Traços

Nem eu nem tu nem ele nem vós nem eles nós
A república é de todos e para todos
Mas a burguesia não deixa
Quer que ela seja só para defender seus perdulários interesses
O congresso é pra representar o país e não os interesses de seus componentes
Quem acha que o povo é omisso
E não se manifesta
E que a política não tem jeito
Não está acompanhando a caravana Brasil adentro
Viva 18
Nunca … é difícil
Sempre … é difícil
Anula o mouro
Mestres são os que nos antecedem
Mais desejos que fatos
Um dia a história descubro
Um dia a história construo
Riscos não corra
Desacelera
Freia o carro
Há muito que a vaca foi pro brejo
Vai ser difícil desbrejizar
O cara diz que vive no estado democrático
Só se a capital fôr o golpe
Uma pinga e um pingo de prosa
Honestamente
O pior nem é que a civilização seja injusta mas que seja burra
O antes vem antes do depois
Por que soldados expõem as suas e outras vidas para defender os valores da burguesia e seus políticos que a todos exploram?
A revolução só é possível nas urnas
As eleitorais
Não as mortuárias
Antes da guerra a paz
Depois …
Desde que o mundo é mundo
E depois?
E eis que inventaram a justiça
Para julgar os vivos e os mortos
Por que se perdem nos caminhos?
Porque seguem os da ambição

Comments are closed.