Ganhos

Equilibrando em duas pernas é melhor que em uma só
Apertem os cintos
Se a canoa não virar
Teremos uma linda campanha de recriação da democracia
A se resolver nas urnas nem que seja em 18
É preocupante
Mas não há como impedir a emergência evangélica como não se impediu a jesuítica
É uma questão profunda
E que até representa uma insurgência popular
Que salva o povo da dominação católica burguesa passiva
E o impulsiona como figura para a comunidade
O diabo é o perfil comercial da coisa
E o domínio pela sociedade do espetáculo
Impõem na mídia em especial na tevê a sua pobre mas eficaz pantomima patética que nem novela
É pelo patético que arregimenta suas massas numa catarse coletiva que beira a histeria
Mas acaso é diferente do que foi a votação do impixe?
O que não se pode tolerar é a violência no choque de culturas e credos
Como em tudo pode tudo só não pode a agressão física
O preceito máximo da humanidade é o não me toques
As entidades patronais do audiovisual como de costume bajulam a Ancine apoiando a maldita na exclusão de todo o resto
Trocam a competência de quem faz por estúpidas pilhas de papel
Ganha tempo quem não o perde
Se no grande é difícil imagina no pequeno
Legaliza! O que no mundo é fonte de receita aqui é crime e repressão
A cada um o seu espirro
A cada um o seu esbirro
A cada um o seu espôrro
A cada um o seu escárnio
Só não enfia o dedo na tomada
Sai chatinho! Curta o que é bom
Essa tal de Ancine tem que se tocar sua missão é o cinema brasileiro o grande e o pequeno
Por que os fuderosos não se juntam pra fuder as estruturas?
Os nossos os de cá não os deles os de lá
Salário é propina
Para o trabalhador não se rebelar
Tantos significados para pouca significação
O impostor coagido pelo delator
A Republica decompõe-se que nem lixo
Só uma nova e sincera constituição salva o Brasil
Assim como naquele tempo o banco hipotecário salvou a lavoura

Comments are closed.