Cerejas

Só precisamos do mínimo
De que falam os poetas
A quem falam os poetas
Por que não fez ontem?
Porque não era hoje
De que o senhor vive?
Eu luto
Eu luto aqui com os meus animaizinhos e lá vai ele e seus jegues
O mérito é a pluralidade
O maior problema da relação empresarial nem é só a corrupção mas a sonegação endêmica
A conjuntura não está mole e piora
A conjuntura não as conjecturas que também não prestam
Enquanto não se acabar com a violência da cúpula vai ser difícil acabar com a da base
Por que motivo rebelam-se dezenas de pessoas confinadas sem julgamento?
Contra a agricultura burguesa pela agricultura familiar
É 13
O ilegitimo espalha ilegitimidade país afora
Um filme é de quem o imagina e concretiza
Penso que a melhor referencia para o audiovisual brasileiro é a Difilm repicada nos cineclubes pela Dina e na ABD pela Corcina
E é só acabar com essa absurda invasão estrangeira
As pragas do ocidente
É possível domar-se o imperialismo?
Tire-se do ar as corporações!
Na dúvida condena-se?
A quem se condena?
Se condena-se?
Quem não aproveita os bons momentos tem que encarar os maus
Estranhos são os caminhos que as pessoas trilham
Quanto custa ao dinheiro publico a campanha neo fascista de propaganda da Petrobras e da Caixa na mídia golpista?
Pré-julgando o pré-juízo
O mundo não me obedece
Se esperto jamais encare um fuzil
Circula!
Precisamos ganhar as forças armadas
Como em tudo sua base é popular
Submetida às pirâmides do poder
Que a todos nos subordinam
Ha que ter paciência e liderança
O povo é infinitamente maior que as cúpulas
Há de vencer

Comments are closed.