Ademais

Agradeço o perfume
Sinto-me entre parênteses
Ainda é tempo de anular o golpe
A individualização não resolve os problemas
Tem coxinha no jurídico aos montes
Se o país não revogar o golpe vamos ter sérios problemas
Os urubus da mídia só falam de tragédias
O cara acha que é Napoleão
Não há maior distância que entre o povo e o interino
Maldito espelho você me olha como se quisesse me comer
Todos estes togados tiveram o respeito e o apoio da Presidenta não é possível que se prestem fácil ao golpe vil
Quer mais doce?
Irrefutáveis e definitivos os esclarecimentos no depoimento da Presidenta na comissão do senado
E qual é a vigência?
Inelegível em seu torrão eleitoral como pode o interino estar na Presidência da Republica?
Como pode meia dúzia de indecisos decidir cassar 54 milhões de votos?
O país travado pelo falso legalismo da direita
Suspendam-se as sutilezas
No sufoco mundial não dá nem pra tossir
Volta Dilma
Nada a Temer
Depois que o susto passar cabe perguntar
Como deixou-se armar abertamente uma conspiração deste porte?
Como conjugaram-se os poderes a permitir o assalto ao governo?
Ainda vemos a escalada de sabotagens parlamentares judiciárias e estaduais
Tudo a serviço do imperialismo
Não é preciso nenhuma intervenção direta para caracterizar o imperialismo
Ele se apoia na destruição interna dos interesses nacionais
Por meio de seus áulicos e gerentes locais
E numa velocidade atordoante o bobo da corte corre para entregar o país de bandeja
Ou o senado acaba com o golpe ou o golpe acaba com o país
À vista de todo o mundo a conspiração desmonta-se sozinha
Cada palavra do ilegítimo é insustentável
E a quadrilha no seu entorno vai se revelando
Está-se a descobrir malfeitos em toda parte
O interino excede-se
O interino impostou-se
Além do golpe é preciso anular sua inicial farsa jurídica
A invenção nefanda do domínio do fato pelo Barbosa que não era Rui
Liberte-se José Dirceu!

Comments are closed.