Dizeres

Se explica complica
Não te quero interino eu a quero inteirinha
Tudo que eu queria era entender a vida o mundo
Mais não menos
Já que a Turquia não aprendeu com o Brasil espero que o Brasil não aprenda com a Turquia
Nenhum soldado atire contra o povo
Nenhum político vale mais que a vida dele
A violencia física é injustificável
Quem gosta de guerra é o imperialismo
Para alavancar seu comércio de destruição e ainda vender a submissão
Ai meu deus esses golpistas não cansam
A única preocupação que tenho são as minhas finanças
Tem que entregar o que promete
Se a esquerda não ganhar as eleições municipais estamos fritos é a barbárie!
A burguesia deve ter pirado como suporta essa farsa provisória
Na véspera de uma olimpíada o chanceler provisório resolve agredir a Palestina na ONU
Esse impostor quer destruir o país
No que se perde o foco perde-se o alvo
Grato pela lembrança mas prefiro o esquecimento
Xadrez em que todas as peças se movem
Rolei a minha dívida com o estado só falta rolar a minha comigo
Não chama que o bicho vem
O piloto pirou
O maroto folgou
Tô dando um verniz na gata
Apurei o faro para acertar a caça
Mais que o que fazemos é o que é feito de nós
Quando expressamos o que vemos é uma coisa muito nossa o que aparece
Ver é bom ter é melhor não ter acontece
Às vezes hiberno às vezes ressurjo
Independente não é porque se esteja ligado a nada
Está-se social economica e inevitàvelmente ao mundo capitalista que desgoverna os países
Não precisa assembleísmo
Melhor seria se as cidades fossem menores
Percorrê-las sem azáfama
Andar até o fim e voltar
Em jogo de seleção não se pára pra perguntar se é ataque ou defesa
Vale gol de barriga panturrilha ou mão oculta
Que o tiro acerte o alvo e balance a roseira
A rede sempre é um bom remédio

Comments are closed.