O veneno e a árvore

O veneno e a árvore

Estava puto com o amigo
Disse da minha raiva ela acabou
Estava puto com o inimigo
Nada lhe disse a raiva aumentou
E inundei-a em temores
Noite e dia em minhas lágrimas
E ensolarei-a com sorrisos
E com suaves falsos logros
E cresceu de dia e noite
Até brilhar em uma maçã
O inimigo viu seu brilho
E soube que era o meu
E no meu jardim roubou-a
Quando a noite escureceu
De manhã alegre vi
Prostrado o inimigo ao pé da árvore

William Blake
(versão modesta minha)

Comments are closed.