Papos

A mídia ameaça
A mídia ama a essa
Um diz que entende
O outro diz que não
Artista artífice artesão autor
Cada dia é um novo dia
Sou mais o escambo que o escambau
Sou mais a troca que o capital
Capital é o trabalho alheio acumulado pelos burgueses
Quem foi que agregou a demanda?
Quem é que avitou o super?
Quem amortizou o débito?
Quem adimpliu a meta?
A vitória não é de quem fala é de quem faz
Falar tem seu valor tem seu fulgor
Pode ser farol ou lanterna
A estética não é o bonito
É o belo
A vida é pura predação
Animalesca
O animal precede o humano
Difícil é conter os instintos
Dizem que instintos não é humano
E não agimos por instinto?
Quando componho eu tento equacionar o mundo
Por que se cumpre ordens?
Cada um faz do seu jeito
O outro vem e põe defeito
E ainda que defeito haja
Ninguém se meta a dar pitaco
No que não é de sua alçada
Quem critica o rabo espicha
Ainda mais se com razão
A razão não é coisa que aos outros se imponha
Não importa se é boa ou má a conha
Cada um com seu bagulho
A razão ou desrazão não é coisa que se ostente
Se a tens justo é deixá-la a quem não tenha
Quem a tem não precisa ter a mais
Quem precisa é quem a tem a menos

Comments are closed.