Fotogenias

Deixa estar 18 vem aí!
A culpa nunca é do povo
É dos que se dizem de esquerda e não procuram se unir numa frente ampla
Em cada disputa tem que ser um só candidato para toda a esquerda
Sou feliz acordei e estou vivo
O povo os 200 milhões a tudo sobrevive
Apesar dos ataques dos burgueses
A revolução popular é preciso que se faça sem nem mais uma morte
A ABD é um estado de espírito é de quem reivindicá-la e pugnar em seu nome é clandestina
Ninguém tem que pedir a ninguém pra ser revolucionário
Cada um tome a dose que suporte
Um homem quer a mulher de todas as formas e meios possíveis
Não se pode compactuar deve-se repudiar a crueldade na história
Delação não é prova e sob tortura é crime
Ou o Brasil acaba com o golpe ou o golpe acaba com o Brasil
Todo mundo precisa e merece viver bem
Basta que se queira
Devíamos combinar o espírito da época e a consciência possível
A arte é dada à hipérbole e a seu avesso
O problema do cinema estrangeiro é que eles se lixam pro que é estrangeiro
Só querem a nossa bufunfa
E viva o curta o mais democrático jeito de cinema
Nunca estamos sós o universo interage-se
Abrir e fechar todo dia o negócio
Lembrar de esquecer
A maior ofensa que se faz a um autor é perguntar o que ele quis dizer
Perdeu mas ganhou
Ganhou mas perdeu
Nem ganhou nem perdeu
E quando todos perdem?
É quando surge inesperada uma cavalgante avalanche de assalto ao poder
Primeiro o cara que junta uma tosca delação premiada com o domínio do fato
E liberou geral para a garotada jurídica do interior a detonar o país inteiro
Até quando até quando
Quantos seres há no mundo
Por que seres tão cruéis
Por que seres tão banais
Só se vive uma vida
Mais de uma ninguém vive
Somos mortais

Comments are closed.