de perder o bofe
O pior é que custo a me livrar delas
E deus criou a bandalha
O rumo deles é Miami
Esprema a fruta para sorver o caldo
Arranca os gomos pra mastigar as carnes
Dê-se por feliz valeu o dia
É hora de sossegar as diferenças em busca da unidade
Qualquer coisa sem a Presidenta é golpe também
Superar o divisório pelo unitório
Quem não está satisfeito vota este ano no município
PMDB do bem PMDB do mal qual PMDB faz mais bem qual PMDB faz mais mal
Miséria carioca vergonha nacional a esquerda vai eleger a direita
Sou contra o crime se crime é
Anula o golpe
Não se queira tão bem não me queira tão mal
Se o palhaço pode por que a bailarina não pode
Apesar do desfile do PMDB o golpe é um conluio dos derrotados nas urnas o PSDB e o imperialismo
Não se deve desvirar a própria mão
Acho que devia-se de imediato garantir abrigo aos da rua nos prédios publicos
Panela na janela
Se não se unir já no 1o. turno a esquerda vai eleger a direita
Nóis é du bão!
Por mais que tentem não creio que consigam destruir o país até agosto
Mas aí vai ter que recuperar o estrago que não é pequeno
Para tudo há gôsto.

Tantas

segunda-feira, junho 13th, 2016

Receita para vencer o golpe
Não se vai pra batalha pensando em derrota
Não se tergiversa nem muda de assunto
Foco absoluto no que está em jogo
Apenas as acusações indevidas dos acusadores
Diversas vêzes explicadas e denunciadas pela magistral defesa da Presidenta
A derramada confissão geral do golpe é suficiente para anular todo o processo
Assim mesmo basta apenas mais dois senadores cairem em si e não deixarem suas biografias à mercê da bandidagem
Não se deve agredir o opositor
Não se deve deixá-lo sem resposta
Mas responder não é agredir
Se possível assim fica mais evidente o absurdo da situação
Quer uma maioria envolvida em tramóias destituir na marra 54 milhões de votos dos brasileiros
Falseando tudo os programas os projetos as prestações de contas
E o total respeito às práticas comerciais publicas vigentes
Estranho que na cronologia da infame inquisição conste um interrogatório
Como assim
Quem da quadrilha vai se atrever a interrogar a Presidenta
E como precisará responder ao que está mais que evidente
É golpe
E golpe não tem perdão
Revoga-se ou golpeiem-se mùtuamente os golpeadores
Em sua volta a Presidenta vai precisar de toda a energia para reconduzir o país a seu destino
Façamos o máximo para garantir-lhe o sucesso
O dela o seu o nosso
Interino não governa desgoverna
O desgoverno não merece nossa atenção só o nosso repúdio
Precisamos pensar no pós-golpe
Se a esquerda não se unir a vitória do fascismo é culpa dela
Neste ano eleitoral a batalha é municipal
É preciso impugnar todos os fichasujas a começar pelo tirano
O Brasil tem jeito a começar pelo município
Nem por isso nem aquilo Dilma vence pelo conjunto da obra
A farra golpista tem hora pra acabar
O impostor resolve brincar de casinha para impressionar a família
Eu poderia concordar consigo mas prefiro concordar comigo
Com Dilma até 18 o melhor plebiscito é a eleição municipal
O golpe começa com a infamia do Supremo na 470 a condenar sem provas por ouvir dizer
Libertem Dirceu
Reassuma!

Crenças

domingo, junho 12th, 2016

Com Dilma até 18
Primeiramente devolve
O que fazer com os golpistas
Sei lá pra eles a justiça
O melhor plebiscito é a eleição municipal
Espero que a esquerda capriche
Só se vence no voto
Governar com esse congresso chantageando
Quem sabe até pode ser
E em 18 o julgamento final
Quem se há de eleger!
E tem que caprichar na presidência da câmara
Olha a confusão que o outro armou
Ou deixa o Supremo presidir o congresso até 18
Sem esquecer que tal pôsto será o eventual substituto eventual da Presidenta
Ora direis o Supremo!
Apesar de tudo é preciso um voto de confiança na Republica
Em tempo de olimpíada o cara queimou na largada
E né por nada não
O que o país comemora
E o mundo admira
São os feitos dos governos eleitos e reeleitos
Pré-Sal Bôlsa Familia Eventos Mundiais Inclusão Social
E a corrupção!
É o capitalismo
Fazer o quê
Sequestra os bens
Socializa as emprêsas
Nem precisa prender
Não há de haver prisão que baste
E custa caro
O que precisa é desprender
Prisões abarrotadas medievais inventa outra não geram o progresso
E a violência!
Esta sim é o mal dos males
E é de novo o capitalismo
E sua brutal exploração de classe
A violência é fruto da miséria
Não pela reação dos miseráveis
Mas pela brutal opressão de classe
A burguesia ostenta seu domínio
Ora senhores o Estado é um aparelho da classe dominante
Há que se tomá-lo
Na marra é difícil
Morre muita gente
Há que ser democràticamente
Demora demorô
E a violência do capitalismo é também externa
Mundializa-se
Chama-se imperialismo
Por dentro e por fora
Assedia golpeia
Propineia
Massacra povos e países
Apodera-se de terras e gentes
Por que não pode cada povo viver na sua
Nem todos têm as mesmas riquezas
Porque as riquezas são da natureza
A ninguéns pertencem
No atual estágio do que se diz civilização a ninguém faltaria o que comer e onde dormir
Não fôsse a ostentação da classe dominante mundial
Que joga chuvas de bombas e venenos sôbre o mundo
Destroçadamente
Desgraçadamente
Ninguém consegue comer ou dormir mais vezes que ninguém
A organização universal do mundo é possível
Desde que não destrua-se o presente
Ninguém vive no passado ou no futuro
A todos o de cada qual
E seremos todos felizes

Extras

terça-feira, junho 7th, 2016

Às vêzes eu penso assim às vêzes não
Não deixa de ser engraçado a Ancine usar uma imagem filmada por mim pra comemorar o belo premio em Cannes
Salve Brasil o gigante acordou
A discussão gera a confusão
A confusão é gol contra
Sem humor não se vai nem na esquina
Generosas consigo mesmas nem tanto com os outros
Quem não se contenta com o menos é porque quer o mais
O licencioso se licencia
Um encanto o recanto um belo canto
Mais cedo é melhor
E arde o ardiloso ardil
E segue impávido no congresso o golpe
Cultura é tudo que o humano transforma na natura
E não está à disposição de tiranos
Como na tortura tem o golpista ¨bonzinho¨ e tem o golpista ¨mauzinho¨
Um assopra o outro morde
Cuidando do seu roçado teremos a melhor colheita
A saída é pela frente com a vitória de Dilma no senado
Lava (mal) e a jato (lento) é tribunal de exceção imperialista para deslanchar o golpe
Até quando se vai manter o sequestro de estado
Delação sequestro e tortura não são admissíveis na justiça democrática
É esta conspiração servil que vai roubar 54 milhões de votos dos brasileiros
O pulmão atacado prejudica a saúde
O pulmão é a cidade
O pulmão é o país
O pulmão é o mundo
O pulmão somos nós
A minha crise não afeta ninguém
A crise do país afeta todo mundo
Quando eu for falar comigo tenho que ficar atento
Só não pode é violência
Nêste mundo de condenações rápidas e erradas recomenda-se algum cuidado
E ainda se fazem as maratonas
A cultura aperta e espalha
Mais vale levar na conversa do que nela ser levado
Um governo ilegitimo açula o desgoverno na sociedade
Não deixa quieto não deixa quedo qualquer ameaça é arremedo
A natureza reage contra a cultura
O futebol faz sucesso porque sublima a obsessão pelo gol
Esse monte de bandidos tratados a canja e Dirceu condenado sem provas!