Quais

Dia não há em que a direita não apronte
E a esquerda hesite no que fazer
O que é justo
O macro abafa o micro
Não nos entendemos
Desentendemo-nos
A ninguém se diz como poetar
Cada um poeta como quer
O que nos diz o peito
O que esses idiotas no poder não entendem
É que o Brasil não é deles
O Brasil é propriedade dos milhões de brasileiros
Essa meia duzia de moleques não pode vender ceder trocar negociar nada no país
Ainda mais sendo ilegítimos
Bando de golpista!
Esqueço o que esqueci
Apure-se
Depure-se
Queremos ver mais burgueses na cadeia
Ou menos populares aprisionados?
Este filme por aí falado não passa de um selfie-filme
O de fora puxa o de dentro
O de dentro puxa o de fora
O que é a vida dessa gente
Dessa(s) gente(s)
Não se nomeia o adversário é fazer-lhe propaganda
Quem detrata não retrata
Quem retrata não detrata
Para todos
Bela utopia
Para todos todos?
Ou para todos quem?
Estão fechando os cercos
As cercas fecham
Chega o progresso
Aos poucos para poucos
Erguem-se pirâmides
O que foram as pirâmides?
O que são?
Poucos no topo tantos na base

Comments are closed.